Início » Brasil » Conheça a origem das marchinhas de Carnaval
Carnaval

Conheça a origem das marchinhas de Carnaval

As marchinhas são músicas que se confundem com a própria história do Carnaval. Confira a nossa seleção

Conheça a origem das marchinhas de Carnaval
De melodia simples e ritmo acelerado, as marchinhas exercem uma grande atração nas pessoas (Foto: Pixabay)

Sinônimo de bloco de rua, as marchinhas de Carnaval encantam foliões de diferentes idades por mais de um século. A primeira marchinha foi composta por Chiquinha Gonzaga em 1889. A canção “Ó abre alas” foi criada especialmente para animar o cordão Rosa de Ouro.

De melodia simples e ritmo acelerado, as marchinhas exercem uma grande atração nas pessoas. Apesar de ser um gênero musical de todo o Brasil, foi no Rio de Janeiro que as marchinhas vingaram. Então capital federal, o Rio tinha as principais emissoras de rádio e gravadoras de discos, que potencializaram a divulgação do gênero.

As marchinhas de carnaval consagraram-se entre as décadas de 1920 e 1960. Após esse período, entraram em declínio, porém nunca chegaram a desaparecer. Até hoje, suas letras debochadas e irônicas são cantadas por foliões em todo o país.

Confira a lista que o Opinião e Notícia preparou com algumas das marchinhas mais conhecidas do Carnaval.

1) Ô abre alas (1889) – Esta pode não ser a canção mais tocada nos carnavais, mas é a pioneira do que viria a ser um gênero musical. Composta por Chiquinha Gonzaga, foi criada especialmente para animar o cordão Rosa de Ouro.

2) Cidade Maravilhosa (1935) – Uma das canções mais famosas do carnaval carioca é a “Cidade Maravilhosa”. Composta por André Filho, a marchinha não só fala sobre o Rio de Janeiro, como seus primeiros acordes são do hino da cidade.

3) Mamãe eu quero (1937) – A composição de José Luís Rodrigues Calazans (Jararaca) e Vicente Paiva também é uma das marchinhas mais executadas no carnaval.

4) Saca-rolha (1954) – Música da boemia carnavalesca, a canção composta por José Gonçalves, Zilda Gonçalves e Valdir Machado se tornou um clássico do repertório carnavalesco.

5) Índio quer apito (1960) – A parceria de Haroldo Lobo com Milton de Oliveira rendeu diversos sucessos, entre eles o “Índio quer apito”. Esta é uma das canções que mais renderam em direitos autorais aos dois compositores.

6)  Cabeleira do Zezé (1963) – Segundo o compositor João Roberto Kelly, a marchinha foi criada em uma mesa de bar. “Trabalhava em uma televisão e de noite gostava de ir para um bar no Leme bater papo com amigos. Tinha um garçom cabeludo e fiz Cabeleira do Zezé.”

7) Marcha do remador (1964) – Escrita por Antônio Almeida e Oldemar Magalhães, a canção fez grande sucesso no carnaval daquele ano, na voz de Emilinha Borba.

6) Maria Sapatão (1980) – Uma das canções mais polêmicas do Carnaval foi composta por uma dupla também um tanto inédita: João Roberto Kelly e Chacrinha.

 

 

Fontes:
Sua Pesquisa-Marchinhas de Carnaval

5 Opiniões

  1. ingrid muni disse:

    Amei da vez q apresentei a jatdeineira na escola

  2. Suelen Rios disse:

    Adoro essas marchinhas , sinto uma saudade danada do carnaval antigo de rua que só cantavam elas.

  3. Joma Bastos disse:

    “Um estilo musical importado para o Brasil, descende diretamente das marchas populares portuguesas, partilhando com elas o compasso binário das marchas militares, embora mais acelerado, melodias simples e vivas, e letras picantes, cheias de duplo sentido. Marchas portuguesas faziam grande sucesso no Brasil até 1920, destacando-se Vassourinha, em 1912, e A Baratinha, em 1917.”.
    (http: //www.formulacultural.org.br/2013/01/marchinhas-de-carnaval-origem.html)

  4. Henrique Meyer de Azevedo disse:

    Faltou a “Chiquita bacana”

  5. Áureo Ramos de Souza disse:

    Muito bem todas essas marchinhas é de conhecimentos para os que hoje têem 60 a 75 anos mas os Recifenses também possuem muitas marchinhas e marchas e frevos acredito que dá mesma época das manchinhas citadas. Nos carnavais passados já no mês de outubro novembro as rádios já começam a tocar marchinhas, frevos e marchas dos acontecimento do ano que ia se acabando, lembro-me de quando o homem ou seja Yuri Gagari foi a Lua foi cantada “GAGARI SUBIU SUBIU SUBIU FOI ATÉ O ESPAÇO SIDERAL CHEGOU PERO DA RUA E SORRIU VOU EMBORA PRO BRASIL QUE O NEGOCIO É CARNAVAL e vai por ai. Vassourinha o hino do carnaval pernambucano é uma frevo e temos Capiba com milhares de música cantada por Claudionor Germano hoje com 80 anos. Quando aqui em Recife se criava uma música tinha que correr ao Rio p/ gravar mas depois veio a fabrica de disco Rozemblit e não precisamos mais do Rio. As marchinhas saim aqui do Recife mesmo naquela época. E o bom era as pornochanchadas que tinha que ter carnaval com Oscarito e Grande Otelo e Também Ankito era uma MARAVILHA.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *