Início » Cultura » A história da 1ª mulher a ganhar um Nobel da Paz
BERTHA VON SUTTNER

A história da 1ª mulher a ganhar um Nobel da Paz

A escritora austríaca Bertha von Suttner foi laureada com um Nobel da Paz há 114 anos, em 1905, por seu ativismo em prol do movimento pacifista mundial

A história da 1ª mulher a ganhar um Nobel da Paz
Bertha trabalhou ativamente em prol do movimento pacifista mundial até sua morte, em 1914 (Foto: Public Domain)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A escritora e pacifista austríaca baronesa Bertha von Suttner foi homenageada com um doodle da página inicial do Google no início deste mês, 114 anos após ganhar o prêmio Nobel da Paz.    

Nascida condessa Bertha Kinsky, em Praga, em 1843, ela enfrentou desde criança a hostilidade da aristocracia austríaca, em razão da diferença de classes sociais de seus pais. 

Seu pai, conde Franz Graf Kinski von Wohnitz und Tettau, membro da alta nobreza do Império Austro-Húngaro, casou-se, para escândalo da sociedade, com uma plebeia de origem modesta.

Aluna brilhante na infância e juventude, Bertha, além de fluente em francês, inglês e italiano, era uma pianista e cantora talentosa.

Aos 30 anos, mudou-se para Viena a fim de trabalhar como preceptora dos filhos do barão von Suttner. Lá, apaixonou-se por um dos filhos do barão, Arthur Gundaccar. 

Sob forte oposição da família ao casamento dos dois, Bertha mudou-se para Paris onde trabalhou como secretária de Alfred Nobel, o inventor da dinamite e criador do prêmio Nobel.

Depois de uma breve estadia em Paris, Bertha casou-se em segredo com Arthur em 1876 e, por pressão da família, o ​​casal partiu de Viena e refugiou-se na Geórgia.

Inspirada pela leitura de autores evolucionistas, ela começou a escrever contos, ensaios e romances com foco em pacifismo, religião e estudo de gênero. Em 1889, Bertha escreveu o best-seller Abaixo às armas!, traduzido para diversas línguas e que a aproximou do movimento pacifista mundial. 

Dois anos depois, em 1891, ajudou a organizar o primeiro Congresso Internacional da Paz, em Viena, e fundou a Sociedade Austríaca dos Amigos da Paz.

Em 1905, foi a primeira mulher a ganhar o prêmio Nobel da Paz, em reconhecimento por seu trabalho incansável em defesa da paz no mundo.

Mesmo abalada com a morte do marido, em 1902, Bertha continuou a trabalhar ativamente em prol do movimento pacifista mundial até sua morte, em 1914, aos 71 anos. Um trabalho perpetuado no Bertha von Suttner Peace Institute, com sede em Haia.

Segundo Alyssa Winans, autora do doodle da página inicial do Google, a mensagem de Bertha von Suttner a inspirou a fazer uma ilustração com ênfase na importância da luta pela paz no mundo atual. “É uma mensagem atemporal”, disse Alyssa.

Fontes:
The Independent-Bertha von Suttner: Remembering the first woman to win the Nobel Peace Prize

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. João Manuel disse:

    Prezados senhores,
    são artigos como este muito interessantes (nunca li nada a respeito de Bertha von Sutner) que me fazem lamentar profundamente o fim deste informativo…muita informação dada de forma bem simples e objetiva
    atc

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *