Início » Cultura » As cartas de Napoleão
Livro

As cartas de Napoleão

Uma nova biografia pinta Napoleão como um gênio militar tático, mas ignora seus erros estratégicos e suas falhas como estadista

As cartas de Napoleão
O que se destaca na biografia é o extraordinário dom militar de Napoleão (Reprodução/Internet)

A mais nova biografia de Napoleão, “Napoleon the Great”, de Andrew Roberts, é a primeira em volume único a fazer pleno uso das mais de 33 mil cartas escritas por Napoleão, que só começaram a ser publicadas em Paris em 2004. Roberts é um analista magistral das muitas batalhas do imperador francês e seu livro é muito bem escrito. Dá prazer em ler.

Roberts admite ter levado mais tempo para pesquisar e escrever a biografia do que os sete anos que Napoleão passou na ilha de Elba e em Santa Helena. O autor visitou nada menos que 53 dos 60 campos de batalha, Elba e até Longwood, em Santa Helena, onde Napoleão morreu com apenas 51 anos. O livro capta bem a energia frenética e a força de vontade do homem que escrevia inúmeras cartas a um ritmo furioso e também mantinha muitas relações amorosas.

O que se destaca na biografia é o extraordinário dom militar de Napoleão. Seu impacto na política francesa e europeia foi claramente profundo, mas foi aforma como ele revolucionou o conceito de guerra, o arsenal militar, a logística e o uso de artilharias e táticas, que mais impressionam. No entanto, mesmo nesses quesitos Napoleão tinha fraquezas. A sua compreensão de assuntos navais era desastrosa, por exemplo.

Napoleão também falhou na política. Roberts, que é um fã ardoroso, o retrata como uma figura iluminista que muitos viam como a encarnação do progresso e da meritocracia. Ele certamente fez muito para reformar França e Europa. No entanto, ele também era um ditador que mentia sobre suas batalhas e promovia seus familiares. Não foi à toa que Beethoven, um verdadeiro seguidor do Iluminismo, rasgou sua dedicação a Napoleão da sinfonia “Eroica” em 1804.

 

Fontes:
The Economist-Flawed sparkler

1 Opinião

  1. Regina Caldas disse:

    1- A 5a Sinfonia ( Heroica), fora planejada por Beethoven para ser dedicada à Napoleão. Porém, decepcionado com o corso, Beethoven compôs uma Marcha Fúnebre para demonstrar que, para ele, Napoleão estava morto..

    2- 3 cartas de Napoleão, dirigidas à Josefina, Maria Walewska e Maria Luisa, foram publicadas em 1942, no livro “As Grandes Cartas da História”, com tradução de Manuel Bandeira.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *