Início » Brasil » Temporal deixa Rio em estado de crise
COM PELO MENOS SEIS MORTOS

Temporal deixa Rio em estado de crise

Fortes chuvas resultaram em deslizamentos, quedas de energia e alagamentos. Pelo menos seis mortes foram confirmadas

Temporal deixa Rio em estado de crise
Prefeitura orientou a população a não sair de casa (Foto: Centro de Operações do Rio)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A cidade do Rio de Janeiro amanheceu nesta quinta-feira, 7, em estágio de crise – o mais grave em uma escala de três em situações do gênero.

Um forte temporal que atingiu a cidade na última quarta-feira, 6, resultou em alagamentos, vias interditadas, quedas de árvores, cortes de energia e deslizamentos. Os ventos chegaram a 110 k/h. Por volta das 22h, o prefeito Marcelo Crivella (PRB-RJ) decretou estágio de crise e orientou a população a não sair de casa.

Pelo menos seis mortes foram confirmadas e o número ainda pode subir. Duas pessoas morreram em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste. Outras três mortes foram confirmadas na Zona Sul, uma das mais castigadas pelas chuvas. Foram confirmadas uma morte na Rocinha e uma no morro do Vidigal.

As duas últimas vítimas fatais estavam dentro de um ônibus que foi soterrado na Avenida Niemeyer e atirado contra a ciclovia que margeia a avenida. Um trecho da ciclovia desabou. Segundo o prefeito Crivella, há suspeita de que outro passageiro esteja dentro do ônibus soterrado.

Também na Zona Sul, o canal do Leblon transbordou e as águas invadiram estabelecimentos comerciais, como o Shopping Leblon. Também foram registrados alagamentos na Barra, onde houve queda de energia, e na Tijuca, na Zona Norte da cidade.

Fotos compartilhadas nas redes sociais mostram ruas que viraram córregos, bolsões de água pela cidade, carros boiando e estabelecimentos alagados. Em São Conrado, o saguão do hotel Sheraton, um dos mais luxuosos da cidade, foi totalmente alagado. Vídeos mostram móveis boiando e hóspedes e funcionários com água pelos joelhos.

Segundo a Defesa Civil, em apenas quatro horas, a chuva superou o esperado para todo o mês de fevereiro. Foram 138 mm de chuva, enquanto o previsto para o mês era 130 mm. Até o momento, foram contabilizadas 24 quedas de árvores e a previsão é de mais chuvas para as próximas horas.

Fontes:
Folha de S. Paulo-Temporal no Rio mata três, alaga ruas e hotel e aciona sirenes de alerta

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. carlos alberto martins disse:

    é lamentavel mais o Rio está pagando caro ao que agrediu a natureza.invadiram os morros,areas de preservação hambiental,rios etc.assim como em outros estados,a natureza vai cobrar muito caro todo esse desrespeito,com éla não temos como nos livrar dos castigos por nós muito bem merecidos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *