Início » Cultura » Livros » “Nem Vem que não Tem”, a história de Simonal
Livro

“Nem Vem que não Tem”, a história de Simonal

“Nem Vem que não Tem”, a história de Simonal
Fonte: Valor Econômico

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O novo livro do jornalista Ricardo Alexandre, “Nem Vem que não Tem”, se envolve em um tema espinhoso: teria ou não o cantor Wilson Simonal sido informante dos militares? A polêmica iniciada em 1971 durou até 2009, e o livro de Alexandre vai mais longe que as reportagens sensacionalistas deste e de outros anos.

O autor retrata a ascensão e queda do cantor, trazendo análises sobre o diferencial da interpretação dada por Simonal, que o tornou único. Alexandre tem credenciais para falar do assunto. Ele foi o editor da caixa de CDs “Wilson Simonal na Odeon”, que vem acompanhada de um livreto sobre a vida e obra do cantor.

A razão da queda de Simonal, de acordo com Alexandre, foi uma mistura de inocência política com um deslumbramento com a própria fama e poder. Simonal se julgava intocável e a assinatura de um documento admitindo fornecer informações para militares acabaram em um processo de difamação nunca antes visto na imprensa e na classe cultural brasileiras.

Leia a resenha escrita por Zuza Homem de Mello para o Valor Econômico aqui, para assinantes

Leia também: Wilson Simonal: um assassinato artístico

Fontes:
Valor Econômico - Ascensão e queda do rei

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Eleutério Gomes disse:

    Wilson Simonal foi um grande artista. Seu assassinato artístico pela turma do Pasquim foi nojento. Dizem que o autor intelectual disso foi o Jaguar, que ainda está por aí diariamente nos jornais e provavelmente aproveitando sua bolsa ditadura, junto com sua turma de aproveitadores sem-vergonha: Carlos Heitor Cony, Ziraldo e tantos outros. VERGONHA!

  2. Apolonio Prestes disse:

    Quem devia ser proibido de trabalhar é o Jaguar, que além de mau caráter é um humorista medíocre.

  3. luiz antonio vieira barbi disse:

    CERTISSIMO O ARTIGO!! REALMENTE ELE ERA UM SUPER DESLUMBRADO COM A FAMA!!! VERDADE PURA!!! DESLUMBRADOS EM GERAL COMETEM INUMERAS ASNEIRAS E COSTUMAM SE ESTREPAR SERIO!! JA O PASQUIM ERA CRUEL DEMAIS, POR SINAL, ORIGEM REMOTA DO LULA…..

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *