Início » Brasil » Voto de desconfiança
COLUNA ESPLANADA

Voto de desconfiança

Auditores-Fiscais vão decidir em assembleia a suspensão das atividades e um voto de desconfiança para a cúpula da Receita Federal

Voto de desconfiança
No voto de desconfiança estão incluídos superintendentes, coordenadores e subsecretários (Foto: EBC)

Os Auditores-Fiscais vão recrudescer mais a paralisação que promovem, desde novembro, pela regulamentação do bônus de produtividade e eficiência. Segunda-feira, 15, começa assembleia nacional que decidirá a suspensão total das atividades por tempo indeterminado. Também deve passar um voto de desconfiança para a cúpula da Receita Federal, sobretudo para o secretário Jorge Rachid. Nesse voto de desconfiança estão incluídos superintendentes, coordenadores, subsecretários, dos quais serão exigidas renúncia e exoneração de função.

À altura

À Coluna, Cláudio Damasceno, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) afirma que se o governo quer medir forças, encontrou um adversário à altura: “Estamos parados há dois meses, podemos ficar mais dois, três, quanto for necessário”.

Vips

O deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) quer saber da Receita Federal sobre suposto tratamento diferenciado que estaria sendo concedido às Pessoas Politicamente Expostas (PPE).

Malha fina

Em requerimento de informação protocolado na Receita, o parlamentar questiona a quantidade de pessoas que fariam parte dessa lista e quantas caíram na malha fina nos últimos cinco anos.

Desgaste

A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) garante que não há “a menor hipótese” de desistir de assumir o Ministério do Trabalho. À Coluna, diz que “vem sofrendo um desgaste desnecessário, em parte por ser jovem e mulher, que será revertido com as decisões que tomará à frente do MTE”.

PT x Globo

Já está na corregedoria-geral da Justiça Eleitoral a representação do PT contra a Globo, Luciano Huck e Faustão que, na visão do partido, “lançaram a campanha do apresentador ao Planalto”. A representação passou direto pelo ministro Tarcísio Vieira, responsável pelo plantão de férias na corte.

Corregedor

Isso porque o PT não faz nenhum pedido de liminar e quer que o caso seja analisado pela corregedoria. O corregedor, no entanto, é o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, o mesmo que absolveu a chapa Dilma/Temer em julgamento do TSE em 2017.

Censura

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) acusa a Embrapa de “censura autoritária” ao criticar a demissão do pesquisador Zander Navarro.

Artigo

Navarro foi demitido na segunda-feira, 8, após escrever artigo no qual questiona os rumos da Embrapa e critica o presidente da estatal, Maurício Lopes. Para Cristovam, a decisão da empresa “inibe a inteligência institucional”.

Revés

O Governo iniciou o ano colecionando reveses na Justiça. Além das decisões que impedem a posse da deputada Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho, o juiz de Recife, Carlos Kitner, derrubou – por meio de liminar – a Medida Provisória que abre caminho para a privatização da Eletrobras.

Recurso

A Advocacia-Geral da União irá recorrer da decisão. Diretor do Sindicato dos Urbanitários, Íkaro Chaves, afirma que, mesmo que em caráter liminar, a decisão sinaliza que a “Justiça brasileira não vai ficar parada diante de mais esse ataque ao patrimônio público”.

Sapo Barbudo

Entre os atos Brasil afora em defesa do ex-presidente Lula, o PT e movimentos sociais promovem no sábado, 13, em Recife, o bloco batizado de “Troça Carnavalesca Sapo Barbudo”.

Teatro

Leandro Bellini, responsável por dezenas de projetos culturais, ocupará a cadeira de Produção no curso superior de Teatro que será implantado este ano pela Cesgranrio, por iniciativa do presidente da faculdade, Carlos Alberto Serpa.

Ponto Final

“Ainda estou por ver alguém enriquecer honestamente com salário de servidor público”.

Do senador João Capiberibe (PSB-AP)

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Markut disse:

    Quanto à afirmação do ilustre senador,falta ainda caracterizar melhor quem é “servidor público” de “quem se serve do público”.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *