Início » Brasil » Voto aberto, uma obrigação democrática
Fim do voto secreto

Voto aberto, uma obrigação democrática

Aprovação no Senado do voto aberto em casos de cassação é uma pequena dose de adrenalina que se injeta em favor da desejada transparência democrática

Voto aberto, uma obrigação democrática
Manifestação pelo voto aberto no Congresso Nacional (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A PEC 86/97, que trata do fim do voto secreto quando se estiver diante de processo de cassação, foi aprovada nesta quarta-feira, 4, no Senado e será apresentada na Câmara.

Essa salutar aprovação é uma pequena dose de adrenalina que se injeta em favor da desejada transparência democrática. O pífio argumento de que o voto secreto protegeria o político para que vote por sua consciência é aleivoso e sem qualquer sustentação.

Político é eleito para representar os eleitores ou o estado que o elegeu. Não há como cogitar-se democrático um país que tem suas decisões tomadas por políticos profissionais sem que a sociedade possa fiscalizar a fidedignidade da atuação de seus escolhidos. A opacidade política é a arma maior dos Estados despóticos que reverberam pelo isolamento social das decisões políticas mais importantes. Sem transparência não se controla moralidades e com opacidade se perpetram impunidades, fato inelutável.

O voto aberto é uma forma de diminuir os efeitos perniciosos do corporativismo. Para que telhados de vidro não sejam quebrados um par protege o outro, e a cumplicidade é formada. É no voto secreto que se disseminam as corrupções, os tráficos de influências, onde os interesses dos eleitores, em grande parte conectados ao interesse público, são pulverizados pelos interesses privados.

Políticos que de forma ardil dissimulam seus votos para agradar A ou B terão que prestar contas à sociedade e a quem mais venha contrariar. Ser político é conviver com o dever da transparência. Não se admite em um Estado democrático de direito que o representante de um estado ou de parcela de uma sociedade escamoteie suas decisões de forma a deixar a sociedade às escuras de um melhor discernimento, às escuras da consciência de ter escolhido como representante um ser humano ou um rato de esgoto.

É uma constante luta que a sociedade deverá travar para reduzir o campo de atuação do sistema que se utiliza da falta de transparência para escambiar impunidades. O voto secreto é apenas o granulado de um brigadeiro que deve ser devorado pela sociedade, digerido com gosto e com aquele sentimento de “quero mais”. Nossa democracia convive com lacunas que comprometem seu melhor êxito e que devem ser extirpadas de nosso ordenamento para o seu sadio funcionamento. O ócio social é o fermento que faz a massa da pizza crescer para que sejam arremessadas em nossas caras sem que nós possamos identificar os autores do disparo. Essa ignorância que emana desse sistema sujo e opaco só irá cessar através da luta pelos pilares da democracia, e uma deles é inelutavelmente o voto aberto.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Lilian disse:

    Belas colocações. Ainda não tinha visto nada que prestasse, apenas notícias sem opiniões ou de opiniões sem qualidade. Parabéns ao Sarmento e ao site.

  2. Maurico Fernandez disse:

    Sarmento você está correto. Agradecemos pela matéria muito bem elaborada e que nos oferece uma visão sem equívocos. Assim cumprimentamos o site que tudo fez possível. Puxa, quase ia esquecendo da Lilian que passou uma carraspana em todo mundo que opina aqui. A última coca-cola do deserto ou a última bolacha do pacote mudaram de nome……

  3. Lilian disse:

    Acho que não fui bem clara. Entrei no site, pois vi no twitter link sobre o assunto. Nunca havia visitado. Quando falei que não tinha visto nada que prestasse falei do que li do tema (voto aberto). Desculpe se não fui tão clara e provoquei dor. rs

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *