Início » Cultura » Eça de Queirós
NESTA DATA

Eça de Queirós

No dia 25 de novembro de 1845, nasceu o famoso escritor português

Eça de Queirós
Eça foi grande mestre do romance português moderno (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O romancista José Maria Eça de Queirós, nasceu em Portugal no dia 25 de novembro de 1845. É uma referência literária em todo o mundo, o grande mestre do romance português moderno e certamente o mais popular entre os escritores de Portugal do século 19.

Foi diplomado em Direito pela Universidade de Coimbra e chegou a trabalhar como advogado durante um tempo em Lisboa, no entanto foi na literatura que se destacou cada vez mais.

Eça fundou e dirigiu o jornal político de oposição Distrito de Evora. Em 1867, passou a fazer parte do grupo Cenáculo – composto por intelectuais como Salomão Saragga, Jaime Batalha Reis, Augusto Fuschini, Ramalho Ortigão, Oliveira Martins e José Fontana – e responsável por desencadear o movimento realista em Portugal.

Vivendo em uma época em que os movimentos reivindicatórios socialistas adquirem força e influenciam a arte, esse grupo procurou apresentar produções artísticas comprometidas com a transformação social.

A estréia literária de verdade do escritor aconteceu em 1866, quando teve seu primeiro texto publicado no jornal Gazeta de Portugal. Nessa época, publicou também seus primeiros versos na revista Revolução de Setembro, com o pseudônimo de Carlos Fradique Mendes – conhecido como o poeta satânico – e que supostamente era uma pessoa com quem se correspondia. Ao longo de sua vida, atuou como colaborador de inúmeros periódicos.

Em 1874, publicou o conto Singularidades de Uma Rapariga Loura, no brinde aos assinantes do Diário de Notícias. No ano seguinte, publicou seu romance O Crime do Padre Amaro na Revista Ocidental e concluiu O Primo Basílio. Em 1887, publicou A Relíquia, que ganhou o Prêmio D. Luís da Academia Real das Ciências. Em 1888, foi nomeado cônsul em Paris e publicou Os Maias.

Eça de Queirós teve vários textos seus adaptados para teatro, cinema e TV. Uma minissérie da TV Globo, exibida em 2001, também se baseou em livro dele: Os Maias. No ano do centenário de sua morte, foram lançados os dois últimos volumes de sua obra completa, editada pela Nova Aguilar num total de quatro volumes.

Eça morreu no dia 16 de agosto de 1900, em Paris, na França.

Fontes:
BrasilEscola-Eça de Queirós

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Raisa disse:

    Revolucionou a literatura da Lingua Portuguesa…

  2. Daniel disse:

    Mas de que ele morreu ?

  3. da Paz RodriguesJorge disse:

    Certamente por esquecimento, no texto não são referidas duas importantes obras do escritor: “A cidade e as serras” e “A tragégia da Rua das Flores”, sendo este romance, tanto quanto sei, o último que escreveu. Merecem ser lidas.

  4. Puulo Fernando disse:

    Eça de Queiroz, deve sempre ser lembrado, pela grande contribuição na arte e literatura.

  5. Regina Caldas disse:

    “Sobre a nudez forte da verdade, o manto diáfano da verdade” EQ
    Grande Eça de Queiroz!

  6. Ludwig Von Drake disse:

    Ultimamente, tenho melhorado o meu “português” com Eça de Queiróz, Camilo Castelo Branco e Machado de Assis.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *