Início » Brasil » Termelétricas operam a 99,6% da capacidade de produção
energia

Termelétricas operam a 99,6% da capacidade de produção

O nível dos reservatórios estão baixos, porém estáveis, mas a demanda não para de crescer

Termelétricas operam a 99,6% da capacidade de produção
Termelétricas estão disponibilizando 17.442 megawatts de um total de 17.500 megawatts disponíveis (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Com a insistente baixa dos reservatórios e a previsão do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) de alta de 7% no consumo de energia para março, as usinas termelétricas estão programadas para alcançar 99,6% de sua capacidade de produção de energia nesta semana. Entre os dias 8 e 14 de março serão usados 17.442 megawatts, de um total de 17.500 megawatts disponíveis.

Segundo o Programa Mensal de Operação (PMO), uma frente fria, que deve gerar uma chuva fraca no Sudeste e no Centro Oeste esta semana, aumentará o nível dos reservatórios das regiões. Por outro lado, a chuva só deve chegar à região Sul no final da semana. O nível das usinas na última semana não apresentou grandes mudanças, com os reservatórios do Sul, Sudeste e Nordeste com menos de 50% de sua capacidade aproveitada.

A maior preocupação é com a chegada de abril, que encerra o período das chuvas, e com a demanda, que continua aumentando. O PMO destaca a expectativa de aumento de 23,2% no consumo da região Norte em março em relação ao ano passado, já que a região passou a fornecer energia para outras regiões. No caso das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Centro-Sul, a taxa de crescimento no consumo prevista é de 5,6% graças à uma alavancada na indústria. No Sul, a expectativa de aumento do consumo é de 9,2%.

Os ministérios de Minas e Energia e da Fazenda anunciaram que o Tesouro Nacional investirá R$ 1,2 bilhão na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para cobrir as despesas com a utilização maciça das usinas térmicas.

Este valor não cobre todos os gastos com energia, que bateu um recorde de R$ R$ 822,83 o MW por hora, de acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.A discussão sobre o que fazer, segundo um técnico da Conta de Desenvolvimento Energético, inclui a possibilidade de repasse para o consumidor que, até agora, vem sendo poupado pelos subsídios do governo.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *