Início » Brasil » Tendência de cortar subsídios não é exclusiva do Brasil
Setor energético

Tendência de cortar subsídios não é exclusiva do Brasil

Movidos pela queda brusca no preço do petróleo, pelo menos dez países, além do Brasil, já cortaram ou anunciaram cortes nos subsídios do setor de energia e petróleo

Tendência de cortar subsídios não é exclusiva do Brasil
A tendência de cortes de subsídios não é exclusiva do Brasil (Reprodução/Internet)

Em janeiro deste ano, o governo brasileiro anunciou que vai cortar o aporte de R$ 9 bilhões previsto para o setor elétrico este ano. Durante anos, o Brasil usou o subsídio para controlar o preço da energia e estimular o consumo no país. Agora, a equipe econômica do governo pretende repassar as despesas do setor elétrico para o consumidor.

A tendência de cortar subsídios para o setor energético não é exclusiva do Brasil. De acordo com uma reportagem publicada nesta quarta-feira, 4, no New York Times, governos ao redor do mundo estão começando a tirar proveito da queda dos preços do petróleo e gás natural para cortar subsídios ao setor. Os cortes representam apenas uma pequena fração do total global de subsídios anuais, mas especialistas em energia dizem que eles estão aumentando.

Além do Brasil, os governos da Indonésia, Índia, Malásia, Angola, Gana, Nigéria, Egito, Omã, Abu Dabi e Kuwait, para citar apenas aqueles mencionados na reportagem do Times, já cortaram ou anunciaram cortes nos subsídios do setor de energia e petróleo.

FMI apoia a medida

Durante anos, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial orientaram países em desenvolvimento a cortar os subsídios. Em um relatório publicado em outubro do ano passado, o FMI afirma que os subsídios distorcem os preços e estimulam o consumo desenfreado.

Além disso, os aportes acabam tendo o efeito contrário do esperado: ao invés de combater a pobreza, acabam estimulando-a. em entrevista ao jornal New York Times, Amy Myers Jaffe, especialista em energia da Universidade da Califórnia, falou sobre o paradoxo.

“Estudos feitos no México, na África e na Ásia mostram que os subsídios não dão retorno algum aos mais pobres. Eles colocam uma pressão sobre orçamentos do governo necessários para ajudar os mais pobres”, disse.

 

Fontes:
G1-Governo não fará mais aporte ao setor elétrico e energia terá alta maior
G1-Consumidor pagará subsídios do setor elétrico e 'tarifaço' já passa de 60%
The New York Times-Low Energy Prices Offer Opening for Subsidy Cuts

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *