Início » Brasil » Temer se diz vítima de perseguição criminosa
PRONUNCIAMENTO

Temer se diz vítima de perseguição criminosa

Em pronunciamento, o presidente Michel Temer se defendeu da acusação de que usou imóveis de familiares para lavar dinheiro de propina

Temer se diz vítima de perseguição criminosa
Temer vai pedir a Raul Jungmann para investigar vazamentos à imprensa (Foto: Alan Santos/PR)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente Michel Temer se defendeu da acusação de que usou reformas em imóveis de sua família para lavar dinheiro proveniente de propina.

Em um pronunciamento de 13 minutos, feito de última hora, na manhã desta sexta-feira, 27, Temer disse ser vítima de uma perseguição criminosa, disfarçada de investigação, e que vai pedir ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para apurar os vazamentos para a imprensa de dados de investigações em andamento.

“Não se trata de mentiras contra a minha posição constitucional, é contra minha honra, mentiras que atingem minha família e meu filho, que hoje tem 9 anos de idade”, disse o presidente, que posteriormente convocou a imprensa a “protestar contra a mentira”.

As queixas de Temer são referentes a uma reportagem publicada nesta sexta-feira, pelo jornal Folha de S. Paulo, que revela que a Polícia Federal suspeita que ele tenha lavado dinheiro de propina por meio de reformas em casas de familiares e transações imobiliárias destinadas a ocultar bens. Os imóveis em questão pertencem a Marcela Temer, ao filho do casal Temer e à filha do presidente, a psicóloga Maristela Temer.

Investigações no âmbito da Operação Skala, que apura um esquema de corrupção no setor portuário do qual Temer é suspeito de integrar, apontam que uma reforma na casa de Maristela Temer foi bancada em dinheiro vivo, por Maria Rita Fratezi, mulher do coronel João Baptista Lima Filho, amigo pessoal de Michel Temer preso na operação. A suspeita é que a verba seria proveniente de propina da JBS.

A Polícia Federal solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que prorrogue em mais 60 dias o inquérito que investiga Temer. Os agentes afirmaram que ainda não concluíram a análise da quebra do sigilo bancário de Temer e do material colhido na Operação Skala.

Além desse inquérito, Temer é alvo de outras duas denúncias por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de Justiça. As denúncias foram feitas no âmbito da Operação Lava Jato e têm como base a delação da JBS. Porém, elas foram arquivadas em votações no Congresso, o que deixou o processo suspenso até que Temer encerre o mandato e perca o foro privilegiado, o que ocorre no final deste ano.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Áureo Ramos de souza disse:

    Olhando bem o que vem acontecendo neste país a gang de Lula atingiu todos políticos e se Lula continuar preso e cismar em fazer DELAÇÃO PREMIADA o Brasil vai a falência. Sinceramente não me vem a mente mais em que escrever.

  2. carlos alberto martins disse:

    o presidente fala muito e trabalha pouco em favor de uma administração que leve a nação rumo a um futuro melhor para o povo.eta cara chato até para discursar.

  3. Laércio disse:

    Vítima de perseguição está a nação em consequência de políticos, direitos humanos, mídias e outros grupos bem organizado. O Brasil está falido apenas devido a isso é mais nada! Uma minoria que está embriagada quase 24 horas, sem ética, escrúpulo ou qualquer qualidade. Quando essas minorias acabarem seremos a Alemanha da América do sul. Para isto traficante, maus políticos e latrocidas tem que ser apenados com a morte. Neste dia o Brasil começará a andar! Do contrário parabéns as mídias que continuarão a escrever fortunas com sangue alheio

  4. Laércio disse:

    Até papagaio fala! Vítima real é a população brasileira que vive num país que é a extensão do inferno! Nossa constituição não funciona para os pobres, salvo em casos de punição.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *