Início » Brasil » Temer volta atrás e defende plebiscito ainda neste ano
Reforma política

Temer volta atrás e defende plebiscito ainda neste ano

Após causar mal-estar no Palácio do Planalto, vice-presidente disse que o ideal é que plebiscito já valha para 2014

Temer volta atrás e defende plebiscito ainda neste ano
Declaração de Temer causou mal-estar no Palácio do Planalto (Fonte: Reprodução/AE)

Pouco depois de afirmar que não haveria tempo para aprovar uma reforma política que entrasse em vigor antes das eleições do ano que vem, o vice-presidente Michel Temer voltou atrás e disse que o ideal é que o plebiscito já valha para 2014.

Temer havia afirmado que o plebiscito só aconteceria em 2014 — e, portanto, só valeria para as eleições de 2016 — após uma reunião com líderes de partidos da base na manhã desta quinta-feira, 4.

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, as declarações de Temer irritaram a presidente Dilma.

Menos de quatro horas após o anúncio, no entanto, o vice-presidente recuou e afirmou em nota que “o governo mantém a posição de que o ideal é a realização do plebiscito em data que altere o sistema político-eleitoral já nas eleições de 2014”.

Fontes:
Estadão - Temer recua e diz que 'governo mantém posição' e acha ideal plebiscito ainda neste ano

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. Azambuja disse:

    Ninguém se entende nesse governo petralha!

  2. Roberto1776 disse:

    Esse camarada não sabe o que faz? Ou ele tem tanto medo assim de uma presidentA que já não vale mais nada?
    Infelizmente o PMDB continua o saco de gatos que era durante o período da limpeza militar.
    Michel, tenha a santa paciência e nos poupe destas recuadas inaceitáveis.
    Alguém precisa enfrentar esse partido que há dez anos nos desgoverna.

  3. Geferson disse:

    Segundo o ex ministro do STF Ayres Brito – Plebiscito é dar “cheque em branco” ao governo que pode fazer o que bem entende com esse endosso jurídico.

  4. ney disse:

    Se eu fosse Temer estaria com a barba de molho.

  5. Elisa disse:

    Nas ruas o povo exige mais educação, mais saúde, melhores serviços públicos, menores preços de transporte, menos corrupção. Nos cochichos governamentais eles, os petralhas, oferecem, mudanças na constituição, plebiscito ou referendum. Brincadeira, gente. O português popular não é devidamente entendido pelos governantes. Ou será que eles estão é querendo nos enganar? Ou enrolar? Affffffffffffffffffffffffffff

  6. Carlos U. Pozzobon disse:

    Certamente a questão vai parar no STF. Com isso, teremos o primeiro teste dos novos ocupantes do tribunal. A pressão da presidente indica que o partido está fechado no plebiscito por ordens de sua cúpula, uma vez que parte das bases tinha se manifestado contra. Mas como é um partido vertical e dentro da nossa tradição caciquista, certamente que as vozes dissonantes foram abafadas na estratégia plebiscitária.

  7. Sálvio Pessoa disse:

    A presidente, o vice-presidente, os ministros, seus assessores, todos estão completamente perdidos, tão perdidos quanto aqueles que estão protestando nas ruas, ou os policiais que fiscalizam os protestos ou os que assistem aos protestos nas ruas ou pela TV. Mal a presidente anunciou as medidas que tinha em mente para resolver os problemas, já começaram as discordâncias, os desentendimentos e os desacordos, cada setor querendo puxar a brasa para a sua sardinha. O presidente e os integrantes do Congresso Nacional, o presidente e os integrantes do Supremo Tribunal Federal os senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos, governadores e vereadores estão todos perdidos, tanto quanto os empresários e seus funcionários, os jornalistas, seus leitores, ouvintes e telespectadores, os juízes, promotores, advogados, médicos, engenheiros, os analfabetos e doutores, os estudantes, os professores, os funcionários públicos, as donas de casa, os pais de família, os bandidos, os padres, as freiras, as virgens, as prostitutas, os pastores, os crentes, os descrentes e o povo em geral. E não é só no Brasil, mas em todas as nações do mundo, sem exceções. Formam todos um bando de tolos, pretensiosos e arrogantes que fingem saber das coisas, fingem compreender o problema e conhecer a solução, fingem estar tranquilos e seguros de si, mas que, na realidade, estão apavorados, de nada sabem, nada entendem e têm suas próprias vidas pessoais confusas, insolúveis e angustiadas. Ninguém sabe o que fazer e qualquer coisa que façam, dará errado e trará novos e insolúveis problemas. Não há plebiscitos, pactos nem constituintes que deem jeito na situação, não há protestos, copa do mundo, das confederações, carnaval ou olimpíada, reuniões, conferências, pacifismo nem vandalismo que resolvam, porque o problema não depende disso, não depende de discursos, de teorias, de dinheiro, nem de leis, nem de polícia, de ideologias partidárias, de filosofias, de religiões, nem de fiscalização, punição, prisão, nada disso. Eu sei do que depende, mas não direi, porque já foi dito milhares de vezes, no passado e até no presente, e de nada adiantou, ninguém ouviu e, se ouviu, não deu a menor importância. Resta-me apenas contemplar, impotente, com o coração cheio de uma inútil compaixão e com o coração dilacerado, a derrocada final da raça humana, esmagada pelo peso da sua própria estupidez. A situação vai piorar cada vez mais. Quanto mais soluções arquitetarem, mais problemas terão. Quem viver verá. É o fim do caminho, aproxima-se, a cada dia, a tragédia mais do que anunciada à qual ninguém jamais deu ouvidos. Que Deus tenha piedade das nossas pobres almas.

  8. olbe disse:

    Que vergonha,! Um vice presidente, que entende de leis mais do que ninguém, teve que se desdizer pq a PRESIDENTA mandou…Eles fazem isto com a maior cara de pau pensando que todos somos idiotas!!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *