Início » Cultura » ‘Brincante’: um filme que é um teatro filmado
Crítica de Cinema

‘Brincante’: um filme que é um teatro filmado

O que vemos em 'Brincante' é praticamente um espetáculo filmado, que mostrou pouco do músico Antônio Nóbrega

‘Brincante’: um filme que é um teatro filmado
O roteiro de Leonardo Gudel é pouco embasado, porém é notável que a maior parte do filme foi filmada sem seguimento de roteiro (Reprodução/Blog)

Walter Carvalho , já respeitado no Brasil como diretor de fotografia em filmes como “Central do Brasil”, “Carandiru” e “Amarelo Manga’, se aventura mais uma vez na direção. Dessa vez com “Brincante”, que, segundo o cineasta, é uma mistura de ficção com documentário, e não se qualifica como nenhum dos dois.

O longa conta a história de Antônio Nóbrega, músico pernambucano que ganhou destaque ao misturar a música clássica com a popular , tomando grandes proporções. O filme realmente se mantém no limiar entre ficção e documentário. Se manter em cima do muro quando se trata de cinema não é algo que costume dar certo e “Brincante” justifica mais uma vez isso. A história do artista é admiradora, porém estamos falando de cinema e não de literatura. Não é uma cinebiografia e nem um documentário, ele passa muito pouco sobre a vida e a obra do artista. Walter Carvalho tentou se manter em uma zona que transmitisse a aura artística dos feitos do protagonista, porém acabou pecando em adaptar isto da forma que não perdesse a aura do que é o cinema.

O que vemos em “Brincante” é praticamente um espetáculo filmado, em que mostrou muito pouco do músico Antônio Nóbrega, para mostrar bem mais o bailarino.

O roteiro de Leonardo Gudel é pouco embasado, porém é notável que a maior parte do filme foi filmada sem seguimento de roteiro. Apesar de o cinema nacional ser questionado em produzir “novelas em telas de cinema”, por ser explicativo demais, contendo demasiados diálogos, aqui não usa a falta do mesmo em forma de executar mais imagens em tela em forma narrativa, mas acaba apenas mostrando o que está sendo filmado e não contando uma história.

Existem aquelas peças teatrais que são cinema em palco e existem aqueles filmes que são teatro filmado. “Brincante” é a segunda opção.

*Gabriel Meira é formando em Cinema e escreve para o site Blah Cultural, parceiro do Opinião e Notícia

Fontes:
Blah Cultura

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *