Início » Cultura » Cientistas descobrem mamadeira de 3.000 anos
MAMADEIRA PRÉ-HISTÓRICA

Cientistas descobrem mamadeira de 3.000 anos

Esta é a primeira evidência a mostrar bebês pré-históricos durante esse período que bebiam leite animal quando estavam sendo desmamados de suas mães

Cientistas descobrem mamadeira de 3.000 anos
Item foi encontrado no túmulo de uma criança da Idade do Bronze, cerca de 1.200 a.C. (Foto: Katharina Rebay-Salisbury)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Mães pré-históricas estavam dando a seus bebês mamadeiras de argila, criadas com a forma de pequenos animais, há mais de 3.000 anos, mostrando que elas “tratavam seus filhos com amor e atenção”, dizem os pesquisadores.

Os cientistas encontraram uma garrafa contendo resíduos de leite animal do túmulo de uma criança da Idade do Bronze que data de 1.200 aC. O vaso é pequeno o suficiente para caber na mão de um bebê e tem um pequeno bico do qual o bebê teria sugado o leite. Esta é a primeira evidência a mostrar bebês pré-históricos durante esse período que bebiam leite animal quando estavam sendo desmamados de suas mães.

 A pesquisadora-chefe Julie Dunne, da Universidade de Bristol, disse ao Independent : “Elas parecem pequenos animais míticos ou mágicos. É uma prova do tipo de criatividade e diversão das pessoas que fizeram as mamadeiras. Além disso, se você pensar em como elas são fofas e engraçadas, provavelmente quando as deram a um bebê, eles teriam rido. Você tem uma conexão real com o oleiro e está realmente nos dizendo que esses pais pré-históricos esbanjavam seus filhos com amor e atenção, eles realmente se importavam com eles “. 

No entanto, os pesquisadores também acreditam que nossos ancestrais neolíticos poderiam estar usando as garrafas milhares de anos antes.

“Esses vasos aparecem pela primeira vez no Neolítico, cerca de 7.000 anos atrás. Eu suspeito que os neolíticos foram usados para o mesmo propósito, mas não podemos confirmar isso até que os examinemos ”, disse Dunne.

Foto: H. Seidl da Fonseca
Foto: H. Seidl da Fonseca

O desmame de uma criança que usava leite animal anteriormente poderia ter ajudado a neutralizar um período de infertilidade que pode acontecer quando a mãe amamenta. Os caçadores-coletores estavam tendo filhos aproximadamente uma vez a cada cinco anos, mas os primeiros agricultores provavelmente os tinham a cada dois anos. Os cientistas acreditam que esses pequenos vasos poderiam ajudar a explicar por que houve um ‘boom de bebês’ durante o período neolítico.

Os cientistas analisaram três mamadeiras encontradas em túmulos infantis na Baviera – dois dos quais eram de um cemitério da Idade do Ferro datado entre 800 e 450 a.C e o outro do final da Idade do Bronze, entre 1.200 e 800 a.C. Os itens foram encontrados ao lado de crianças entre zero e seis anos. Cada uma tinha entre 5 e 10 cm de diâmetro e tinha um bico extremamente estreito que cabia dentro da boca do bebê. Como os bicos são pequenos, foi difícil determinar o que continham e, antes de analisá-los, os pesquisadores pensaram que poderiam ter sido usados para nutrir adultos doentes ou idosos.

Para entender o que havia dentro deles, os pesquisadores fizeram uma análise química dos ácidos graxos dos produtos de origem animal. Eles descobriram que dois dos vasos haviam sido usados para o leite de um animal ruminante (gado, ovelha ou cabra), enquanto o outro era leite não ruminante (provavelmente de porco ou humano). O estudo, publicado na Nature, é a primeira pesquisa a analisar como os bebês foram desmamados nessas culturas pré-históricas.

Vasos semelhantes foram encontradas na Roma e na Grécia antigas e os pesquisadores agora gostariam de investigar se serviam ao mesmo objetivo.  Os cientistas dizem que o estudo fornece uma visão crucial da dieta de crianças em populações humanas pré-históricas.

“Criar bebês na pré-história não foi uma tarefa fácil. Estamos interessados em pesquisar práticas culturais da maternidade, que tiveram profundas implicações para a sobrevivência dos bebês”, disse a pesquisadora Katharina Rebay-Salisbury, do Instituto de Arqueologia Oriental e Europeia da Academia Austríaca de Ciências. “É fascinante poder ver, pela primeira vez, quais alimentos esses vasos continham”, completou.

Fontes:
Independent-Scientists discover 3,000-year-old baby bottle

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *