Início » Brasil » ‘Vitória da tese de crime político’
Caso Celso Daniel

‘Vitória da tese de crime político’

Marcos Roberto Bispo dos Santos foi condenado a 18 anos de prisão por participação no assassinato do ex-prefeito petista de Santo André

‘Vitória da tese de crime político’
Promotor Francisco Cembranelli durante o julgamento (Fonte: Agência Estado)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O promotor Francisco Cembranelli conseguiu nesta quinta-feira, 19, a condenação do primeiro réu do caso Celso Daniel que foi a júri popular.

Marcos Roberto Bispo dos Santos foi condenado a 18 anos de prisão por participação no assassinato do ex-prefeito petista de Santo André, em 2002. Cembranelli considerou a sentença uma “vitória da tese de crime político defendida pelo Ministério Público de São Paulo”.

Corrupção abastecia campanhas do PT

Bispo foi condenado à revelia, sem a sua própria presença no tribunal, porque não foi encontrado para receber a intimação. Cembranelli disse que, no julgamento dos outros réus, continuará sustentando a versão do MP. Os advogados de defesa insistem na tese de crime comum, defendida pela polícia.

O promotor sustenta que Celso Daniel foi morto porque passou a ser considerado um obstáculo a um esquema de corrupção em Santo André que abastecia contas pessoais e caixas de campanha do PT com dinheiro público.

PT reage a promotor

Cembranelli disse que o dinheiro desviado da prefeitura de Santo André chegou a “patrocinar”, inclusive, uma campanha presidencial de Lula.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, reagiu às declarações de Cembranelli dizendo que o promotor terá que apresentar provas das suas afirmações sobre o partido, “sob o risco de ele ter que responder judicialmente pelas suas acusações.

Leia mais:

Promotor do caso Celso Daniel acusará PT

As novas estranhezas do caso Celso Daniel

Crimes relacionados ao PT seguem sem esclarecimento

Fontes:
Jornal Nacional - Condenado o primeiro dos sete acusados pela morte do prefeito Celso Daniel
Último Segundo - Promotor diz que júri é 'vitória da tese de crime político' do MP

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Edson disse:

    Depois falam mal do regime militar que tratou todo este povo que hoje está nos roubando a ferro e fogo. A política é podre, só Deus sabe o que rola nos esgotos da política. O homem que é capaz de desviar dinheiro que seria usado em hospitais, escolas e em beneficio do ser humano que o paga para administrar estas verbas, não é melhor que o pior bandido. Não dúvido que seriam capaz de qualquer coisa.

  2. Markut disse:

    A tese do crime político, contrariando a insistente defesa em qualificar como crime comum, nunca será acatada com serenidade pela máfia montada nos altos escalões governamentais. Haja telhado de vidro!

  3. Carlos U. Pozzobon disse:

    Pela quantidade de mortos que foram testemunhas de conversas, encontros, etc, não há dúvida que existe uma organização subterrânea neste caso: as eliminações foram feitas para apagar provas. Embora esteja em julgamento apenas Celso Daniel, o número de homicídios envolvidos indiretamente vai a 5 ou 6 pessoas. Como estes outros serão julgados?

  4. helio (rio de janeiro) disse:

    O suicídio do legista que comprovou a morte não imediata e a tortura foi das 11 mortes a mais estranha. O jovem que confessou o crime por assalto foi preso, fugiu e morreu. Cruzes.

  5. Paulo Fernando disse:

    O Promotor Cembranelli disse que, no julgamento dos outros réus, continuará sustentando a versão do MP.

    Este nobre defensor que tem até agora tem dado prova de excelente trabalho, nesse ínterim pelo andar da carruagem, está sujeito a enfrentar grande dificuldade no seu trabalho com enfrentamento ou interesse de ordem político e jurídicos. A expectativa é que ele saia vitorioso.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *