Início » Brasil » Três em cada dez mulheres no Nordeste já sofreram violência doméstica
VIOLÊNCIA CONTRA MULHER

Três em cada dez mulheres no Nordeste já sofreram violência doméstica

Capitais como Salvador, Natal e Fortaleza apresentaram os maiores índices de casos

Três em cada dez mulheres no Nordeste já sofreram violência doméstica
Natal apresenta o maior número de casos de violência emocional (34,82%); Salvador, de violência física (19,76%); e João Pessoa (8,8%), sexual (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nesta sexta-feira, 9, uma pesquisa da Universidade Federal do Ceará em parceria com o Instituto Maria da Penha e financiada pela Secretaria de Políticas para Mulheres revelou dados alarmantes sobre a violência contra mulher no Nordeste. A conclusão foi de que três em cada dez mulheres que moram na região sofreram ao menos um episódio de violência doméstica ao longo da vida.

Leia mais: Programa marroquino ensina mulheres a esconder agressões

Iniciada em 2015, a pesquisa tinha o objetivo de conhecer a realidade da violência na região. Dez mil mulheres responderam ao questionário do estudo. Capitais como Salvador, Natal e Fortaleza apresentaram os maiores índices de casos.

Os questionários mostraram que 27% das mulheres sofreram algum episódio de violência emocional (insultos, humilhações ou ameaças), 17,2% sofreram fisicamente e 7,13%, sexualmente. Considerando apenas os últimos 12 meses, as porcentagens são, respectivamente, 11,92%, 5,38% e 2,42%.

Em uma análise separada por capitais, Natal apresenta o maior número de casos de violência emocional (34,82%); Salvador, de violência física (19,76%); e João Pessoa (8,8%), sexual.

Para piorar, a pesquisa também revelou que experiências na infância de violência doméstica podem influenciar relacionamentos futuros. A cada cinco mulheres que participaram da pesquisa, uma testemunhou, enquanto criança, agressões sofridas pelas mães. Segundo os especialistas, este tipo de exposição poderia fazer com que os membros da família se envolvessem em relações violentas durante a vida adulta. “Isso aponta a transmissão da violência e o quanto o inconsciente coletivo ainda considera isso normal”, disse a secretária nacional de políticas para as mulheres, Fátima Pelaes.

Fontes:
Estadão-3 em 10 mulheres no Nordeste sofreram violência doméstica

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *