Início » Cultura » A vida de Goethe como uma obra de arte
LIVROS

A vida de Goethe como uma obra de arte

Nova biografia descreve a vida de um dos mais importantes escritores de língua alemã

A vida de Goethe como uma obra de arte
As pesquisas de Safranski referentes às diversas fases da vida de Goethe basearam-se em fontes primárias, como obras, cartas, diários e relatos de contemporâneos (Foto: Divulgação/Casa di Goethe)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em Goethe: Life as a Work of Art, uma nova biografia de um dos mais importantes escritores alemães e um expoente do Romantismo europeu, Rüdiger Safranski, um filósofo alemão e autor de livros sobre Schiller, Nietzsche, Schopenhauer e Heidegger, descreve como Goethe construiu sua vida como uma obra de arte, com começo, meio e fim.

As pesquisas de Safranski referentes às diversas fases da vida de Goethe basearam-se em fontes primárias, como obras, cartas, diários e relatos de contemporâneos, o que confere um tom mais autêntico ao livro. Publicado há quatro anos em alemão, Goethe: Life as a Work of Art foi recém-editado pela Editora Liveright, com ótima tradução de David Dollenmayer, que contou com o apoio do autor ao longo do trabalho.

Apesar da importância do conjunto de suas obras, Goethe não é um escritor muito divulgado na literatura de língua inglesa, com exceção de Fausto, sua obra prima, na qual trabalhou durante a maior parte de sua vida. As obras a seu respeito em inglês são escassas e a maior parte foi publicada há pouco tempo, como os dois dos três volumes de Goethe, The Poet and the Age de Nicholas Boyle da Universidade de Cambridge publicados em 1991 e no ano 2000. Portanto, o novo livro de Safranski vem preencher uma lacuna essencial para a compreensão dos movimentos literários românticos do final do século XVIII e início do século XIX.

Nascido em 1749 em uma família próspera e de alta posição social em Frankfurt, aos 25 anos Goethe publicou o livro Os sofrimentos do jovem Werther que o tornou conhecido em toda a Europa. Porém, começou a sentir necessidade de conhecer o mundo e não apenas escrever sobre ele. A oportunidade surgiu quando o jovem duque Karl August de Saxe-Weimar-Eisenach convidou-o para viver na corte de Weimar.

Goethe continuou a escrever em Weimar e a fazer contatos com a elite cultural e intelectual da época, e iniciou uma amizade profunda e duradoura com o poeta e escritor Schiller, com quem participou do movimento literário romântico alemão Sturm und Drang. Além de dedicar-se à literatura, Goethe tinha uma infinidade de outros interesses, como pesquisas nas áreas de história natural, anatomia, mineralogia e na teoria das cores.

Goethe era famoso não só por suas realizações literárias brilhantes e conexões políticas e artísticas, mas também pelas inúmeras aventuras românticas. Por fim, aos 38 anos, Goethe conheceu Christiane Vulpius, uma jovem de origem simples, com quem teve um filho, August. Apesar da diferença social, os dois casaram-se em 1806 e permaneceram juntos até a morte dela em 1816.

Com quase 80 anos, a vida de Goethe começou a declinar. Schiller morrera há muitos anos e outros amigos o acompanharam. O duque Karl August morreu em 1828, seguido dois anos depois por August, seu filho. Em 22 março de 1832, Goethe morreu na cidade de Weimar. Há 50 anos, havia escrito a um amigo que queria atingir o ponto mais alto na pirâmide de sua vida. Seu desejo não poderia ter sido atendido com mais grandiosidade.

Fontes:
The Economist-Goethe’s life as a work of art

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *