Início » Cultura » Che Guevara seria uma farsa?
História

Che Guevara seria uma farsa?

Segundo a revista Veja, sim. A publicação conversou com historiadores, biógrafos, antigos companheiros de Che na guerrilha e o governo cubano na tentativa de entender como o apologista da violência, voluntarioso e autoritário se tornou este mito revolucionário.

O guerrilheiro, embora tenha um forte apelo que beira a lenda entre os jovens, tinha uma maníaca necessidade de matar pessoas, uma crença inabalável na violência política e uma busca incessante da morte gloriosa. Teria sido um ser desprezível. "Ele era adepto do totalitarismo até o último pêlo do corpo", escreveu sobre ele o jornalista francês Régis Debray, que por alguns meses conviveu com Che na Bolívia.

Fontes:
Veja - Há quarenta anos morria o homem e nascia a farsa

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

31 Opiniões

  1. Alayr Ferreira disse:

    O marxismo, como qualquer movimento religioso, vive de mitos fundadores, personagens-modelo que servem como exemplo de vida e padrão de comportamento. As biografias oficiais desses personagens vão, ao longo do tempo, perdendo a vilania, maldade e mesmo os traços de humanidade, para virem a tornar os homens em arquétipos. Assim, um assassino frio, um psicopata como guevara, passa a ser instilado nos pobres diabos do MST e em jovens românticos das universidades das américas como uma figura messiânica, um novo D. Sebastião a cozinhar os miolos de novos Antonios Conselheiros. Grande serviço a Veja prestou aos jovens em formação de nosso país oferecendo essa vacina anti-empulhação.

  2. Carlos Abreu disse:

    Mais uma vez a Veja mostra sua faceta. Fico chateado de ver suas reportagens em meio as matérias da Economist. Um jornalismo de denuncismo barato e mal apurado,como todos sabem e aprendem nas milhares de escolas de comunicação do país, ao lado de veículos respeitados internacionalmente.
    Não acredito nesta matéria e acho um abuso manchar a memória de alguém que nem se defender pode porque está morto. Sei que Che se transformou em um ícone do capitalismo, contra o que ele mesmo pregava. Mas dizer que ele "fedia a rins podres" é demais.

  3. antero disse:

    "Che", exemplo típico de propaganda enganosa, tal como Lula e sua camarilha.

    E os incautos se deixam adormecer! Pobre Brasil!!!

  4. EDVALDOTAVARES disse:

    CHE GUEVARA – O HERÓI DOS TOLOS. Era um aventrureiro cruel, sem qualquer pingo de idealismo. Ídolo da massa ignorante, para a qual basta somente uma boa propaganda e um mito passa a ser facilmente cultuado. Que felicidade inunda o espírito dessa gente, idolatram qualquer porcaria lhes é apresentada, descompromissados que são, não se importam em saber os detalhes do porquê. Apresentam pouco juízo crítico e fácil capacidade de absorção das idéias incutidas por pregadores de duvidosas ideologias. Ernesto Che Guevara, ocupa esse vasto vazio no imaginário de ínfima qualidade de neurônios cerebrais da já duvidosa inteligência dos beócios, ávidos a agarrarem qualquer desclassificado que lhes é apresentado como herói. Esse fracassado médico leprologista argentino, foi apresentado à gigantesca massa e, sem demais conhecimento sobre a história da vida sangüinária desse assassino, passou a ser cultuado de forma imerecida. Como são felizes os ignorantes, sucumbem ao fascínio de qualquer porcaria que lhes é incutida. Um infame comandante, assassino cruel, médico fracassado, manifestou covardia até na hora de morrer, herói da plebe ignara. Somente no seio dessa gente é que poderia ser lembrado como alguma coisa que não é. "BRASIL ACIMA DE TUDO". MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

  5. Milton Zadik disse:

    Carlos Abreu, entendo sua indignação. É duro receber um ataque desses contra um símbolo. Você não gosta da Veja. Não tem problema. Procure outras fontes. Faça uma pesquisa bibliográfica (vá além dos livros do MEC). Confio em sua honestidade intelectual. Não tenha medo de ver os pés de barro, ou o mau cheiro de seu ídolo (guevara, em meio à campanha da Bolívia, apostou que punha a cueca dele em pé. Ganhou. Era um gambá). A melhor forma de ajudar o mundo é duvidar de tudo, sempre, e procurar a verdade dos fatos, mesmo que nos doa. Lenin dizia: a verdade é revolucionária. Portanto, Carlos Abreu, se você é de fato revolucionário, troque a postura religiosa pela postura crítica. Menhum ídolo é sagrado. Somos todos miseravelmente humanos.

  6. Alayr Ferreira disse:

    Se alguém tiver vontade de ter o poder de vida ou morte de alguém em suas mãos é só começar a matar em nome de deus ou de alguma ideologia política. Guevara foi um serial killer. Só altos aristocratas com sentimento de culpa, tipo Walter Moreira Sales junior, são capazes de obscurecer esse lado tenebroso desse tipo de "herói"…

  7. Carlos Abreu disse:

    Milton Zadik, gostaria de esclarecer que Che não é nem nuca foi meu ídolo nem acredito em mitos. Respeito o trabalho que fez na Bolívia e na Amazônia com os leprosos. Admiro sua pessoa, sim. Se os Estados Unidos odiavam tanto ele a ponto de assassina-lo é porque ele devia ser bom. Se não, não haveria porque teme-lo.
    Cuba hoje é muito triste, uma ditadura cruel e antiquada. Só acho desrespeitoso a forma como a veja fez a reportagem, se aproveitando de um filme que está no festival de cinema do rio e trata o tema de forma mais verdadeira.
    Vocês, senhores, deviam largar suas Vejas e assistir outros documentários, fontes e livros que mostram o outro lado do mito Che, mas falam de forma suscinta. Não querendo fazer sensacionalismo ou pelo puro desejo de criar polêmicas.

  8. Evandro Correia disse:

    É impressionante a ignorância das pessoas! Che Guevara foi morto, em operação militar, por um soldado boliviano. Esse soldado é identificado, está vivo até hoje, só faltou o Carlos Abreu dizer que foi a CIA…

  9. Marcelo Montes disse:

    Parabens à Veja. Che foi o menino argentino rico e desvairado que achou que podia sair por aí e fazer o que quisesse. Lembro-me de uma foto na revista O Cruzeiro, dele atirando com revolver numa pessoa de mãos amarradas. É o típico "herói fabricado" pela esquerda criminosa sul americana. Nos filmes documentários ve-se claramente suas atitudes desiquilibradas e autoritárias. Ganhou uma medalha do nosso não menos desequilibrado presidente, Janio o P.Louca. Hoje, no Brasil, o MST o está transformando em super-herói vermelho para as crianças e adolescentes e em beato marxista para o resto da manada. É a adoração ao Diabo !

  10. M.Montes disse:

    Como Che se tornou um mito?
    Resposta: uma mentira repetida inúmeras vezes pelos meios devidos de propaganda acaba se tornando uma verdade absoluta. Che foi esse tipo de mentira.

  11. luiz antônio disse:

    não será a ignorância das viúvas da ditadura que irá derrubar o nosso ideal, vocês não acreditam em si mesmos, por isso tentam nos ridicularizar, mas vocês já são ridículos por natureza, o rosto de Che estará estampado na mente dos indignados ao redor do mundo para sempre, não será uma meia duzia de hipócritas que irão mudar a história!!!!!!

  12. Paulo Duarte disse:

    O que mais me preocupa, não é nem a matéria tendenciosa feita pela Veja – Aliás, matéria tendenciosa virou sinônimo da revista -, complicado é ler os (sofríveis) depoimentos daqueles que tomam por verdade inconteste tudo o que a revista publica.
    Mais inteligente e honesto, seria entrevistar não só norte-americanos e cubanos de Miami. Assim fica doce o trabalho de "destruir o mito", (aliás, que pretensão!).
    Vale lembrar, aos menos atentos, que os anos 60, foram um tempo em que era "normal" você, por emitir determinada opinião, ser preso, torturado e morto. Portanto, a tentativa da revista em analisar os crimes cometidos pelo Che com a mente nos anos 2000, foi de um simplismo de assustar.
    O Che foi e é o símbolo de uma luta por uma América Latina verdadeira e livre; um continente efetivamente dos latino-americanos.
    Aos leitores de Veja, recomendo, nas próximas férias, ao invés de mais uma viagem aos EUA, que tal uma viagem por esse maravilhoso continente chamado América do Sul? Mas não vale Bariloche ein? Quem sabe assim, vcs entendam porque essa revista tem tanto medo de Che.

  13. wilian Chaves disse:

    O movimento reacionário utiliza-se de recursos como estes. No caso, trata-se de anti-jornalismo, puro, cru. Reunião de boatos, fofocas e maledicências sobre um homem que resolveu deixar a esperança de um empreguinho bem-remunerado e a sua cadeirinha em um apartamento cravado em um bairro bem longe das pobrezas de seu povo (como o fazem os leitores de VEJA e os adoradores de Mainardi) para lutar pelo que achava que era certo. Porco? Desesperado? Sanguinário? HUMANO, sim. VEJA só mostrou o quão importante Guevara é e foi, ao demonstrar que precisa tentar difamar sua história 40 anos após sua morte.

  14. wilian Chaves disse:

    Ignorância??? Lê mais, Evandro, e saberás que a CIA participou ativamente da operação. Já ouviu falar na expressão "testa-de-ferro"? Ou "laranja"? Estuda, amigo

  15. EDVALDOTAVARES disse:

    AS MEIAS-VERDADES DA HISTÓRIA. O colorido de um relato histórico que embeleza a trajetória político-revolucionária de uma pessoa ao se encaixar na simpatia do domínio público, depende da habilidade do historiador em despertar a fantasia que repousa, adormecida, no íntimo do imaginário de cada um de nós. No contraponto, o historiador, pode usar essa mesma habilidade, e com as mesma tintas colorir o mesmo personagem histórico de maneira adversa. Sem dúvida, quem sofre prejuízo, é a verdade, segundo Sidarta Gautama, Buda, que passa a ficar escondida, tendo que ser insistentemente procurada, diferente da fácil popularidade da parábola. As exigências para aceitação de um herói ser idolatrado como mito, não estabelece que seja virtuoso e tenha apresentado uma conduta plena de heroismo em sua vida – impossível ao cidadão comum. Basta apenas cair favoravelmente no gosto do historiador para ser transformado em herói ou, ao contrário, no desagrado, para ser execrado. Logo, quem faz o herói é o historiador e não o fato. Com quem estará a verdade? Che, visto pelos que lhes são simpáticos, é idolatrado como herói. Enquanto, na visão dos que não manifestam simpatia, é criminoso. Cada um que fique com a sua preferência como na citação de Buda – com "A Parábola" ou "A Verdade", todos estão certos. "BRASIL ACIMA DE TUDO". MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

  16. jefferson disse:

    Não hà informação que não precise ser considerada, mas, da VEJA não. Exite um outro mundo que nós hiper intelectuais acostumados com a clareza de informações que um "FANTÁSTICO", uma "VEJA" e por assim vai, não consegue ou não quer nos mostrar. Existe um mundo que estes editores medíocres (aqules mesmos, que pagavam para os "nerds" da classe pasarem cola) não conhecem. Um mundo de verdade, de exploração, de mortes, de sangue, de balas, de escravidão. Este mundo era o mundo da América Latina da época de CHE (no Brasil teve regime totalitário, sabia?). Este Mundo é um mundo de homems, não de maricas. Neste mundo se você não se protege, você morre. Esta era a realidade e bem dito antes, não podemos ver fatos de 40 anos atrás com os olhos de hoje. Não pretendo defender ningué, apenas acho que um fato tão importante da história mundial precisa ser estudado com imparcialidade e clareza de dados históricos e por uma instituição científica e honesta. Só após isto chegaremos a uma conclusão. Porém, acho também que algum dia alguém fará alguma coisa e entrará para a história. Aliás, quem é que escreveu esta matéria na Veja mesmo?

  17. Antonio disse:

    Um fato histórico: O regime comunista totalitário levou à morte em menos de um século mais de 100 milhões de vidas. A desprezível ditadura argentina aniquilou em torno de 30 mil vidas, a de Pinochet perto de 3 mil e foram de forma justa execradas pela história. E a do sanguinário Fidel Castro, auxiliado pelo não menos sanguinário Che Guevara? Fala-se em torno de 50, 70 mil desaparecidos. Tudo depende de qual lado a história é vista.

  18. Revoltado disse:

    Toda história tem mais de um lado. Mas atualmente, geralmente só quem conta a história é a esquerda. Quase todos os professores e jornalistas fazem o possível para negar ou minimizar os imensos genocídios praticados pela esquerda. Durante décadas, tiveram sucesso, obstruindo a verdade. Quando um jornalista fura o bloqueio, como no caso do assassino Guevara, os intelectuais orgânicos caem em cima.

    O principal objetivo dessa política de desinformação é incentivar monstros genocidas como Mao, Stalin, etc, a praticaram mais e mais crimes, certos da proteção de uma enorme rede de CÚMPLICES no mundo todo, que se alegram com cada morte, tortura ou prisão de inocentes praticada pelos calhordas.

    Vocês, esquerdistas, me dão um profundo nojo.

  19. Maximus disse:

    Engraçado é ver pessoas fazendo juízo de outros, mandando-os se informar melhor, acusando-os de acefalados que apenas precisam criar mitos para poderem guiar-se. É realmente engraçado. Eu não sei quem foi Che Guevara, o homem, conheço apenas o mito "Che" como tenho certeza, todos q aqui escrevem. Mas ai está a ironia, qual pais emergiu como grande potência do séc. XX. O imperialismo de fato, como o do inicio do séc acabou. Ou deu lugar ao imperialismo economico, que pode parecer menos agressivo, mas não deixa de ser cruel, basta observar a quantidade de pessoas que morrem de fome no mundo em pleno sec. XXI.
    Agora sejamos francos, sejamos francos, que tem o poder de criar idolos, senão a midia. E quem controla a midia, senão os que detem o poder economico. Agora acusam o povo de ter criado um mito, é querem nos abrir os olhos. Não sei se Che foi um herói, mas tem uma questão que não sai da minha cabeça. Pq se apressaram tanto em mata-lo, transformando-o assim em um martir, ao invés de julga-lo e evidenciar ao mundo toda sua frieza nos crimes que cometeu esse "monstro"? È no minimo estranho. E mais estranho é que mesmo 40 depois o fantasma de Che parece ainda assustar aos senhores desse mundo aponto de precisar ser atacado sem nenhum direito a defesa. Antes de se destruir o homem, é preciso destruir sua imagem. Isto não vos intriga?

  20. fabricio disse:

    "O vício inerente ao capitalismo é a distribuição desigual de benesses; o do socialismo é a distribuição por igual das misérias." Winston Churchill
    Ainda esperamos que a politica e guerras nos de um Cristo, um novo salvador
    Não nescessito de herois, devemos deixar isso para os meninos e seus gibis.
    Há exemplos a serem seguidos, isso é verdade, mas pq nw Churchill, Linconl, Jean-Jacques Rousseau…pq deveriamos ficar com os comunas

  21. Lucival disse:

    Na verdade não temos certeza de que Che Guevara é uma farsa.Herói sim,sabemos que ele não foi.
    Acredito que nenhum homem é totalmente despresivél ou desumano,bem como não é perfeito.Principalmente quando se está no poder,pois todos tem seus interesses e isso não podemos negar.
    Cada um tem seus conceitos,ideologias e interesses seja liberais ou esquerdistas, a diferença não está na preocupação de cada um desses grupos com o bem da sociedade,mas com a imagem de si mesmo que desejam construir perante a mídia.
    Não se pode esquecer que a mídia é a principal divulgadora dessa idéia de "herói", de exaltar alguns e excluir a maioria de forma cruel.
    Vivemos numa sociedade em que se diz "democrática", mas onde está a democracia se a maioria da população continua privada de sua formação política,de cidadania,de liberdade de expressão,e continua vivendo de esmolas?
    Que democracia é essa que permite que milhares de pessoas vasculhem o lixo para sobreviver?Que aceita a exclusão e fecha os olhos para as mazelas sociais?
    É isso que a mídia precisa divulgar,não um mundo de fantasias com a construção de idéias de heróis.Porque esses heróis não salva essa multidão que grita dia e noite por socorrro e ninguém houve?

  22. Lorena disse:

    A mídia faz o papel dela de divulgar mitos, e sim nós (sociedade) é que lhes demos este poder. Expor quaisquer idéias contra ou a favor de Che ou outro mito é fácil e simples. Os própios blogs ocupam-se disso.
    Discutir se ele foi "bom" ou "mal" é perder a noção de que todos temos um pouco dos dois inseridos em nossa personalidade. Não é como julgar Hitler, Stalin ou outro personagem sangüinário, afinal o Che Guevara apesar de matar muitos ou torturá-los defendia uma ideologia comum ou vocês acham que muitos populares também não apoiaram Hitler ou Stalin? quem já leu O Diário de Anny Frank ou de Nina Lugoviskaia sabe do que eu falo.
    A história acabar por julgar os que a construiram o que devemos fazer é apenas assistir aos fatos e não julgá-los como se participássemos ativamente deles, afinal nenhum de nós viveu essa história ou sabe o terror de uma guerra ou guerrilha que seja, vivemos num Brasil de acomodações e críticos relapssos

  23. Apolonio Prestes disse:

    Che Guevara foi um assassino sanguinário. Isso está documentado, ele tinha prazer em matar. Além disso era uma pessoa sem higiene, não tomava banho, tinho orgulho de cheirar mal. Nojento moral e fisicamente…

  24. Pedro disse:

    Heróis foi com certeza, por lutar por seus ideais, morreu fazendo isso.(mesmo que seus ideiais não fossem os mais "corretos")

    O que me deixa entristecido é a parcialidade que a história trata esse cara, nçao foi um santo como é pregado. Foi cruel e jamais lutou pela liberdade dos povos latinos-americanos, vide Cuba. Assim como ele existem tantos outros com a imagem moldada para interesses de algum. Exemplo disso é o nosso Tiradentes…

    Agora, o certo no Brasil é ser esquerda, se você se declara direita, ou até mesmo centrista(meu caso) é hostilizado por aqueles que divergem de sua tendência política. Os esquerdistas por sua vez não conseguem ouvir que a guerrilha no Brasil nunca lutou por democracia e sim para tomar o poder e que Che era um ser dantesco…

  25. João disse:

    O Che Guevara teve uma importância vital para o sentido de liberdade do continente latinoamericano. O Governo Brasileiro reconheceu seu valor, a ponto de lhe agraciar com a Medalha Cruzeiro do Sul.

  26. Pedro disse:

    Sim, lutou tanto pela liberdade e democracia, Cuba é o maior exemplo disso…

    Ganhou tal honraria no governo de Jânio Quadros(um louco). Tal comenda foi entregue com o propósito de se aproximar dos soviéticos e manter relações tanto com eles quanto com os EUA. Coisa impossível de acontecer…

    Che é um dos caras que teve a imagem mais moldada na história, criaram um mártir que nunca existiu.

  27. Igor Castro disse:

    Se Che é ou não uma farsa, não sei!, sei que sua luta pela democracia era intensa, para muitos um dos maiores defensores desta, o que é fato é que "nossos excelentissimos senhores", insistem em manchar cada dia mais a nossa democracia, que vejo hoje como uma democracia de livros didáticos, pois, hoje em dia não a encontro mais.

  28. Pedro disse:

    Igor, Che nunca lutou pela democracia. Lutou para "la revolución" para implementar a força sistemas de governos socialistas, verdadeiras ditaduras.

    Esses governos eram tão bons que ceifaram a vida de quase 100 milhões de pessoas.

  29. Rita disse:

    Para conhecer Ernesto Guevara precisamos ler o personagem por ele mesmo. Interessante como existem muitos biógrafos (americanos, mexicanos, brasileiros, entre outros )desnudados de “Socialismo” que fazem esse trabalho e o fazem com dignidade mostrando o pensamento, a ética e a intelectualidade de Guevara. Parece muito simplório julgá-lo, falando que ele era sujo, ou não gostava de banho. Isso é bem pouco para uma análise histórica , sociológica ou mesmo filosófica. Muito nos assombra quando uma pessoa abandona postos de liderança para lutar por interesses de camponeses analfafabetos. Para ele , sim, morreria , como morreu pela causa que acreditava. Enquanto isso milhões de pessoas são felizes porque tem olhos para o prório umbigo e tudo está bem e ficam satisfeitos com matérias de pouca pesquisa e muito financiamento, quando o importante é compreender o contexto histórico na qual o personagem , digo réu , (dá a entender que o estão julgando e condenando) está inserido. Qual foi a guerra ou movimento que não produziram seus mortos? Provavelmente a Revolução Francesa, que só no ano de 1793 executou sumariamente 18 mil pessoas em nome da “liberdade”, “Igualdade” de seus “Iguais”. Isso é fato e acabaram por gerarem mitos. O problema maior é que na realidade os captores e executores de Che Guevara não dão conta do que fizeram, mataram o homem e deram vida ao mito.
    Sou pesquisadora e aprecio bons comentários porque enriquecem os meus conhecimentos. Porém não façam comentários “reducionistas” , estes são pouco confiáveis. Saudações.

  30. Letícia disse:

    A grande falha histórica está em atribuir a “Che” a fama de santo. Isso ele não foi, mas quem foi? Ghandi? Madre Tereza? Luther King? Não, nenhum deles eram santos; eram seres humanos que falharam e acertaram, como todos nós. É inegável que Che Guerava era dono de um temperamento colérico e sanguinário, e que em dados momentos, sua crença beirava a ilusão quixotesca. Contudo, não podemos dizer que ele foi uma farsa. Sua fé na possibilidade de que “la revolución” pudesse ser estendida a todo mundo era inocênte, já nós latino-americanos, bem como os africanos, achamos “esse papo de revolução” muito trabalhoso. Melhor é ficar no “panis et circensis” do que lutar por igualdade e justiça.
    Pode-se dizer que ele também foi falho em ter uma lealdade desmedida; em não perceber (ou não querer enxergar) que Fidel na verdade estava mais interessado em obter poder absoluto, do que criar uma sociedade igualitária baseada nas idéias de Lênin e Marx que ele conhecia tão bem.
    Concluíndo, é injusta a reportagem da revista Veja (que ao meu ver tem interesses mais partidários do que informativos) utilizar suas páginas apenas para rechaçar a idéia de que Che foi um herói. É evidente que não foi perfeito, mas que sua fé e convicção em seus ideais e sua coragem em lutar é um exemplo para os dias de hoje, isto é inegável.

  31. Tãnia maura disse:

    toda raiz é boa,ela sustenta a grandiosidade de uma árvore.
    a raiz de che era perfeita, porém muitos ventos contrários sopravam contra. Che tinha seus ideais de vida, mas o tempo e a infiltração de determinadas situações foram enfraquecendo seu “primeiro amor”. A raiz era boa, mas o tempo atua como remédio ou como veneno. che acabou tomando esse veneno, a árvore já não é tão bonita, mas a raiz continua saudável.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *