Início » Brasil » Uber rejeita proposta de Haddad
SÃO PAULO

Uber rejeita proposta de Haddad

Além de chamarem a nova lei de 'notoriamente inconstitucional', eles afirmaram que a companhia vai continuar operando normalmente em São Paulo

Uber rejeita proposta de Haddad
Dentro da nova categoria, os carros deveriam ser pretos e não poderiam ter mais de cinco anos, além de só estarem disponíveis pelo aplicativo (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A empresa Uber rejeitou a proposta do prefeito Fernando Haddad de São Paulo que iria legalizar o serviço de caronas pagas na capital paulista. Na última quinta-feira, 8, o prefeito disse que iria assinar um projeto de lei que estabeleceria apreensões de veículos e multas aos motoristas de serviços de carona pagas não autorizadas, uma categoria que inclui Uber. Ao mesmo tempo, ele prometeu autorizar 5 mil motoristas em uma nova categoria chamada “táxis pretos”, oferecendo um caminho para muitos dos motoristas de Uber para trabalhar legalmente.

Dentro da nova categoria, os carros deveriam ser pretos e não poderiam ter mais de cinco anos, além de só estarem disponíveis pelo aplicativo. Os motoristas teriam de pagar uma licença ainda não determinada. Entretanto, a empresa rejeitou a proposta dizendo que eles não são uma companhia de taxi e que, por isso não pertencem a nenhuma categoria deste tipo de serviço. Além de chamarem a nova lei de “notoriamente inconstitucional”, eles afirmaram que a companhia vai continuar operando normalmente em São Paulo.

Ainda na quinta-feira, o prefeito disse que ele iria formar um “grupo de estudo” para propor regulamentações para “novos serviços de transporte”. A Uber, por sua vez, disse que está esperando por estas propostas.

No último domingo, 4, a Uber anunciou nos dois principais jornais de São Paulo que prometia criar tantos empregos no Brasil quanto cinco fábricas novas de carros.  A empresa também está oferecendo seus serviços no Rio de Janeiro, apesar de o prefeito ter assinado uma lei que bania o serviço no mês passado.

 

Fontes:
The New York Times-Uber Rejects Proposal That Would Legalize Its Service in Brazil’s Largest City

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Antonio Marques disse:

    A Uber passando por cima da Soberania do Estado e ainda age na esferea do judiciário dizendo que as leis são inconstitucionais. Até quando o poder público ficará apenas olhando?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *