Início » Cultura » Madaba e o mosaico da Terra Santa
Turismo

Madaba e o mosaico da Terra Santa

Originalmente, o mosaico tinha 190 metros quadrados e era formado por milhões de peças coloridas. Por Fernanda Costta*

Madaba e o mosaico da Terra Santa
Mosaico de Madaba ilustra a antiga Palestina e a Terra Santa (Reprodução/Viaggio Mondo)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Madaba está localizada a aproximadamente 30 quilômetros ao sul de Amã. Pouco se conhece a respeito da história da cidade, apenas que era território do reino da Judeia, e que já havia sido governada pelos hebreus, nebateus, romanos e por uma tribo beduína chamada Moab — que habitou a região há mais de 3 mil anos, segundo registros históricos.

No fim do século XIX, durante o período otomano, foi permitido que um grupo de 2 mil católicos voltasse a viver na região e pudesse reconstruir as igrejas bizantinas, que haviam sido destruídas ali. Foi durante uma destas reconstruções que foi descoberto o famoso mosaico de Madaba, datado do ano 570.

O mosaico ilustra a antiga Palestina e a Terra Santa, com suas cidades, vilas, rios, mares, colinas e outras características notáveis. Jerusalém foi retratada de uma maneira fascinante, com a catedral do Santo Sepulcro, os portões de Damasco e Jaffa, e ainda com a extinta Cardo Maximus – a tradicional avenida romana que cortava a região longitudinalmente.  O mosaico possuía originalmente 190 metros quadrados e era formado por mais de 2 milhões de peças coloridas — entretanto, apenas metade sobreviveu ao longo dos séculos.

É possível encontrar mosaicos pela cidade inteira e inclusive levar para casa o artesanato local mais famoso. Quem for chegar à Jordânia à noite, pode hospedar-se em Madaba (que é mais próximo que Amã) e já logo cedo desbravar a cidade, deixando o restante do dia para conhecer o Monte Nebo e o Mar Morto. Os hotéis em Madaba são em geral simples — recomendo o Madaba Inn, um três estrelas que fica em frente à Igreja de São Jorge.

*Fernanda Costta é graduada em Turismo e já visitou mais de 40 países. Há três anos escreve suas aventuras no blog.

Artigo publicado originalmente no blog Viaggio Mondo, parceiro do Opinião e Notícia.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *