Início » Opinião » Artigos » Três mil venezuelanos famintos invadem o Brasil
COLUNA ESPLANADA

Três mil venezuelanos famintos invadem o Brasil

Mais de 3 mil venezuelanos famintos atravessaram a pé a fronteira com o Brasil e entraram em Roraima; as cenas lembram os refugiados sírios

Três mil venezuelanos famintos invadem o Brasil
Os grupos chegam em número maior a cada dia e utilizam a BR-174, que corta o estado até o Norte, na fronteira (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os governos do Brasil, da Venezuela e a ONU fecham os olhos para uma crise humanitária no norte do país. Mais de 3 mil venezuelanos famintos atravessaram a pé a fronteira com o Brasil e entraram em Roraima, na região de Pacaraima – onde já existe uma pequena favela. Os que não ficam na cidade, descem em direção à capital Boa Vista. Fogem de uma Venezuela em crise econômica, atrás de comida e trabalho. São jovens, adultos e até famílias com crianças, cenas que lembram os refugiados sírios.

A rota

Os grupos chegam em número maior a cada dia e utilizam a BR-174, que corta o estado até o Norte, na fronteira. Eles usam a cidade venezuelana Santa Helena de base.

A herança

Algumas pessoas chegam a caminhar 50 quilômetros por dia, com a trouxa nas costas ou empurrando malas – tudo o que sobrou do lar abandonado na Venezuela.

Esquecida

O Palácio do Planalto ainda não instalou a foto oficial de Dilma Rousseff na galeria de ex-presidentes, no saguão do térreo. Mostra o clima azedo de como o país rachou.

Racha na PF

Há um discreto racha na Polícia Federal. Enquanto a ADPF, a associação dos delegados, promovia na quarta-feira em Salvador um simpósio de combate à corrupção (com a presença de parte do comando da Lava Jato), no mesmo dia o diretor-geral Leandro Daiello foi ao Congresso para falar do mesmo tema.

Do gabinete

Há informes, não confirmados, de que o comando da PF proibiu os delegados superintendentes nos Estados de comparecerem no evento em Salvador – ficou nítido o número bem menor deles.

Porta-voz

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS), defensor do cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), manda um recado a setores do partido que articulam a expulsão do ex-presidente da Câmara da legenda. “Quem tem telhado de vidro não tem moral para isso”, aponta.

Carona desastrosa

Não foi só o PT o grande perdedor desta eleição. Na carona, o aliado ideológico PCdoB se afundou, em especial na capital paulista, onde não elegeu um vereador sequer.

300 de Temer

Em alusão ao filme “300 – A Ascensão do Império” , deputados aliados de Michel Temer já apelidaram a base na Câmara de “300 de Temer”.

Bonde das aposentadorias

Não foi só a ex-presidente cassada Dilma Rousseff que furou a fila da aposentadoria. O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Alberto Beltrame, determinou à presidência do INSS que conclua, “o mais breve possível”, minucioso levantamento de concessões de “aposentadorias-relâmpago” a servidores.

Lupa palaciana

O presidente Michel Temer monitora com lupa o movimento da base em torno da votação da PEC do teto de gastos.  Abriu amplo sorriso ao ser informado por um assessor que o “PSD vai votar fechado (todos os deputados)” com o governo.

Previdência.. 

Em minoria no Senado, a oposição já traça estratégias e vai investir em campanhas em redes sociais para tentar barrar a proposta de Reforma da Previdência ainda sem data de envio pelo Planalto.

..da discórdia

“Vai tirar a aposentadoria especial de mulheres e professores. É uma mudança que não leva em consideração a realidade do brasileiro. Ou seja, vai fazer uma economia burra”, afirma a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).

Ponto Final

“Cabe advertir: a cidadania começa com o alfabeto”

Do ex-deputado Ulysses Guimarães, que presidiu a Assembleia Constituinte.

 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. mario alberto benedetto disse:

    Esse é o fracasso do comunismo,tem que matar NICOLÁS MADURO,EVO MORALEZ e RAFAEL CORREA e FIDEL CASTRO E RAUL CASTRO

  2. mario alberto benedetto disse:

    COMUNISTA BOM É COMUNISTA MORTO

  3. olbe disse:

    É uma desgraça o que a humanidade está sofrendo. Todos sabemos que os refugiados merecem nosso carinho e atenção pq são inocentes pagando por um governo mal intencionado. Mas devemos pensar da seguinte maneira: você vive razoavelmente bem no seu apartamento ou casa com seus familiares..De repente é obrigado a receber nesta mesma casa mais duas ou três famílias de desconhecidos. Você vai ter que dar cama pra dormirem, comida, ajuda nos remédios, vai procurar emprego para os mais velhos, escola para os mais jovens e assistência médica para todas estas famílias. Cada um de seus amigos vai ter que fazer a mesma coisa. Como isto vai ser possível???? É isto que cada país, cada cidade, em grande parte do mundo esta fazendo o governo fazer para receber os refugiados….O que vai acontecer? Um colapso total…ninguém vai aguentar..O que é preciso fazer com URGÊNCIA é tentar fazer com que os inimigos destes povos desprotegidos saiam do poder e que estas pessoas possam voltar para seus países de origem pois por mais que recebam, vão sempre se sentir estrangeiros em terras que elas não escolheram pra morar. O mundo todo deve se unir e acabar com estes ditadores fanáticos e enlouquecidos, para que as pessoas possam voltar para seu país de origem. E eles ainda sofrem o preconceito de quem acha que eles estão tirando o trabalho de quem vive nos países “invadidos”…

  4. Vitafer disse:

    Temos aí um assassino em potencial…

  5. Carlos U Pozzobon disse:

    Esta década vai ser conhecida pelos historiadores como a década dos refugiados. Superamos a Segunda Guerra Mundial e tudo indica que os fluxos humanos só vão se encerrar quando caírem os regimes que sustentam os governos da Síria, Venezuela e Cuba, em primeiro lugar. Mais disseminadamente, os governos do norte da África, Haiti e demais países da América Central.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *