Início » Cultura » Charlie Sheen joga a pá de cal em seriado de sucesso
Horário nobre

Charlie Sheen joga a pá de cal em seriado de sucesso

'Two and a half men' já estava suspensa para a reabilitação do ator. Agora, vai acabar de vez. Por Solange Noronha

Charlie Sheen joga a pá de cal em seriado de sucesso
Charlie Sheen e Jon Cryer em 'Two and a Half Men'

Charlie Sheen soltou o verbo no rádio, quinta-feira, dia 24, e a CBS, finalmente, decidiu cancelar de vez “Two and a Half Men” (Dois homens e meio), sitcom campeã de audiência no horário nobre nos Estados Unidos, onde gerou US$ 155,1 milhões. Aqui, a série cômica é exibida com o título em português pelo SBT e com o título original no Warner Channel.

Declarações bombásticas, erráticas e agressivas feitas ao vivo, no programa do radialista Alex Jones, foram a pá de cal que faltava na paciência dos produtores e criadores do seriado, que já haviam interrompido algumas vezes as gravações para o ator se tratar da dependência do álcool. Um porta-voz da rede de TV disse apenas que a temporada foi interrompida “com base na totalidade das declarações, da conduta e das condições de Sheen”.

Dos 24 episódios da segunda temporada de “Two and a half men”, 16 estavam prontos antes de o ator iniciar tratamento e já foram exibidos em seu país de origem.  A renovação de seu contrato com a CBS por mais dois anos, no fim de 2010, era milionária — e certamente ainda vai render muito pano pra manga, pois executivos não jogam para perder. Sheen, por sua vez, parece estar jogando tudo para o alto, intitulando-se o novo xerife da cidade e dizendo coisas desconexas como “se você ama com violência e odeia com violência, não há nada a ser questionado” e “eu tenho a magia e a poesia na ponta dos meus dedos; eu sou um F-18 e vou destruí-lo no ar”.

Insultos a Chuck Lorre e aos AA

Sheen não poupou Chuck Lorre, cocriador de “Two and a half men”, entre outros sucessos da televisão. Disse que, durante quase toda a última década, converteu “suas latas de estanho em ouro puro”. E acrescentou: “A gratidão que eu recebo é este charlatão optar por não fazer o seu trabalho, que é escrever.” Entre outras declarações em tom depreciativo, Sheen chamou Chuck de “Chaim” Levine — o nome verdadeiro do produtor é Charles Levine e, até o momento, ele tem se recusado a embarcar nessa baixaria e fazer qualquer comentário a respeito.

Na entrevista à rádio, Sheen diz que está lidando com tolos — entre outros adjetivos bem mais pesados — além de ser ofensivo às mulheres — dispensando-lhes o mesmo tratamento que seu personagem na sitcom — e até aos Alcoólicos Anônimos: “Não posso usar a palavra sóbrio, porque isso é um termo dessas pessoas, e eu me limpo sozinho. Fechei meus olhos e, em um nanossegundo, curei-me deste modelo ridículo de doença. (…) A única coisa em que eu sou viciado agora é em ganhar”.  Sheen refere-se aos AA como um culto de fundo de quintal que tem uma taxa de 5% de sucesso, enquanto a dele é de 100%: “Faça as contas!”, desafia o ator. “Um dos seus lemas é estúpido: ‘não seja especial, seja um de nós’. Tenho uma notícia: eu sou especial e nunca serei um de vocês.”

Mais de “Mike and Molly”

Para cobrir o período de recuperação de Charlie Sheen, a CBS já havia decidido gravar mais episódios de “Mike and Molly” e talvez também de outras sitcoms. Agora, com o cancelamento definitivo de “Dois homens e meio”, ainda não se sabe qual será a estratégia da rede de TV — Sheen já pede aos fãs que ajudem a “corrigir esta injustiça”.

Conchata Ferrell interpreta a personagem Berta em 'Two and a Half Men'

Bem que os roteiristas podiam reverter esse jogo com algo no estilo “Two women and two half men”, ou “Duas mulheres e dois meio homens”, pondo à frente da sitcom suas maravilhosas atrizes Conchata Ferrell e Holland Taylor. Berta, a faxineira folgada, e Evelyn Harper, a mãe fogosa e megera, podem seguir infernizando a vida de Alan (Jon Cryer) e sendo dribladas por Jake (Angus T. Jones), que andava cada vez mais esperto. Eles vão fazer falta na televisão. Charlie Sheen também, mas verdadeiramente sóbrio, por favor.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Mariana disse:

    Vo ser simples , pratica e objetiva!
    “Dois homens e meio nao será a mesma coisa sem o Charlie” Isso é obvio.
    e outra qual ator famoso nunca se envolvel com escandalos , haa por favor sem desmerecer o restante do elenco mais i charlie e o personagem principal do seriado e sem ele não há seriado.
    Deixa o cara ser feliz, ele nao ta roubando pra beber e nem deixando de pagar as “prostitutas” dele.
    O importante é que o cara é otimo no que faz.
    Sem contar que o seriado é praticamente a vida real do ator.
    Me poupe de detalhes sordidos da vida dele e deixa o seriado rolar porque cá entre não há seriado melhor que esse.

  2. Olga disse:

    Por que bebe tanto assim o rapaz? Que doença difícil… Vive embolanchando as mulheres, desanca com todos…
    Acho que é dor de cotovelo porque não ganhou Emmy, enquanto o Jon Cryer ganhou – honrosamente, já que Cryer interpreta o Alan, enquanto Sheen é Charlie.
    Pena, porque o seriado é divertidíssimo e ainda não havia se esgotado.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *