Início » Opinião » Biografias » Monteiro Lobato é preso
NESTA DATA

Monteiro Lobato é preso

Engajado na causa do nacionalismo, Monteiro Lobato foi preso em 20 de março de 1941, por escrever para Getúlio Vargas uma carta com críticas à exploração do petróleo no Brasil

Monteiro Lobato é preso
Monteiro Lobato: um dos maiores escritores brasileiros do século XX (Foto: Wikimedia)

Em 1941, o escritor Monteiro Lobato envia uma carta ao presidente Getúlio Vargas com severas críticas à política brasileira de exploração do petróleo. Suas ideias provocaram o governo brasileiro e, em 20 de março de 1941, é decretada a sua prisão por seis meses. Lobato recebeu indulto do presidente após três meses e saiu da prisão, mas a luta pelo petróleo acaba por deixá-lo pobre e doente.

Nascido em 18 de abril de 1882, na cidade de Taubaté (SP), José Bento Renato Monteiro Lobato se interessava pela literatura desde pequeno. Na biblioteca na casa do avô materno, lia todos os livros infantis que encontrava. Aos 14 anos, escrevia contos para os jornais da escola.

Em 1900, muda-se para São Paulo e ingressa na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Com os colegas de turma, funda uma sociedade literária chamada Arcádia Acadêmica. Elogiado pelos seus textos originais e pelo humor irreverente, torna-se presidente da organização e colabora com o jornal Onze de Agosto, escrevendo crônicas e críticas teatrais. No ano seguinte, vence o concurso literário promovido pelo Onze de Agosto, com o conto “Gens ennuyeux”.

Forma-se bacharel em Direito em 1904, e regressa a Taubaté. Três anos depois, é nomeado promotor público em Areias e em 1908, casa-se com Maria Pureza, com quem tem três filhos.

Teve artigos publicados pelo jornal o Estado de São Paulo, incluindo uma enorme pesquisa sobre o Saci. Em 1917, cria um de seus personagens mais famosos, o polêmico Jeca Tatu, e no ano seguinte, lança com estrondoso sucesso Urupês, seu primeiro livro de contos.

Engajado na causa do nacionalismo, defendia uma arte devidamente brasileira. Cria personagens procurando resgatar a cultura do interior e lendas do folclore nacional.

Funda a Editora Monteiro Lobato & Cia em 1918, lançando autores inéditos e melhorando a qualidade gráfica das publicações do país, mas vai a falência. Mais tarde, funda a Cia. Editora Nacional.

Em 1920, publica Negrinha e A Menina do Narizinho Arrebitado, sua primeira obra para crianças. Daí, surgem novos personagens, como Dona Benta, Pedrinho, Visconde de Sabugosa, Tia Nastácia e a boneca Emília, que dão origem ao Sítio do Pica-pau Amarelo.

Muda-se para Nova Iorque em 1927, onde vive durante quatro anos. Quando retorna ao Brasil, dedica-se à Campanha do Petróleo.

Autor da célebre frase “um país se faz com homens e livros”, ao longo de sua vida, dedica suas obras principalmente para o público infantil. Escreve em torno de duas dezenas de livros para crianças e outros tantos volumes para adultos, entre contos, ensaios e artigos.

Monteiro Lobato morre em 4 de julho de 1948, vítima de um acidente vascular.

Em 8 de janeiro de 2002, o dia 18 de abril foi oficializado como Dia Nacional do Livro Infantil, em homenagem ao nascimento de um dos maiores escritores brasileiros do século XX.

 

Fontes:
OAB-SP-A prisão de Monteiro Lobato

9 Opiniões

  1. Rogerio Faria disse:

    O nacionalista Monteiro Lobato, se fosse vivo,iria morrer pela segunda vez ao ler o projeto “A Ponte para o Futuro” do PMDB.

  2. Ludwig Von Drake disse:

    Monteiro Lobato popularizou uma divindade africana chamada Aroni, companheiro de Ossanin (Ossanha nos Candomblés). Trata-se do Saci. Percebe-se a corruptela: Ossanín = O Saci.

  3. Carlos U. Pozzobon disse:

    Não sei porque se fala tanto em Monteiro Lobato como autor de livros infantis e quase nada de sua obra adulta, um verdadeiro bofetão no atraso nacional. Ele deveria ser mais conhecido por sua obra adulta, mas não é, infelizmente.
    http://www.lobatoessencial.blogspot.com.br/

  4. Aureo Ramos de Souza disse:

    Muito bom, mais muito bom mesmo ouvir Monteiro Lobato, ví quando em criança suas criações maravilhosas e entrevista me é a primeira E ASSIM NESTE SENÁRIO DE real VALOR, VEJAM O VULTO ENCANTADO QUE MONTEIRO LOBATO CRIOU. Não sei qual foi a escola de samba que o homenageou continha este refrão. Obrigada a OPINIÃO & NOTICIA por esta bela oportunidade de escutar a voz de uma pessoa que fui fã. Muito obrigado mesmo. Que brasileiro, que pessoa, que homem. Falar de Monteiro Lobato é falar de um verdadeiro brasileiro.

  5. sanna disse:

    são muito bons os personagens do Monteiro Lobato e de muita cultura as crianças eu adorava o sítio do pica-pau amarelo.

  6. Elisa disse:

    MARAVILHOSO. TEM QUE SER ESCRITO SEMPRE COM LETRA MAIÚSCULA. É DISSO QUE PRECISAMOS, FATOS NOTÓRIOS, DE CAUSAR ALEGRIA E EMOÇÃO AOS VERDADEIROS BRASILEIROS. E PENSAR QUE TEM POLÍTICOS, MAU EDUCADORES, CONTESTANDO OS LIVROS DE MONTEIRO LOBATO NAS ESCOLAS … … BAH … … … PRECONCEITUOSOS SÃO ELES; E IGNORANTES.

  7. André Ricardo Cruz Fontes disse:

    Monteiro Lobato deveria sempre ser lembrado como um dos grandes personagens da nossa História! E conhecer a sua vida é o tributo a todos nós pelo bom brasileiro que foi.

  8. isabelle disse:

    lobato era um homem surpreendente encantou todo tipo de idade eleéra uma verdadeira dádiva da nossa literatura e um exemplo que criatividade lobato foi um homem espetacular merece todo nosso respeito e considerasão lobato foi realmente especial em nassa literatura

    parabens lobato obrigada por deixar nossa literatura tão rica !!

  9. EDVALDOTAVARES disse:

    ALGO MAIS SOBRE MONTEIRO LOBATO. Além de ensaísta, tradutor, editor e contista, ML era formado em Direito, tendo exercido o cargo de promotor público. Um dia recebeu uma herança deixada pelo seu avô e, a partir daí, tudo mudou. Gozando de uma vida mais amena, em termos de luta pela sobrevivência, tornou-se fazendeiro. Essa mudança no estilo de vida permitiu-lhe publicar os primeiros contos em jornais e revistas. Urupês – reunião de uma série dessas publicações – é consagrada como obra prima do autor. Tendo por inspiração a fantasia mesclada com a realidade, exposta em linguagem simples, garantiu o sucesso entre as crianças. O público mirim, fã do estilo literário que agrada o seu gosto, fez de Lobato, precursor da literatura infantil no Brasil, o seu ídolo. Quanto de nós, adultos, guarda no acervo das recordações, a lembrança de Emília, a boneca de pano, dona de atitudes, idéias e sentimentos, independentes? Que dizer dos demais personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo? E da aterradora Cuca, que metia medo a todos? Não podem ficar de fora do revolvimento do baú das recordações: Pedrinho, com o qual se identifica, quando era criança, o renomado escritor, e, o Visconde de Sabugosa, a espiga de milho humanizada, dotada de sabedoria. Dono de proficiente capacidade imaginativa, Monteiro produziu diversas outras obras dirigidas ao público de sua preferência, o infantil: Reinações de Narizinho, Emília no País da Gramática, O Saci, A Menina do Nariz Arrebitado, Fábulas do Marquês de Rabicó, Memórias de Emília e outras tantas. Desconhecidas do público, de uma maneira ampla, são as obras literárias, não infantis, publicadas: O Choque das Raças, A Barca de Gleyre e Urupês. Na obra o Escândalo do Petróleo, adota uma posição em relação à política da época, no qual demonstra todo o seu nacionalismo expressado de forma peremptória, que a exploração do petróleo tem que ser efetuada apenas por empresas brasileiras. Infelizmente, os grandes homens também morrem, após cumprir a missão que lhes fora determinada ou, por escolha própria, e em 1948, o Brasil perde esse grande brasileiro. BRASIL ACIMA DE TUDO! SELVA! EDVALDOTAVARES. MÉDICO. BRASÍLIA/DF.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *