Início » Cultura » Britânicos alertam sobre ‘pobreza de livros’
CULTURA

Britânicos alertam sobre ‘pobreza de livros’

O número de livros emprestados de bibliotecas caiu de 255.128.957 em 2011 para 157.387.109 em 2018 - uma queda de 38%

Britânicos alertam sobre ‘pobreza de livros’
Dia Mundial do Livro e do Autor é celebrado no dia 7 de março no Reino Unido (Foto: PxHere)

Enquanto crianças em todo o Reino Unido vestem roupas de Matilda e Harry Potter em comemoração ao Dia Mundial do Livro e do Autor, celebrado na última quinta-feira, 7, Tom Watson, vice-líder do Partido Trabalhista Britânico, condenou o “escândalo” de que o número de livros emprestados de bibliotecas públicas na Inglaterra despencou quase 100 milhões desde 2011.

Pesquisa encomendada pelo Partido Trabalhista mostra que o número de livros emprestados de bibliotecas caiu de 255.128.957 em 2011 para 157.387.109 em 2018 – uma queda de 38%. Com base nos dados divulgados pelo Chartered Institute of Public Finance and Accountancy (Cipfa, em inglês), que já revelou que 127 bibliotecas públicas foram fechadas na Inglaterra, no País de Gales e na Escócia em 2018, a nova pesquisa descobriu que o nordeste sofreu o maior declínio de empréstimos para livros, queda de 49%.

A queda ocorre em um contexto de fechamentos generalizados de bibliotecas e cortes bruscos de pessoal: a Essex destinou mais de um terço de suas 74 bibliotecas para o fechamento, enquanto as bibliotecas de Bradford enfrentam um corte de 2 milhões de libras nos próximos dois anos. A Cipfa disse em dezembro que o serviço de biblioteca perdeu 712 funcionários em tempo integral no ano passado, enquanto houve um aumento de 3 mil voluntários.

“É um escândalo que quase 100 milhões de livros a menos sejam emprestados de nossas bibliotecas públicas. Os orçamentos do conselho foram cortados ao osso e nossos serviços de biblioteca estão pagando o preço”, disse Watson.

O vice-líder trabalhista apontou também o fato das crianças terem celebrado o Dia Mundial do Livro e do Autor no último dia 7 de março como “uma grande oportunidade para celebrar como a leitura abre novos mundos para crianças e adultos”, destacando ainda que todos devem ter “acesso aos livros e à alegria da leitura”.

Laura Swaffield, presidente da Campanha Biblioteca, disse que, com mais de 700 bibliotecas perdidas desde 2010, “a única surpresa é que o declínio nos empréstimos para livros não é ainda maior”.

“A pesquisa mostra que a leitura é valorizada como puro prazer, uma fuga do estresse e uma maneira de aumentar a empatia com outras pessoas. Deus sabe que precisamos disso mais do que nunca”, disse Swaffield. “Além disso, ler por prazer é o fator mais importante para dar às crianças sucesso na educação. Isso só mostra como os cortes de austeridade são estúpidos – e, em última análise, inúteis”.

Nick Poole, presidente-executivo da Cilip, uma associação de informações e bibliotecas, disse que existe uma ligação direta entre a qualidade dos livros e a frequência com que são emprestados. “Longe de sinalizar uma demanda reduzida por livros, esses números mostram que se você reduz os orçamentos das bibliotecas, você reduz a leitura e todos os benefícios positivos que a acompanham. Esses cortes muitas vezes visam as comunidades mais pobres, onde as pessoas não podem arcar com o custo de comprar livros para si mesmas”.

Mais de 90% das bibliotecas do Reino Unido participaram do Dia Mundial do Livro e do Autor, através de uma parceria com a Agência de Leitura. Marcando a comemoração, mais de 15 milhões de fichas de livros foram distribuídas para crianças no Reino Unido e na Irlanda.

Os organizadores do evento disseram que a “pobreza dos livros” é “uma questão muito real” para as crianças – uma em cada oito crianças desfavorecidas no Reino Unido não possui um único livro. Em 2016, para uma em cada três crianças que recebiam refeições escolares gratuitas, o livro que compraram com a ficha de 1 libra esterlina foi o primeiro a ser adquirido.

De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a leitura por prazer é o maior indicador do sucesso futuro de uma criança, mais do que a circunstância familiar, histórico educacional ou renda dos pais.

Segundo uma pesquisa do National Literacy Trust, apenas um quarto das crianças entre oito e 18 anos leem diariamente , em comparação com 43% em 2015. As fichas de livros da instituição beneficiam as crianças com uma cópia gratuita de um dos 13 títulos do Dia Mundial do Livro e do Autor, £ 1 ou € 1,50 de desconto em qualquer livro.

 

Leia também: Movimentos buscam estimular comércio de livros

Fontes:
The Guardian-Campaigners warn of 'book poverty' as UK celebrates World Book Day

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *