Início » Brasil » Temer aciona forças de segurança para desbloquear rodovias
EM PRONUNCIAMENTO

Temer aciona forças de segurança para desbloquear rodovias

Em pronunciamento, Temer diz que o governo atendeu às demandas da categoria e vai ordenar a liberação das estradas bloqueadas

Temer aciona forças de segurança para desbloquear rodovias
Decreto com os detalhes do acionamento das forças federais deve ser publicado ainda nesta sexta-feira (Foto: Reprodução/Planalto/Facebook)

O presidente Michel Temer anunciou que vai autorizar as forças federais de segurança a liberar as estradas bloqueadas por caminhoneiros. A medida foi anunciada na tarde desta sexta-feira, 24, em um breve pronunciamento sobre o impasse na negociação entre o governo e representantes do movimento.

“Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos senhores governadores que façam o mesmo”, declarou Temer. Segundo o presidente, muitos caminhoneiros “estão fazendo sua parte”, mas uma “minoria radical” segue bloqueando as estradas.

O presidente afirmou que a União vai ressarcir a Petrobras para garantir a redução de 10% no preço final do diesel, uma das demandas dos caminhoneiros. Temer também disse que o governo vai estabilizar o valor a cada 30 dias para garantir a previsibilidade do custo aos caminhoneiros, o que atende à demanda da categoria por estabilidade.

Temer afirmou ainda que o governo chegou a um acordo no Congresso para zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). Por fim, ele disse que o governo vai assegurar o encaminhamento ao Congresso de uma medida provisória que dê aos autônomos 30% das cargas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). “Atendemos 12 solicitações dos caminhoneiros, que se comprometeram a encerrar a paralisação imediatamente”, disse Temer.

Minutos depois, na reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), Temer disse que o governo “praticamente eliminou a Cide”, não deixando claro como ficou a situação do imposto no fim das contas.

“Não vamos permitir que a população fique sem gêneros de primeira necessidade. Não vamos permitir que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas. Não vamos permitir que crianças sejam prejudicadas pelo fechamento de escolas. Como não vamos permitir que produtores tenham seu trabalho mais afetado”, disse Temer.

A assessoria do Ministério da Segurança Pública informou ao portal G1 que o governo vai publicar um decreto ainda nesta sexta-feira com os detalhes do acionamento das forças federais. Segundo a assessoria, as rodovias devem ser totalmente liberadas. Os caminhoneiros manifestantes não vão poder ficar sequer no acostamento.

Em nota à imprensa, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) disse que participou das negociações com o governo, junto com a Fetrabens, Fecone, Fetramig, Fecam-ES e Sinaceg. “As entidades presentes nas negociações jamais aceitaram as pressões para suspender a paralisação. O documento com o governo só foi assinado para garantir que o governo manteria aquelas propostas caso a categoria as aceitasse. Nosso papel é o de levar as propostas da categoria para que cada grupo de manifestantes decida”, disse a nota.

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), por sua vez, repudiou o acordo feito na última quinta-feira, 25. “A Associação Brasileira dos Caminhoneiros – Abcam, juntamente com suas cinco Federações filiadas, repudia o acordo realizado ontem entre Governo Federal e as outras entidades representativas do transporte rodoviário. Ao contrário do que foi dito, a Abcam tem representação legitimada pela categoria de transportadores autônomos do país, com cerca de 600 mil caminhoneiros filiados em todo o território nacional”, disse em nota.

Fontes:
G1-Temer diz que governo acionou 'forças federais' para desbloquear estradas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Buckminster disse:

    Deveria deslocar as forças de segurança para exterminar traficantes e decretar pena de morte a latrocidas. É evidente que a atual política brasileira vida na contra mão do progresso. Nossos políticos se preocupam com assuntos desnecessária; deveriam estar preocupados em reduzir seus custos em ao menos 70%

  2. Aureo Ramos de Souza disse:

    O problema é que, o furo na Petrobras é grande mesmo tendo um lucro bom este ano. E o governo estava aumentando o preço dos combustíveis toda semana. Não é que isso vá resolver mais as medidas tomadas pelo presidente Temer foi maleável, o que não pode é os hospitais e outros locais de alta necessidade ficar parado como por exemplo os aeroportos.

  3. Henrique Motta disse:

    Este é um país de sem vergonhas. Jamais deveriam ter sido feitas concessões sem que primeiro as estradas estivessem COMPLETAMENTE liberadas para o transito. O Brasil não pode ser refém de uma categoria. Os sindicatos que lideraram a greve devem responder pelos prejuizos causados. Hoje , pessoalmente, vi uma duzia d motoboys com a complacencia de fiscais de transito da prefeitura bloquearem o transito em São Conrado (direção Lagoa-Barra) em “solidariedade” aos caminhoneiros. . Não respeitam meu direito de ir e vir e nada acontece. Pais governado por frouxos. Depois reclamam quando os militares reagem.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *