Início » Brasil » Witzel nomeia réu em três ações penais para secretaria em Brasília
RIO DE JANEIRO

Witzel nomeia réu em três ações penais para secretaria em Brasília

Denunciado pelo MPF pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e desvios de bens públicos, André Moura será representante do estado do Rio em Brasília

Witzel nomeia réu em três ações penais para secretaria em Brasília
André Moura terá a função de captar verbas federais (Foto: Agência Senado/Agência Brasil)

O ex-deputado federal André Luís Dantas Ferreira – conhecido no meio político como André Moura – foi nomeado para chefiar a recém-criada Secretaria Extraordinária de Representação do Governo do Rio em Brasília.

A escolha foi feita pelo governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). De acordo com a assessoria do governo, a função da Pasta é auxiliar na captação de verbas federais.

O Rio já tinha um escritório no Distrito Federal, que era ligado à Casa Civil. Com a atualização, Witzel passou a ter 21 secretários.

André Moura responde a três ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) de formação de quadrilha e peculato pela apropriação e desvios de bens públicos na cidade de Pirambu, no Sergipe, cidade da qual foi prefeito entre 1997 e 2004.

As investigações tiveram início após o sucessor de André Moura na prefeitura de Pirambu, Juarez Batista, decidir denunciar os crimes ocorridos no município. Embora tenha sido eleito com o apoio de Moura, Juarez Batista não só confessou participação nas fraudes, como incriminou o antecessor.

A procuradora-geral Raquel Dogde afirmou que uma das ações penais contra André Moura é referente a uma acusação de fraude sobre uma compra de alimentos teoricamente realizada pelo município, feita para abastecer a casa do político e também de outros parentes. De acordo com Dogde, André Moura “liderou a quadrilha” nos primeiros anos da gestão de Juarez até 2007, quando Juarez resolveu denunciar o esquema.

Em outros processos, as acusações são decorrentes de uso ilícito de linhas telefônicas públicas e utilização de carros e serviços de servidores públicos em benefício próprio.

De acordo com informações da coluna de Ancelmo Gois, Witzel assumiu o mandato como governador do Rio com a promessa de “tolerância zero com a corrupção”.

Witzel ressaltou que André Moura não foi condenado por nenhuma das ações, e que as mesmas ainda precisam ser julgadas pelo STF. “O secretário não possui condenação e está se defendendo nas instâncias superiores”, afirmou Witzel.

A assessoria do novo secretário também ressaltou que Moura enviou um “nada consta” ao Globo, e que já foi inocentado das denúncias no Superior Tribunal de Justiça, além de também ter sido inocentado no Tribunal de Justiça do Sergipe. Anteriormente, André Moura foi líder do governo de Michel Temer na Câmara.

Fontes:
O Globo - Witzel nomeia réu em três ações penais para nova secretaria em Brasília

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *