Início » Cultura » Charles Darwin encerra sua expedição a bordo do HMS Beagle
NESTA DATA

Charles Darwin encerra sua expedição a bordo do HMS Beagle

No dia 2 de outubro de 1836, Charles Darwin retorna à Inglaterra após a viagem que daria origem a suas ideias sobre a evolução das espécies

Charles Darwin encerra sua expedição a bordo do HMS Beagle
Quando o navio chegou ao Rio de Janeiro, o naturalista oficial não quis mais seguir viagem, então Darwin, com apenas 22 anos, assumiu o cargo (Reprodução/Internet)

O naturalista Charles Darwin fez uma viagem que durou quatro anos e nove meses a bordo do navio HMS Beagle, com o objetivo de mapear a costa da América do Sul. Ele não foi convidado para procurar e coletar os materiais, mas sim para fazer companhia ao capitão da embarcação, que buscava uma pessoa com quem pudesse conversar durante a viagem.

A rota do Beagle começou na Inglaterra no dia 10 de fevereiro de 1831 e teve cerca de 20 paradas. Passou pelo Brasil – Salvador e Rio de Janeiro -, depois foi para Uruguai, Argentina, Patagônia no Chile e Ilhas Galápagos, que pertencem ao Equador. Em seguida foi para o Haiti, passou pela Nova Zelândia, Austrália e África. Depois desse percurso, ele retornou à Bahia e seguiu para a Inglaterra. Nessa jornada Darwin percebeu que, além da imensa diversidade  do meio ambiente, cada lugar tem suas características, tanto na vegetação, quanto na fauna e flora.

Quando o navio chegou ao Rio de Janeiro, o naturalista oficial do navio não quis mais seguir viagem, então Darwin, com apenas 22 anos, assumiu o cargo. Como isso, ele pode coletar amostras, pesquisar e conversar com as pessoas nativas para obter todas as informações sobre os locais pelos quais passava. Durante a viagem Darwin conseguiu coletar 1.529 espécies fósseis, 3.907 espécimes preservados e preencheu um diário de 770 páginas no qual registrava tudo que observava.

No dia 02 de outubro de 1836, Darwin chegou de volta à Inglaterra após a viagem de cinco anos no navio Beagle. A viagem deu origem à Teoria da Evolução.

 

Fontes:
Casa da Ciência

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *