Início » Cultura » Demônios e alienígenas também têm vez no Natal
Filmes B

Demônios e alienígenas também têm vez no Natal

Os filmes servem para divertir quem está alarmado com os conflitos no Rio. Por Solange Noronha

Demônios e alienígenas também têm vez no Natal
Cena do filme Skyline (Fonte: Divulgação)

Como sempre nesta época do ano, especialmente na TV, prepare-se para uma invasão de filmes românticos, bíblicos, lacrimogêneos, infantis e/ou estrelados por Papai Noel. Afinal, é tempo de Natal e férias escolares. Estas, porém, não dizem respeito apenas a crianças, mas também a adolescentes que já não têm ilusões em relação ao bom velhinho. E estes — bem como muitos adultos, acreditem — adoram levar sustos no cinema, são fãs de efeitos especiais (mesmo chinfrins) e apreciam até um “bom filme ruim” — quem não passou pela puberdade que atire a primeira pedra. 

Para eles, títulos na medida certa estão chegando às telas ou aterrissando nas locadoras de vídeo, pois foram lançados no mercado diretamente em DVD. Aterrissar é um termo que cabe na enésima adaptação da mais famosa obra de Herman Melville: em sua versão 2010, o mamífero jurássico dos mares é capaz de destruir submarinos nucleares e transatlânticos — além de comer outros veículos de menor porte — e não só se locomove em terra firme como voa mesmo (como aquelas incríveis piranhas que, depois de anos, voltaram a atacar nos cinemas em 3D). E olha que o bicharoco é gigantesco e pesa toneladas! (se o Cirque du Soleil usasse animais, poderia ser a maior de suas atrações acrobáticas…).  

No novo “Moby Dick” — ora classificado como filme catástrofe, ora como aventura — e em outras produções do gênero, um dos trunfos é o baixo custo. Não há grandes investimentos em figurinos, cenários, efeitos e, claro, tampouco no elenco, em que não há nomes famosos e os rostos mais manjados vêm, basicamente, da televisão.   

Sua única personagem feminina — as outras pouquíssimas mulheres fazem mera figuração — é meio difícil de reconhecer à primeira vista. Porém, após imaginá-la mais jovem e mais magra, a ficha cai: ela é Renée O’Connor, que, em priscas eras, foi Gabrielle e enfrentou outros perigos mitológicos ao lado de Xena, a princesa guerreira (Lucy Lawless). Já no numeroso time masculino, vivendo o obcecado Capitão (da Marinha norte-americana) Ahab, Barry Bostwick até que não faz feio. O ator já bateu ponto no cinema, mas é mais conhecido por sua participação em várias séries, em especial a saudosa “Spin City”, em que, na pele de um desastrado prefeito de Nova York, mestre da “saia justa”, era sempre salvo por seu braço direito, interpretado por Michael J. Fox.   

Gabrielle (Renée O’Connor) e Xena (Lucy Lawless)

O demônio está ao lado

Para Ahab, o baleião que quase o matou no passado é o próprio demo encarnado — “He is the devil himself”, diz ele, com uma certa opacidade (natural ou não) sobre o azul claro acentuando seu olhar alucinado. Mas há um concorrente na praça: outro “Devil” — “Demônio” em português –, que tem argumento e produção de M. Night Shyamalan e é anunciado como o primeiro título de uma trilogia: “The night chronicles”.

Cena de filme 'Devil' (Demônio)

Aqui, há sustos de boa qualidade e uma historinha de terror despretensiosa, mas bem amarradinha — ou seja, com início, meio e fim, que já é mais do que se tem visto na maioria dos representantes do gênero nos últimos tempos. O demônio — agora sim em pessoa — está num elevador (o de número 6, que, obviamente, pisca três vezes no painel de alerta) empacado nas alturas de um grande edifício comercial da Filadélfia e pode ser qualquer um dos cinco homens e mulheres presos no exíguo espaço. O ambiente escuro e claustrofóbico e a musiquinha habitual desses lugares são de agoniar qualquer um. Enquanto isso, do lado de fora, temos policiais — um deles em crise –, seguranças — um deles religioso e supersticioso ao extremo — e bombeiros tentando resolver a situação. 

O elenco inclui vários atores que fazem cinema mas são figurinhas fáceis na TV, como Jenny O’Hara (dos seriados “Amor imenso” e “The king of Queens”), Matt Craven (“The Pacific”, “Plantão médico”), Chris Messina (“A sete palmos”, “Law & order”) e Bokeem Woodbine (“Saving Grace”, “Blade: the series”).  

Jenny O'Hara

A ameaça que veio do espaço

O mesmo recurso é usado na escalação de “Skyline — a invasão”, estrelado pelo feiosão charmoso Eric Balfour — antagonista do mocinho em “Haven” — e a bela Scottie Thompson — de “Trauma” e “NCIS”. Entre os coadjuvantes, encontramos Brittany Daniel (a loura de “It’s always sunny in Philadelphia” e “The game”), Donald Faison (o Turk de “Scrubs”) e David Zayas (o sargento Angel Batista de “Dexter”). 

Cena do filme 'Skyline'

A diferença está na localização — a história se passa em Los Angeles — e no terror que eles enfrentam — a ameaça não vem das profundezas do inferno, mas do céu. Embora sejam feios como o diabo, os invasores descem à Terra em naves espaciais — tão gigantescas quanto Moby Dick –, dispostos a tudo para, literalmente, engolir os humanos — e seu apetite é ainda mais voraz que o da baleia com memória de elefante, que reconhece Ahab quatro décadas depois de seu primeiro encontro (ou assim ele acredita).

Quando alguém tenta argumentar que as pessoas estão exagerando nas atitudes em relação ao que está acontecendo — e que ninguém sabe explicar exatamente o que é — Oliver (David Zayas) é incisivo: “Você não percebeu? Nós estamos em guerra!” Para quem tem se alarmado com os últimos acontecimentos no Rio ou mora em áreas de permanente conflito bélico, sustos cinematográficos e batalhas contra seres marinhos pré-históricos, extraterrestres ou demoníacos de qualquer procedência, mas que pertencem ao mundo da ficção, podem funcionar como uma espécie de exorcismo para as guerras do mundo real. E ainda, sem exigir qualquer esforço cerebral, garantir momentos de diversão em que, muitas vezes, vale a máxima: quanto mais tosco, melhor.

Caro leitor,

Você gosta de produções cinematográficas baratas? Acha que os chamados filmes B podem ser divertidos?

É fã de filmes catástrofe? 

E de filmes com animais gigantescos e ameaçadores, como orcas, tubarões, jacarés, anacondas e outros tantos já vistos no cinema?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Sandra disse:

    Tem um filme genial de 1994 de Tim Burton,com o Johnny Depp, que é a estória de um legendário diretor de filmes horríveis “Ed Wood” (Johnny Depp)e seu estranho grupo de amigos e atores…
    Dentro do filme tem a filmagem de um suposto filme B “Ed Wood-Plan 9 From Outer Space (Plan 9 do espaço exterior)” que é o filme mais impagável que já ví…Para quem se interessar lá vão os links…
    http://www.youtube.com/watch?v=51U0f4VKXIg
    e
    http://www.youtube.com/watch?v=eRElCmDqYYk

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *