Início » Brasil » Turbulência da TAM chega ao Congresso
Coluna Esplanada

Turbulência da TAM chega ao Congresso

Parlamentar comprou a briga dos mil aeronautas da TAM que devem ser demitidos

Turbulência da TAM chega ao Congresso
Pilotos participaram de reunião com diretores da TAM nesta terça (Fonte: Reprodução/Divulgação)

O presidente da Comissão de Integração Nacional da Câmara dos Deputados, Jerônimo Goergen (PP-RS), comprou a briga dos mil aeronautas da TAM que devem ser demitidos. O parlamentar, que também chefia uma subcomissão que debate o setor aéreo, vai pedir audiência ao ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, na tentativa de levar propostas que revertam pelo menos metade das demissões. Segundo funcionários, a companhia alegou a alta do querosene como um dos motivos. Há meses, o deputado pede ao governo a isenção de alíquotas sobre o produto para aliviar as contas das aéreas.

Leandro Mazzini é escritor e jornalista

Na ‘cabine’

Pilotos participaram de reunião com diretores da TAM ontem à tarde, entre eles o presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Adriano Castanho.

Manche nacional

A despeito da turbulência na TAM, está pronto para votação em plenário na Câmara o Código Aeronáutico. O item que previa contratação de pilotos estrangeiros caiu.

Readequação

Com a fusão com a Lan Chile, a TAM evita a palavra demissão e fala em ‘ajuste de tripulação’, e que é fundamental para a ‘garantir a sustentabilidade do negócio’.

O dia seguinte

A presidente Dilma tem até amanhã para sancionar, vetar em parte ou totalmente o polêmico PLC 3/2013, cujo inciso III fala em ‘profilaxia da gravidez’. Prevê tratamento obrigatório, em hospitais, para vítimas de estupro. Na visão de religiosos e juristas, a proposta, se não for melhor detalhada, abre brecha para o aborto em qualquer caso.

Polêmica geral

O PLC foi revelado pela coluna dia 10 e rendeu repercussão. O Globo trouxe manchete no último dia 22, citando o lobby religioso junto ao ministro Gilberto Carvalho – simpático à Igreja. O médico Dráuzio Varella escreveu artigo na Folha.

Abre portas

Antes da visita dos religiosos, um dos mais notáveis juristas do país, Ives Gandra Martins, visitou o ministro Carvalho, para alertar sobre o imbróglio jurídico no termo ‘profilaxia da gravidez’.

MiniCristo

O cerimonial do governo do Rio presenteou o Papa com uma bela escultura de madeira do Cristo, com o manto esculpido com a imagem das principais igrejas do Rio.

Empacou

O serviço de confecção de carteira de identidade do posto do GDF na rodoviária de Brasília foi suspenso ontem ao meio-dia. Havia 60 pedidos na fila, no momento.

Atra$adão

Praticamente só um ano após a desocupação, começaram as reformas dos três andares do Ministério da Integração, na Esplanada dos Ministérios. A pasta pagará R$ 50 milhões por cinco anos de aluguel num prédio que ocupa desde 2012 na Asa Norte.

Pauta extra

O Governo do DF vai ministrar curso de segurança para jornalistas que fazem ‘cobertura de risco’. Será ministrado por PMs, direcionado a repórteres, fotógrafos e cinegrafistas. Há 60 vagas, e as aulas serão dias 15 e 16 de agosto.

Militância virtual

Em tempos de ‘líderes’ vindos das redes sociais, o PT do Paraná garimpa militantes virtuais. O diretório disparou milhares de e-mails : ‘Você é militante virtual do PT na internet e nas redes sociais? O PT quer conhecê-lo! Cadastra-se’.

Festa espanhola

A ONG Médicos Sem Fronteira comemora a libertação das médicas espanholas Montserrat Serra e Blanca Thiebaut. Elas foram sequestradas há 21 meses na Somália, quando atendiam a feridos da guerra civil. Chegaram a Madri ontem.

Epa, epa

O artigo de Afif Domingos publicado na Folha ontem dividiu a bancada do PSD. O ministro da Micro e Pequena Empresa defendeu o voto distrital.

Acontece

Milagre também na política. José Sarney ficou internado em hospital do Maranhão em vez de correr para o paulista Sírio Libanês. Que passe bem.

Ponto Final

‘Ao contrário do que diz o Papa Francisco, o problema no Brasil é o lobby antigay. Doença é homofobia’.
Frei Beto.

Com Adelina Vasconcelos e Maurício Nogueira

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Esse “frei Beto” precisa levar umas palmadas para aprender a estudar antes de falar.
    O problema no Brasil, que irrita todo o mundo, é o lobby “pró-gayce”. Parece que querem transformar todo o mundo em gay, o que é uma falta de respeito às pessoas que não professam o homossexualismo.
    Além disso, ele deveria ler o artigo de Dom Dadeus Grings sobre HOMOFILIA (Jornal do Comércio de 18 de julho de 2013 – página 26) antes de falar sobre HOMOFOBIA.
    Em tempo: não sou católico nem protestante e muito menos neo-pentecostal.

  2. Miguel Meira disse:

    “Praticamente só um ano após a desocupação, começaram as reformas dos três andares do Ministério da Integração, na Esplanada dos Ministérios. A pasta pagará R$ 50 milhões por cinco anos de aluguel num prédio que ocupa desde 2012 na Asa Norte.”
    Tendo esta notícia como verdadeira, considero crime lesa pátria este que é cometido pelo ministro picareta, safado e sem vergonha que impõe um prejuízo desta monta ao povo brasileiro por ser burro e não pensar antes de fazer o que seja. Cadeia nele e se bobear lá na PQP.

  3. Wellington Gomes disse:

    Por que os discursos pró e a favor da homossexualidade têm que ser tão inflamados e partir para a radicalidade? A posição religiosa sempre foi firmada no sentido de que se sentir atraído por pessoas do mesmo sexo não é pecado, mas sim os atos homossexuais e que o proselitismo pela realização de atos homossexuais é que é imoral. Só que, desde a globalização e a massificação de tudo, até das opiniões, tudo tem que ser rotulado, e aí tudo descamba para o radicalismo: “A religião é contra os gays!”, diz a imprensa massificada; e a réplica, também de massa, vem como “A imprensa quer instalar a ditadura gay!”. Gente, há que haver uma ponderação. Opiniões divergentes sempre haverão; por que as religiões têm que aceitar a opinião da imprensa e por que a imprensa tem que aceitar a da religião? Não dá para cada um ter uma opinião divergente sem difamar a posição dos outros. Falta respeito. E creio que, por ser de massa, a imprensa é que tem que tomar a dianteira na disseminação desse respeito.

    Por exemplo: ninguém quer instaurar a cura gay, nem fazer proselitismo para isso. Primeiro, porque é aético e passível de punição psicólogos fazerem propaganda; segundo porque não é possível CURAR gays (no sentido de fazê-los, com eficácia garantida, sentirem atração pelo sexo oposto) por tratamentos psicológicos, mas apenas ajudá-los com orientações para não mais realizar atos homossexuais. Isto é possível porque ninguém É gay – o próprio Dráuzio Varella, em seu artigo, diz que há prevalência de orgasmos com ambos os sexos, o que faz com que a excitação sexual dependa apenas do estímulo, podendo este ser por um sexo ou outro, o que nos permite dizer que ninguém É gay, mas apenas FAZ atos homossexuais, e estes são passíveis de ajuda por um psicólogo, que pode orientar aos que assim o queiram a não realizar mais tais atos de forma que não haja um grande choque por isso. E quem é que pode criticar tais psicólogos?

    Óbvio que o CFP vai se posicionar contra a “cura gay”, porque não há cura gay. Não há quem pergunte sobre este tipo de auxílio psicológico… Quem quer ser gay que seja! E quem não quer não pode procurar ajuda? Pode haver pessoas apoiando os comportamentos homossexuais mas não pode haver quem não apoie? Pois é isso que transparece ao se utilizar expressões pejorativas como “ser contra os gays” ou “querer a cura gay”. Por favor, sejamos responsáveis e respeitemos as opiniões uns dos outros, pois a de ninguém está acima das outras.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *