Início » Cultura » Imagens inéditas de Woodstock, o festival que mudou os EUA
OS 50 ANOS DO WOODSTOCK

Imagens inéditas de Woodstock, o festival que mudou os EUA

Mais de 100 fotografias do festival nunca antes vistas são exibidas em novo livro, juntamente com relatos de dezenas de participantes de Woodstock

Imagens inéditas de Woodstock, o festival que mudou os EUA
As imagens recentemente desenterradas foram tiradas pelo fotojornalista Richard F. Bellak (Foto: Richard Bellak)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Cinquenta anos atrás, centenas de milhares de pessoas seguiram para uma fazenda em Bethel, um pequeno vilarejo no estado de Nova York, para um dos episódios que marcou a história da contracultura americana: o festival Woodstock.

Um evento que marcaria os 50 anos do festival, completos nesta semana, o “Woodstock 50” foi cancelado, mas um novo livro está oferecendo uma maneira alternativa de reviver o festival de 1969 – trazendo à tona mais de 100 fotografias nunca antes vistas.

As imagens recentemente desenterradas foram clicadas pelo fotojornalista Richard F. Bellak, que morreu em 2015 sem nunca tê-las publicado. O artista e professor John Kane, que estava pesquisando o festival para um livro, comprou os negativos em um leilão do espólio do falecido fotógrafo.

Bellak foi, segundo Kane, um dos poucos fotógrafos de “nível profissional” que registrou o evento. Aparentemente, ele deixou de lado os artistas do festival (entre eles, Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jefferson Airplane e The Who) e, em vez disso, decidiu voltar a lente de sua câmera para os participantes.

Como resultado, suas imagens mostram os participantes saindo, assistindo bandas e descansando em acampamentos, enquanto documentam a deterioração do local lamacento ao longo de cinco dias. Bellak também levou uma série de imagens noturnas raras, que eram especialmente difíceis de capturar usando as câmeras da época.

Foto: Richard Bellak

Para Kane, que nasceu no ano seguinte a Woodstock, publicar as fotos não era simplesmente uma questão de posteridade. Ele passou um tempo lendo os escritos de Bellak e até se encontrou com uma de suas ex-namoradas para ajudar a entender melhor um fotógrafo que ele descreve como “um pouco reservado”.

“Era importante para mim, se eu fosse fazer algo com essa coleção, saber quem era esse homem. Eu sou um artista e eu precisava descobrir qual era a voz dele como artista”, explicou Kane.

O novo livro de Kane, “Pilgrims of Woodstock”, combina as fotos de Bellak com mais de 30 de suas entrevistas com os participantes do festival. Embora Kane não tenha sido capaz de rastrear as pessoas presentes nas fotos clicadas por Bellak, seu processo de entrevista ainda foi moldado pelo trabalho do fotojornalista – em particular, a diversidade capturada no festival.

“Woodstock é conhecido por ser um público branco, mas existem latinos e negros nas fotos de Bellak. Porque ele estava morando em Nova York na época, ele realmente tinha esse foco, o que levou à ideia de realizar uma seleção diversificada de entrevistas “, disse Kane.

Kane falou com ex-militares, vozes conservadoras e membros de minorias étnicas e comunidades LGBT para compor o livro, além do público mais tipicamente associado a Woodstock. Juntos, eles oferecem uma gama de perspectivas que ele sentia estar faltando na história de Woodstock.

E apesar das diferenças, Kane encontrou pontos em comum unindo suas experiências: “Se era um veterano do Vietnã, um jornalista ou quem quer que seja, as pessoas testemunhavam um coletivo unificado de pessoas que acabaram de se tornar uma só. Todos com quem falei mencionaram a procura de uma experiência transformadora de alguma forma”.

Se o malfadado Woodstock 50 – originalmente marcado para começar na última sexta-feira, 16, antes do organizador adiar por uma “série de imprevistos” – poderia ter fornecido algo semelhante para os jovens de hoje, nunca se saberá. Mas enquanto Kane acredita que é “totalmente impossível” recriar Woodstock, a geração atual está, disse ele, precisando de sua própria “experiência semelhante a Woodstock”. “É preciso haver um local para a cultura jovem atual poder se expressar dessa maneira”, diz Kane.

Foto: Richard Bellak

Foto: Richard Bellak

Foto: Richard Bellak

Foto: Richard Bellak

Foto: Richard Bellak

Foto: Richard Bellak
Foto: Richard Bellak
Foto: Richard Bellak
Foto: Richard Bellak
Foto: Richard Bellak
Foto: Richard Bellak
Foto: Richard Bellak

Leia mais: Como o Festival de Woodstock mexeu com o mundo

Fontes:
CNN-Woodstock at 50: Unseen images of the festival that changed America

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *