Início » Cultura » Caso OSB termina sem acordo
Demissão de músicos

Caso OSB termina sem acordo

Em nota, a FOSB diz que acreditava em um desfecho positivo e que se empenhou para atender às solicitações do grupo de músicos

Caso OSB termina sem acordo
Maestro, pivô da crise, manterá suas funções

A Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira (FOSB) informou em nota na noite desta terça-feira, 26, que, devido ao não comparecimento à sede da fundação até a data limite, dia 25, os 36 músicos da orquestra, que haviam sido afastados por se recusarem a fazer uma avaliação de desempenho, estão de fato demitidos.

A nota diz que a FOSB acreditava em um desfecho positivo e que se empenhou para atender às solicitações do grupo de músicos, mas que não houve consenso. O anúncio diz ainda que a fundação dará continuidade ao projeto de transformar a OSB na melhor orquestra do país. A OSB manterá todos os concertos do segundo semestre e anunciou que a temporada 2011 começa em 3 de junho.

Os músicos não aceitaram o acordo, pois a proposta convertia as demissões por justa causa em suspensões de dois dias e ainda mantinha o pivô da crise, o maestro Roberto Minczuk, em suas funções regulares — de diretor artístico e regente titular da OSB. Eles pediam o desligamento do maestro e a reintegração de suas funções ao corpo orquestral sem nenhum tipo de punição. Nenhuma das solicitações foi atendida, e Minczuk foi desligado apenas da direção artística do Theatro Municipal, cargo que também ocupava.

O leitor Dorival Barroso, frequentador dos concertos da OSB há anos e sócio-fundador da Associação de Amigos do Theatro Municipal (AATM)  e da Associação de Amigos da OSB (AAOSB), diz que os objetivos do maestro Minczuk de tornar a OSB a maior orquestra do Brasil não serão alcançados. “A OSB, com o esse maestrinho, não será nem a melhor orquestra do Rio de Janeiro. Ele demitiu os melhores músicos, e fez a OSB perder o prestígio e o público”, argumenta.

Fontes:
O Globo - Músicos não cedem e OSB encerra negociações

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Evandro Correia disse:

    É uma vergonha a atitude da OSB. Difícil entender o Eleazar de Carvalho Filho se prestar a isso.

  2. Antonio Campos Monteiro Neto disse:

    A FOSB agora tem do que se orgulhar. Uma sede novinha em folha, construída com superfaturamento; uma dinheirama recebida a título de patrocínio, oriunda dos impostos que pagamos com o nosso suor, a qual não rendeu benefício nenhum para a sociedade brasileira; um maestro banido das principais orquestras internacionais; um arremedo de orquestra, a ser recomposta por artistas do Leste Europeu, e boicotada por nossos maiores artistas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *