Início » Brasil » Vaquejada e aborto. Que país é este?
COLUNA ESPLANADA

Vaquejada e aborto. Que país é este?

'A vaquejada é proibida, mas a morte de seres humanos até o terceiro mês é permitido', ironiza Dom Odilo Scherer, o arcebispo de São Paulo

Vaquejada e aborto. Que país é este?
Em nota, a CNBB apela à Nossa Senhora para que 'interceda pelos nascituros' (Fonte: Reprodução/Reuters)

Não convidem para a mesma mesa de jantar os ministros do STF e a cúpula da Igreja Católica. A decisão da Corte de permitir o aborto até o terceiro mês dividiu as duas principais instituições brasileiras. Em meio a uma campanha nas redes sociais contra a descriminalização da prática de aborto, Dom Odilo Scherer, o arcebispo de São Paulo, é irônico no Twitter. “A vaquejada é proibida, mas a morte de seres humanos até o terceiro mês é permitido”. E pergunta: “Que país é este???”. Assim mesmo, com três pontos de interrogação. Em nota, a CNBB apela à Nossa Senhora para que “interceda pelos nascituros”.

Troca de papéis

Na Câmara, os evangélicos criaram uma comissão que promete confrontar os ministros. Alega-se que o Supremo resolveu legislar no lugar do Legislativo.

Patinho feio

O deputado Pauderney Avelino (Dem-AM) foi provocado por outros líderes partidários. Seria ele o único arrependido por indicar o relator das medidas contra a corrupção.

Chuveiro

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) também não poupou o deputado Onyx Lorenzonzi (Dem-RS). “É um Lorenzetti”, em alusão à tradicional fábrica de chuveiros.

Duas noivas, um casamento

Braço direito do ex-presidente no Palácio do Planalto, o ex-ministro Gilberto Carvalho confidenciou que Lula da Silva animou-se para assumir a presidência do PT, hoje em frangalhos. Mas está muito mais animado em ser candidato à Presidência da República em 2018. “Ele está viajando pelo Brasil”, resumiu Carvalho.

Conhecimento é tudo

Trinta pesquisadores vão estudar por 20 dias a água, o fundo do Atlântico e sua relação com a atmosfera em viagem no navio de pesquisa Vital de Oliveira. A embarcação zarpou nesta quinta sob os auspícios da Universidade Federal do RJ.

Persona non grata

O deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) quer tirar o título de Mérito Legislativo concedido a Guilherme Boulus, do MTST, entidade acusada de depredar a Esplanada dos Ministérios.

Que feio

As assessorias do Planalto e de Lula da Silva estão antecipando para a imprensa pautas exclusivas pedidas pelos jornalistas.

Aqui e lá

O povo colombiano que emocionou o Brasil com as homenagens à Chapecoense, ainda sofre com a guerrilha de 50 anos. Ontem, uma menina quase morreu quando brincava com uma granada.

Los hermanos

Para evitar mais sofrimento às famílias, o Departamento de Medicina Legal da Colômbia fez a identificação dos 71 corpos em tempo recorde. Os brasileiros agradecem.

Efeito borboleta

A Operação Zelotes, que mirou ontem o Itaú Unibanco e o Bank Boston, provocou “prejuízos” também no Banco do Brasil e Bradesco. Somadas com a queda dos papéis do Itaú Unibanco, as perdas na Bovespa chegaram a R$ 9,3 bilhões.

Ironia

Mesmo sendo o alvo, o Itaú Unibanco foi o menos penalizado, segundo o Infomoney. Suas ações tiveram queda de quase 5%. A Polícia Federal buscou documentos relativos a processos tributários.

Virou fumaça

O Governo Temer garantiu que não aumentaria impostos, mas mordeu a língua. E ri da sociedade. Aumentou o imposto (de novo) dos cigarros em 7%. Quem deu aval foi o secretário da Receita, Jorge Rachid, que terá de inventar uma desculpa para o chefe.

No crédito

Não está fácil pra ninguém. Em Belo Horizonte, prostitutas fecham acordo com a Caixa. Clientes podem parcelar o valor dos programas.

Olhar 43

Para o senador Roberto Requião (PMDB-PR) o “abuso de poder é o que sofre o povo ingênuo nas mãos de otoridades’. Todas ‘otoridades”. Então tá.

Ponto Final 

“Dia 29 foi um dia sombrio para a história brasileira. Vândalos destruíram automóveis de funcionários e provocaram baderna na Esplanada dos Ministérios”, do senador Lasier Martins (PDT-RS), sobre o “badernaço” anti-PEC 55 na terça-feira, 29.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Significa dizer que, na lógica dos nossos guardiões da Constituição, uma vaca pode valer mais que um ser humano. Mas há um precedente (e juristas adoram precedentes), na Índia as vacas são sagradas.

  2. Fernando Oliveira disse:

    Estão misturando as coisas, quem tem que dá opinião sobre aborto é mulher, não a igreja nem tão pouco o homem !!, falando em igreja, nunca na historia do ser humano se matou tanta gente em nome de Deus e até hoje !!

  3. ceiça alles disse:

    Em primeiro lugar, ser humano é uma mulher (que, eventualmente, não quer ter um filho) e não um embrião que em pouco supera um óvulo ou um espermatozóide como ser; em segundo, um embrião deve ter um sofrimento ínfimo comparado ao stress por que passa o pobre animal da vaquejada por um longo período. E, é claro, lá vem o antropocentrismo…

  4. Ludwig Von Drake disse:

    Não apenas a mulher deve opinar sobre o aborto, mas toda a sociedade, que, ao final – com ou sem aborto -, é quem pagará a conta.

  5. Beraldo disse:

    Algumas diferenças entre o Senador Magno Malta e uma vaca:

    . Ela não sabe a força que tem, dentro ou fora do curral,
    . Ele que acha que tem força, dentro do “curral”,
    . Ela serve a humanidade de muitas formas, até com seu estrume,
    . Ele não serve pra nada, é um estrume imprestável,
    . Ela irracional não tem como evitar a exploração das suas tetas e
    . Ele racional, vive agarrado às tetas de um polpudo cargo.

    Entre ele e um jumento, também diferenças, exceto o relincho.

  6. Artaxerxes dos Santos disse:

    Sua Eminência deve sim manifestar-se contra o aborto, ao mesmo tempo deveria deixar as vacas em paz quanto ao espetáculo de tortura da vaquejada.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *