Início » Cultura » Internet ajuda a resgatar a indústria fonográfica
Música

Internet ajuda a resgatar a indústria fonográfica

Pela primeira vez em 13 anos, a indústria fonográfica está crescendo novamente

Internet ajuda a resgatar a indústria fonográfica
Vendas digitais aumentaram 9% em 2012 (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

De acordo com dados divulgados em 26 de fevereiro pela Federação da Indústria Fonográfica, a venda de música gravada subiu em 2012, pela primeira vez desde 1999, ainda que apenas 0,3%, para US$ 16,5 bilhões.

A internet deu um golpe na indústria fonográfica, mas agora a está ajudando a se reerguer. As vendas digitais aumentaram 9% no ano passado; um terço da receita da indústria fonográfica hoje em dia se deve a canais de distribuição digitais. Serviços populares de streaming, tal como Spotify e Deezer, que pagam direitos autorais toda vez que uma música é executada, também ajudaram a resgatar o setor. Serviços por assinatura tiveram 20 milhões de assinantes pagantes por todo o mundo em 2012, uma alta de 44% em relação ao ano anterior. Outros tantos milhões usam versões gratuitas financiadas por anúncios.

A disseminação dos smartphones tornou mais atraente possuir e ouvir música por streaming legalmente. Os smartphones estão em terceiro lugar na lista de dispositivos mais usados para ouvir músicas, atrás apenas de computador e aparelhos de som de alta fidelidade. Hoje em dia, mais de 100 países contam com serviços de música digital para o download e streaming legal, comparado a apenas 23 em janeiro de 2011.

As receitas oriundas de meios digitais podem estar subindo, mas vendas físicas ainda são responsáveis pela maior parte da receita da indústria fonográfica – e esta continua a cair em todos os lugares. Cerca de um terço dos usuários da internet continuam a visitar sites não licenciados. Isso pode explicar o porquê do faturamento ter parado de cair, ainda que não tenha aumentado nem um ponto percentual. Ainda assim, tudo indica que a indústria fonográfica encontrou (finalmente) um ritmo novo e mais vigoroso.

Fontes:
The Economist-Something to sing about

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *