Início » Cultura » Cidade do México: futebol e arte
Turismo

Cidade do México: futebol e arte

Legado esportivo e cultural faz da Cidade do México um lugar memorável

Cidade do México: futebol e arte
Estádios, museus e exposições tornam a capital mexicana surpreendente (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Bater pernas pela Cidade do México e relembrar quem já passou por lá é fantástico. Uma cidade tão cosmopolita e ao mesmo tempo tão típica não é fácil de encontrar. Sem contar o quanto ela pode surpreender os brasileiros, pois de certa forma, é parecida com algumas de nossas cidades.

O legado esportivo da Cidade do México é memorável. A cidade já recebeu as Olimpíadas de 1968 e foi, também, a principal cidade-sede de duas Copas do Mundo em 1970 e 1986. Esta primeira, vencida pelo Brasil, faz com que a visita ao estádio seja muito mais emocionante. É impossível não imaginar o Pelé rolando a bola para Carlos Alberto na entrada da área.

Mas não só de memórias esportivas vive a Cidade do México, a cultura também está presente, principalmente no bairro de Coyacan. Para conhecer mais e passar por dentro da cidade, o metrô é uma opção eficiente e barata. Então, antes de falar propriamente sobre esse bairro que já foi cidade, vale a pena ver a exposição que fica na estação Zócalo, com reproduções do centro da cidade desde a sua fundação:

Voltando a Coyoacan, vamos direto ao que interessa. Sim, o casario colonial e a praça central tornam esse pedaço da cidade bem agradável, mas o que é realmente fascinante aqui é conhecer a casa dos personagens ilustres que moraram no bairro.

Na esquina das Rua Londres com Ignacio Allende está a Casa Azul, agora chamada Museo Frida Kahlo. Lá, nasceu e morreu a artista que dá nome ao museu, após uma vida ao lado do também genial Diego Rivera. Os cômodos estão com os móveis e pertences originais de Frida, incluindo a cama em que dormia, onde repousa sua máscara mortuária. Pra quem gosta de arte, um prato cheio.

Nesta casa, além de Diego e Frida, também morou Léon Trotsky, braço-direito de Lenin durante a Revolução Russa e o governo da União Soviética até a tomada de Stalin. Após ficar exilado e ter sido expulso de uma meia dúzia de lugares, Trotsky veio para o México e, a convite de Diego Rivera, fez da Casa Azul o seu lar. Só que a relação do soviético com Frida avançou um passo a mais do que deveria, então ele teve que sair. O lado bom é que Trótsky foi morar ali perto, em uma outra casa no mesmo bairro de Coyoacan. A casa agora está aberta para visitação e chama-se Casa Museo Leon Trotsky.

*Artigo publicado originalmente no Esvaziando a mochila, parceiro do Opinião e Notícia.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *