Início » Brasil » Thatcherismo ganha adeptos no Brasil
Liberais do Brasil

Thatcherismo ganha adeptos no Brasil

Partido Novo, prestes a se tornar oficial, promete ampliar o estreito espectro político brasileiro

Thatcherismo ganha adeptos no Brasil
Margaret Thatcher, ex-primeira ministra britânica e símbolo do liberalismo (Foto: Reprodução/Época)

Os defensores do livre mercado e de um Estado menos intrusivo estão ganhando terreno no Brasil. Muito em breve os liberais brasileiros terão um novo partido político para representá-los. O chamado Partido Novo defende mercados livres, um Estado mínimo, impostos baixos e liberdades individuais. A sua criação promete ampliar o estreito espectro político do país inclinado à esquerda.

O presidente do Partido Novo, o banqueiro João Dionísio Amoêdo, defende a privatização de empresas controladas pelo Estado, como a Petrobras. O partido já apresentou as 492 mil assinaturas necessárias para obter o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Amoêdo prevê sua aprovação em março e já planeja apresentar candidatos nas eleições municipais do próximo ano. Uma nova força liberal poderia fornecer novas respostas à cada vez mais difícil situação econômica do país.

Guinada à direita?

O liberalismo defendido pelo Partido Novo ainda atrai uma minoria, mas a opinião pública parece estar mudando. Os brasileiros têm a mente aberta sobre os direitos dos homossexuais e a imigração (mas não a legalização das drogas). Uma pesquisa feita pelo Datafolha em setembro do ano passado constatou que 30% são céticos quanto às políticas de intervenção do Estado e os gastos do governo, porcentagem registrada em 26% um ano atrás. Na eleição presidencial de outubro, Dilma Rousseff derrotou o tucano Aécio Neves só marginalmente. Estes são sinais de esperança para os liberais.

Fontes:
The Economist - Niche no longer

7 Opiniões

  1. Carlos U. Pozzobon disse:

    Esquecem os brasileiros de boa fé que o estado brasileiro é ONÍVORO. Qualquer partido político que adentro o modelo atual tem data marcada para degenerar. Vide o PL que elegeu Lula em 2002, o PSD que elegeu Dilma, e a pálida oposição que temos no Congresso. O que precisamos é da visualização clara e sem peias do modelo político atual e do tipo de modelo que poderia curar os males atuais. E não esperar que estas mudanças sejam postas pelos políticos empossados ou partidos que vivem na caminha fofa das verbas partidárias, mas que façam parte de um amplo projeto político apoiado pelo povo, que por sua própria força, será capaz então, e finalmente, de forçar as mudanças. As mudanças no país virão pela mobilização popular, tal como assistimos com os caminhoneiros e o movimento pelo IMPEACHMENT JÁ de 15 de março.
    http://reformaprofunda.blogspot.com.br/

  2. André Luiz D. Queiroz disse:

    Thatcher recuperou a Inglaterra e, por isso, até hoje é respeitada em seu país.” — permita-me a réplica, Henrique Lara. Há também até hoje grande criticismo contra Margareth Tatcher na própria Inglaterra. Houve mesmo quem dissesse “the bi… is dead” quando de seu falecimento… Eu não endosso tal opinião, pelo contrário! Acredito que Tatcher foi uma das personalidades políticas mais coerentes e corajosas do século XX; como ela mesmo se declarava: “I am not a consensus politician. I’m a conviction politician” (Não sou uma política de consensos. Sou uma política de convicções”).
    O Estado brasileiro, inchado, perdulário, ineficiente e corrupto, é o exemplo acabado de tudo a que a doutrina política do liberalismo se opõe. Está mais do que na hora da sociedade brasileira se mexer contra tudo isso que aí está! Espero que esse novo partido seja fiel a esses valores, e não se perca como mais apenas mais uma ‘sigla de aluguel’ como já temos aos montes…!

  3. Henrique de Almeida Lara disse:

    Esse partido poderá encontrar entre as amargas decepões que o povo está tendo com o dito “socialismo” do PT e seus apaniguados terreno fértil para nascer, crescer e frutificar. A História, passada e atual, nos mostra que o socialismo parece não ser um mal em si mesmo, mas os seus paladinos o distorcem e deturpa a tal ponto que, para camuflar o seu fracasso, partem para a implantação de ditaduras cruéis, hipócritas e sangrentas. Há muitos exemplos eloquentes, inclusiveis bem atuais, que por falta de espaço não vou citar.
    É indispensável ser imparcial, pois assim se verá sempre a verdade com mais clareza. Thatcher recuperou a Inglaterra e, por isso, até hoje é respeitada em seu país.

  4. Lucia disse:

    Eu anseio por um partido liberal de extrema direita. Infelizmente, não existe nenhum.
    Se o PN vier mesmo com essa proposta, eu voto neles. O problema é que geralmente as propostas ficam no papel, pois dependendo do caráter e da moral dos representantes do partido nada muda. Eles chegam ao poder e vão reproduzir a mesma política podre que já estamos habituados a ver. Em todo caso, pelo menos vamos ter uma opção. Tomara que escolham pessoas capacitadas e íntegras para candidatos.

  5. Raimundo Trindade disse:

    Agora o maior desafio aos liberais é deter essa onda que se inverteu na política brasileira;;, a eleição da presidente Dilma diante do psdb deixou claro que não é com fantasias barata que um partido qualquer ( que por sinal já esteve no poder) vai enganar o povo mais uma vez,,,, talvez isso tudo possa ser mais uma manobra política para tentar fortalecer velhos companheiros que não foram tolerados pelos eleitores em 2014, afinal, não é confiável dormir com os dois olhos fechados quando se fala em POLÍTICO no Brasil, se levarmos em consideração que em junho passado, enquanto fazíamos passeatas cobrando mais direitos e a imprensa estava voltada para o movimento, os deputados VOTARAM uma lei, a qual estendeu a todos os brasileiros o efeito da Lei da FICHA LIMPA instituída para punir políticos CORRUPTOS , mas a resposta foi imediata, o povo respondeu á altura,, e substituiu parte do congresso nacional, com essa postura os liberais viram suas ambições fugirem pelo ralo , graças aos povos dos estados mais pobre, porém, competentes ,, se os liberais ainda pensam nessa possibilidade em retornar ao palácio do planalto precisam mudar de postura e se incorporar a essas novas tendências e conquistar o povo novamente……

  6. Vitafer disse:

    Espero que não se deturpe.

  7. Sergio Noel Ribeiro disse:

    As teses defendidas pelo PN são bastante atraentes em especial por não parecerem ideológicas e sim defendem a LIBERDADE como bem supremo dos indivíduos e colocam o Estado na sua verdadeira posição, a de SERVIR À SOCIEDADE e não o que,ao contrário, olhar para o cidadão como mero “contribuinte”

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *