Início » Brasil » Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil
LEVANTAMENTO DO G1

Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil

Número de mulheres vítimas de homicídio aumenta no país, aponta levantamento feito pelo portal G1

Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil
Foram ao todo 4.473 homicídios dolosos, sendo 946 feminicídios no ano passado (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Um levantamento feito pelo portal G1 revelou que houve um aumento de 6,5% no número de mulheres vítimas de homicídio no país no ano passado em relação a 2016. Foram ao todo 4.473 homicídios dolosos, sendo 946 feminicídios (crime de ódio baseado no gênero).

Isso significa que, em média, 12 mulheres são assassinadas por dia no país, ou uma mulher a cada duas horas. O levantamento foi baseado em dados oficiais dos estados relativos a 2017 solicitados via Lei de Acesso à Informação. Como alguns estados ainda não divulgaram os números do ano passado, a estatística pode ser ainda maior.

Em entrevista ao portal G1, Samira Bueno e Juliana Martins, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ressaltaram que, “se considerarmos o último relatório da Organização Mundial da Saúde, o Brasil ocuparia a 7ª posição entre as nações mais violentas para as mulheres de um total de 83 países”.

Ainda de acordo com o levantamento, o Rio Grande do Norte é o estado que apresenta o maior índice de homicídios contra mulheres: 8,4 a cada 100 mil. Já Mato Grosso é o estado com a maior taxa de feminicídio: 4,6 a cada 100 mil.

Os números são preocupantes e revelam não apenas o aumento da violência contra mulheres, mas também mostram também uma clara subnotificação nos casos de feminicídio.

Alguns estados não têm estatísticas do feminicídio por conta de “dificuldades técnicas” e “falta de transparência”. Em Rondônia, por exemplo, não é feito nem mesmo uma distinção por gênero quando são analisados os números de homicídios dolosos.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Carlos Valoir Simões disse:

    Não entendo essas feministas, a argumentação delas é muito fraca. Vejamos: se morreram 4.473 mulheres no ano passado e a taxa de homicídios no país foi algo em torno de 60 mil, então é mais seguro ser mulher. Já tentei ajudar algumas ativistas propondo aulas de lógica, mas elas não aceitam.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *