Início » Brasil » Youssef acusa Aécio de ter recebido propina de contratos de Furnas
CPI da Petrobras

Youssef acusa Aécio de ter recebido propina de contratos de Furnas

Em nota, PSDB afirmou que 'referências feitas ao senador Aécio Neves são improcedentes'

Youssef acusa Aécio de ter recebido propina de contratos de Furnas
Senador Aécio Neves é o atual presidente do PSDB (Fonte: Reprodução/George Gianni/Agência Brasil)

Em depoimento nesta terça-feira, 25, na CPI da Petrobras, o doleiro Alberto Youssef acusou o senador Aécio Neves de ter recebido propina de contratos de Furnas quando ainda era deputado federal.

“Confirmo (que Aécio recebeu dinheiro de corrupção) por conta do que escutava do deputado José Janene, que era meu compadre e eu era operador dele”, afirmou Youssef, que falou a parlamentares durante acareação com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Em nota, o PSDB afirmou que “as referências feitas ao senador Aécio Neves são improcedentes e carecem de quaisquer elementos que possam minimamente confirmá-las […] Não se tratam de informações prestadas, mas, sim, de ilações inverídicas feitas por terceiros já falecidos, a respeito do então líder do PSDB na Câmara dos Deputados, podendo, inclusive, estar atendendo a algum tipo de interesse político de quem o fez à época”.

Ainda de acordo com a nota divulgada pelo PSDB, “diante da pressão de deputados do PT, Youssef repetiu a afirmativa feita meses atrás: de que nunca teve qualquer contato com o senador Aécio Neves e de que não teve conhecimento pessoal de qualquer ato, tendo apenas ouvido dizer um comentário feito por um terceiro já falecido (José Janene)”.

Fontes:
Último Segundo - Aécio recebeu propina de contratos de Furnas, afirma Youssef

2 Opiniões

  1. ney disse:

    Essas denuncias são verídicas,

  2. Carlos U Pozzobon disse:

    Esta tática tem sido desmascarada cotidianamente nas redes sociais. Quando se conhece que a corrupção bolivariana não é apenas pecuniária, mas estratégia política e corrupção moral, que consiste em acusar os adversários dos mesmos delitos que praticam para que não sejam beneficiários políticos e assim consigam sobrevier pelo nivelamento de todos nos mesmos crimes, a acusação recai contra figuras mortas, que não podendo desmentir, ficam culpadas postumamente devido a abominável reputação do declarante, no caso o ex-deputado Janene. Qual a importância do testemunho de Yousseff sobre um fato de que ele ouviu falar de um morto? Praticando tantos atos ilícitos, com uma ficha criminal diária de lavagem de dinheiro, o “ouvir falar” de um cadáver pode ter alguma credibilidade? Ou se trata de buscar uma neutralidade, um desengajamento do PT e incluir seus adversários para se mostrar um agente útil a disposição de novos “encargos”? Se o chefe da organização criminosa permanecer solto, certamente que estes agentes algum dia vão obter a anistia que lhes permitirá voltar a vida ativa. E quanto mais tempo a organização criminosa levar para ser desbaratada, quanto maior são os tentáculos da operação Lava Jato, maior será o zelo com que as figuras da oposição precisam usar para preservar sua saúde. Outro oposicionista falecido, o ex-senador Sérgio Guerra, também foi premiado postumamente como recebedor de propina para barrar a primeira CPI da Petrobras, aquela em que o PT mobilizou escancaradamente a base aliada para dar um basta as pretensões do PSDB de investigar. E, no entanto, passado alguns anos, eis que o próprio PSDB se torna o culpado pela impossibilidade de o Congresso ter estancado a sangria da Petrobras em tempo. Esse tipo de notícia demonstra apenas o nível de frangalhos de nossas instituições.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *