Início » Brasil » Venezuelanos passam por novo processo de interiorização
TRANSFERÊNCIA

Venezuelanos passam por novo processo de interiorização

Ao todo, 69 pessoas serão levadas para Igarassu (PE), 50 para o Rio de Janeiro (RJ) e 45 para Conde (PB)

Venezuelanos passam por novo processo de interiorização
Cidades participarão pela primeira vez do processo de interiorização (Foto: Divulgação/Casa Civil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Mais 164 venezuelanos que estão em Roraima serão transferidos para outras cidades nesta terça-feira, 3. Os requerentes de refúgio serão “interiorizados” para os municípios do Rio de Janeiro (RJ), Igarassu (PE) e Conde (PB).

O processo, chamado de interiorização, tem sido feito para proporcionar uma melhor condição de vida para os migrantes que fogem da crise econômica, política e humanitária que assola o seu país de origem. Ademais, é uma forma de desafogar o município de Boa Vista (RR), que reúne milhares de requerentes ao refúgio.

Todos os inscritos no processo de interiorização passam por uma sessão de orientação sobre as cidades de destino, fazem exames médicos, são imunizados e recebem suporte nos municípios onde são abrigados. Ao todo, 69 pessoas serão levadas para Igarassu, 50 para o Rio de Janeiro e 45 para Conde.

Durante os meses de abril e maio, as cidades de São Paulo (SP), Cuiabá (MT) e Manaus (AM) receberam 527 venezuelanos. Segundo um balanço divulgado, em maio, pelo Comitê de Assistência Emergencial aos Imigrantes Venezuelanos, do Ministério do Desenvolvimento Social, 566 pessoas já haviam sido transferidas até as últimas semanas do mês, com a previsão de interiorização de mais 500 venezuelanos nas semanas seguintes.

Agora, será a vez de Igarassu, Rio de Janeiro e Conde participarem, pela primeira vez, do processo de acolhimento dos venezuelanos. Na cidade pernambucana e no Rio de Janeiro, os abrigos são administrados pela Organização Não Governamental (ONG) Aldeias Infantis SOS, enquanto o de Conde é mantido sob a responsabilidade do Serviço Pastoral dos Migrantes.

Os abrigos da Aldeia Infantis SOS receberão famílias com crianças e adolescentes, além de mulheres solteiras ou grávidas. Já o de Conde vai receber, prioritariamente, homens e mulheres entre 18 e 30 anos, além de famílias.

Além dessas entidades, outras organizações estão envolvidas no processo de interiorização dos venezuelanos. A Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), por exemplo, identifica os migrantes que têm interesse em participar da iniciativa. Já a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) garantem que as pessoas possam estar perfeitamente informadas antes de tomar uma decisão.

Enquanto isso, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) tem organizado seminários com a iniciativa privada para estimular que os empresários contratem trabalhadores venezuelanos para ajudar na inserção dos migrantes na sociedade brasileira.

 

Leia também: Senado aprova apoio a venezuelanos em Roraima
Leia também: Mais de 100 venezuelanos são levados para São Paulo
Leia também: Venezuelanos seguem migrando em busca de melhores condições

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *