Início » Cultura » Albert Sabin
NESTA DATA

Albert Sabin

No dia 26 de agosto de 1906, nasce Albert Sabin, criador da vacina oral contra poliomielite

Albert Sabin
Sabin dedicou 25 anos da sua vida ao estudo da poliomielite (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Albert Bruce Sabin nasceu em 26 de agosto de 1906 na cidade de Bialistock, que na época fazia parte da Rússia e atualmente integra a Polônia. Aos quinze anos, imigrou com sua família para os Estados Unidos, onde estudou medicina. Formou-se em 1931 pela Universidade de Nova Iorque. Sempre estimulado a atuar na área de pesquisa, Sabin foi associado do Instituto Rockfeller para pesquisas médicas entre 1935 e 1937. Dois anos depois, tornou-se professor de pesquisas pediátricas da Universidade de Cincinnati.

Sabin publicou trabalhos sobre pneumonia, encefalite, câncer e toxoplasmose, mas dedicou 25 anos de sua vida ao estudo da poliomielite. A partir de 1952 voltou-se à obtenção de uma vacina de vírus vivo atenuado, para uso oral, que garantia a imunidade vitalícia.

Em 1957, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decidiu que a vacina de Sabin seria testada mundialmente. Ele foi convidado a administrar a vacina em grupos de crianças na Rússia, Holanda, México, Chile, Suécia e Japão. Sabin renunciou aos direitos de patente, consentindo e facilitando sua difusão para a população de todo o mundo. Em 1965 tornou-se membro do Instituto Weizmann de Ciência, em Rehovot, Israel. O pesquisador esteve várias vezes no Brasil e, em 1967, foi agraciado pelo governo brasileiro com a Grã-Cruz do Mérito Nacional. Ele morreu em 3 de março de 1993, em Washington-EUA.

Fontes:
UolEducação-AlbertSabin

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. Isabella N. Silva disse:

    Eu gostei muito da Biografia

  2. EDVALDOTAVARES disse:

    SABIN EXTINGUIU O EXÉRCITO DAS PERNAS SECAS. Como a humanidade esquece rápido! E, um inexplanável adepto da não-duradoura lembrança, em tentativa poética, ao sabor da brisa tênue que lhe toca o rosto, murmura: "Ó suave textura alva que como um manto de paz confortavelmente envolve o equecimento humano proporcinando inenarrável tranquilidade, eu embevecido te venero". Há bem pouco tempo, pouco mais da metade do número de dedos de uma das mãos, em décadas, a poliomielite, popularmente conhecida como paralisia infantil atacava as crianças, paralisando e inutilizando uma ou as duas pernas, atrofiando-as ou no jargão popular secando-as, determinando a aparência e o andar característico de quem sofria da seqüela da doença. Albert Sabin, que era casado com uma brasileira, aperfeiçoou a vacina injetável contra a paralisia infantil – o cientista Jonas Salk criara a vacina injetável contra a doença. A vacina com vírus vivo atenuado, aplicada sob a forma de gotas depositadas na boca, foi um memorável avanço médico na conquista da imunidade vitalícia contra a pólio. Os adultos de hoje, que nem uma linha de reconhecimento ou agradecimento dedicam a esse grande cientista, não souberam ou esqueceram que, graças a ele, não têm, da mesma forma que os filhos, a perna seca. Apesar dos injustos esquecimentos, Albert Bruce Sabin é uma gloria da ciência médica e compõe o panteão dos grandes benfeitores da humanidade. "BRASIL ACIMA DE TUDO". MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

  3. bruna disse:

    quando albert sabin criou a vacina oral ele não pensou apenas na prevenção da paralisia infantil,ele pensou no combate do medo e do receio infantil por causa da injecção,que é algo terembroso para as crianças.Obrigada sabin vc conseguio fazer com que nossas crianças se protegessem e se livrassem de seu medo deveria ser criado 1 feriado para sabin

  4. bruna paz disse:

    SABIN EXTINGUIU O EXÉRCITO DAS PERNAS SECAS. Como a humanidade esquece rápido! E, um inexplanável adepto da não-duradoura lembrança, em tentativa poética, ao sabor da brisa tênue que lhe toca o rosto, murmura: "Ó suave textura alva que como um manto de paz confortavelmente envolve o equecimento humano proporcinando inenarrável tranquilidade, eu embevecido te venero". Há bem pouco tempo, pouco mais da metade do número de dedos de uma das mãos, em décadas, a poliomielite, popularmente conhecida como paralisia infantil atacava as crianças, paralisando e inutilizando uma ou as duas pernas, atrofiando-as ou no jargão popular secando-as, determinando a aparência e o andar característico de quem sofria da seqüela da doença. Albert Sabin, que era casado com uma brasileira, aperfeiçoou a vacina injetável contra a paralisia infantil – o cientista Jonas Salk criara a vacina injetável contra a doença. A vacina com vírus vivo atenuado, aplicada sob a forma de gotas depositadas na boca, foi um memorável avanço médico na conquista da imunidade vitalícia contra a pólio. Os adultos de hoje, que nem uma linha de reconhecimento ou agradecimento dedicam a esse grande cientista, não souberam ou esqueceram que, graças a ele, não têm, da mesma forma que os filhos, a perna seca. Apesar dos injustos esquecimentos, Albert Bruce Sabin é uma gloria da ciência médica e compõe o panteão dos grandes benfeitores da humanidade. "BRASIL ACIMA DE TUDO". MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

  5. Vera disse:

    Um homem notável!!!!!!
    Pensou sempre em dar uma vida saudável às crianças, livrando-as da terrível cadeira de rodas.
    Que êle esteja em paz para sempre.

  6. Francisco Assunção disse:

    Seria redundância elogiar o Dr Sabin. Foi um cientista-humanista. Temos a honra de ter o seu nome na galeria da decência do nosso movimento (www.humanosdecentes.com.br).

  7. Danielle disse:

    Eu acho que Sabin foi um heroi da saude.

  8. yasmim furriel disse:

    albert sabin inventou isso mesmo

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *