Início » Cultura » Confira a agenda cultural em São Paulo e no Rio de Janeiro
Fim de semana

Confira a agenda cultural em São Paulo e no Rio de Janeiro

Veja o que de melhor vai acontecer neste final de semana nos teatros, museus, galerias e casas de show

Confira a agenda cultural em São Paulo e no Rio de Janeiro
Confira shows, teatros e exposições de São Paulo e Rio de Janeiro (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

São Paulo

Exposições

Lygia Clark: A mineira Lygia Clark (1920-1988) já dispensa apresentações nos Estados Unidos e na Europa. Muito apreciada e influente por lá, ela será tema de uma grande retrospectiva no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) no primeiro semestre de 2014. No Brasil, contudo, ainda há quem não conheça a importância de sua trajetória, por isso é oportuna a excepcional exposição que reúne 145 obras provenientes de coleções públicas e particulares.

Local: Itaú Cultural – Av. Paulista

Horário: Terça a sexta, 9h às 20h; sábado, domingo e feriados, 11h às 20h. Grátis. De 01/09 a 11/11.

Cassio Michalany: Conhecido pelo estilo geometrizado, Michalany traz dezesseis telas em Espaços da Cor. Nelas, realiza alterações cromáticas sutis para estimular a percepção do espectador.

Local:  Galeria Raquel Arnaud – Rua Fidalga

Horário: Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 16h. De 29/08 a 20/10.

O Tridimensional no Acervo do MAC: Uma Antologia: Museu de Arte Contemporânea enfim começa a inaugurar sua nova sede, no antigo prédio do Detran, no Ibirapuera com a exposição de dezessete esculturas da coleção do museu. Atenção especial para a divertida peça  “Sem Título mas com Amor”, de Ernesto Neto, feita com chumbo, bolas de isopor e uma meia de náilon.

Local: Museu de Arte Contemporânea – Parque do Ibirapuera

Horário: Terça a domingo, 10h às 18h. Grátis.

Mestre Júlio Santos: em cartaz na Pinacoteca e composta de 120 obras. Dono do Áureo Studio, de Fortaleza, Júlio Santos utiliza técnicas digitais, sobretudo o Photoshop, para retocar e mesmo recriar registros, alguns muito afetados pela passagem do tempo.

Local: Pinacoteca do Estado – Praça da Luz, Bom Retiro

Horário: Terça a domingo e feriados, 10h às 18h. A bilheteria fecha meia hora antes. Grátis aos sábados. De 04/08 a 23/09.

30ª Bienal de Arte de São Paulo: Acontece entre 7 de setembro e 9 de dezembro de 2012, no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera. Sob o título A iminência das poéticas e curadoria de Luis Pérez-Oramas, a mostra recebe 110 artistas neste ano, sendo 21 deles brasileiros. A Bienal está dividida em quatro temas: “Sobrevivências”, “Alterformas”, “Derivas” e “Vozes”, além de uma zona transversal, chamada “Reverso”, que reúne vários elementos da exposição em outros lugares como a Casa Modernista, a Capela do Morumbi, a Casa do Bandeirante e outras instituições. Entre os artistas estão Bernardo Ortiz, Charlotte Posenenske e os brasileiros Sofia Borges, Eduardo Berliner, Lucia Laguna e Marcelo Coutinho.

Local: Parque Ibirapuera

Horários: Terças, quintas, sábados e domingos, 9h às 19h (entrada até 18h); quartas e sextas, 9h às 22h (entrada até 21h). Grátis.

Rio de Janeiro

Exposições

Luiz Aquila e Roberto Magalhães: A partir de sexta, 14, Roberto Magalhães e Luiz Aquila serão homenageados com uma alentada individual no Paço Imperial. Magalhães, que fez sua estreia numa galeria em 1962, exibe 174 trabalhos em Quem Sou, de Onde Vim, para Onde Vou. Aquila teve suas obras incluídas em uma coletiva pela primeira vez dois anos antes do colega. Na mostra Quase Tudo, a Never Ending Tour, ele assina 200 criações produzidas nos últimos cinquenta anos.

Local: Paço imperial – Centro

Horário: A partir de sexta, 14, de terça-feira a domingo, das 12h às 18h. Grátis. Até 25 de dezembro.

Artistas brasileiros na Itália: Fundada por dom João VI em 1826, a Academia Imperial de Belas-Artes travou, desde o seu surgimento, um profícuo diálogo com a produção artística da Itália. Herdeiro do acervo da instituição, o Museu Nacional de Belas Artes joga luz sobre essa parceria abrigando a mostra com 95 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, de 38 criadores. Sobressaem no acervo alguns dos artistas da Academia Imperial que estiveram na Itália na segunda metade do século XIX, como os irmãos Félix (1866-1905), Rodolfo (1852-1931) e Henrique Bernardelli (1857-1936) e Victor Meirelles (1832-1903).

Local: Museu Nacional de Belas Artes – Centro

Horário: De terça a sexta, das 10h às 18h. sábados, domingos e feriados, das 2h às 17h. Grátis. Até 4 de novembro.

Alberto Giacometti: Um dos artistas mais importantes do século XX ganha sua primeira retrospectiva no continente sul-americano. A exposição tem curadoria de Véronique Wiesinger, diretora da Fondation Alberto et Annette Giacometti, Paris, e terá cerca de 280 obras provenientes da Fondation, entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras e artes decorativas, realizadas entre os anos 1910 e 1960. Ao lado das obras da Fondation, está exposta a peça “Quatro mulheres sobre base” (1950), pertencente ao MAM Rio – único acervo público da América Latina a possuir um trabalho do artista.

Local: Museu de Arte Moderna – Flamengo

Horário: Sexta, sábado e domingo, das 12h às 19h. Até 16 de setembro.

Teatro

Eu era tudo pra ela… e ela me deixou: Estréia prometida para sexta-feira, 14. Comédia com Marcelo Médici. Ele vive nove personagens que passam pela vida de Samuel (Ricardo Rathsam), sujeito que é abandonado pela mulher. Expulso de casa e rechaçado até por sua mãe e por aquele que julgava seu melhor amigo, ele esbarra com várias figuras insólitas ao longo de uma noite, como um bêbado e uma prostituta com tendências suicidas. De Emilio Boechat.

Local: Teatro das Artes – Gávea

Horário: Sexta e sábado, 21h, domingo, 20h30. R$ 70,00. Até 16 de dezembro.

A realidade é doida varrida: Em meados dos anos 80, o ator Rubens Corrêa (1931-1996) e o diretor Ivan de Albuquerque (1932-2001) conceberam um monólogo a partir da compilação de escritos do francês Antonin Artaud (1896-1948), um dos nomes mais importantes do teatro do século passado. Apresentado pela primeira vez em 1986, Artaud ficou em cartaz por três anos no Rio e viajou por outras cidades. Ao fim da temporada, Corrêa presenteou o amigo Marcos Fayad com o texto, sugerindo que ele pudesse assumir seu lugar em uma futura montagem. Mais de duas décadas depois, a ideia toma corpo em Artaud — A Realidade É Doida Varrida.

Local: Espaço Tom Jobim – Jardim botânico

Horário: Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 40,00. Até 23 de setembro.

Shows

Nouvelle Vague: Em 2003, os produtores musicais franceses Marc Collin e Olivier Libaux começaram a criar versões com um toque de bossa nova para pérolas do pós-punk surgidas entre o fim dos anos 70 e o começo dos 80. Extravagante, a ideia foi o ponto de partida para um bem-sucedido projeto enfeitado por cantoras tão belas quanto afinadas. A francesa Camille e a australiana Nadéah Miranda já passaram pelo grupo. De volta ao Circo Voador, na sexta-feira, 14, a atual banda Nouvelle Vague traz as vozes, e todo o resto, de Mareva Galanter e Liset Alea, além de uma proposta diferente.

Local: Circo Voador – Arcos da Lapa

Horário: Sexta, 14, meia noite. R$ 160,00

Erasmo Carlos: Sexo & Rock’n’Roll é o nome do espetáculo em que o Tremendão comemora meio século de carreira. Do último CD, Sexo, ele apresenta Kamasutra, parceria com Arnaldo Antunes, Jogo Sujo e Apaixocólico Anônimo. No palco, o roqueiro é acompanhado pela banda Filhos de Judith. Generoso, o repertório inclui clássicos como Sentado à Beira do Caminho e Minha Fama de Mau.

Local: Imperator – Méier

Horário: Sábado, 15, 21h. R$ 50,00 (pista) e R$ 60,00 (poltrona)

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *