Início » Cultura » Artes Plásticas » A trajetória de Rembrandt
Nesta Data

A trajetória de Rembrandt

No dia 15 de julho, nasce Rembrandt van Rijin, o maior artista holandês

A trajetória de Rembrandt
Autorretrato de chapéu, com os olhos arregalados (Foto: Wikipedia)

Em 1642, o pintor Rembrandt entregou uma obra que pintara sob encomenda. Era a chamada “A Ronda Noturna” (que, hoje se sabe, não era ronda nem noturna). O cliente a rejeitou, acusando o artista de “não ter pintado seu retrato”, de ter representado “o cenário de uma ópera bufa” e de ter cobrado um preço “muito alto”. Nos debates que se seguiram, o pintor foi enfim acusado de “pintar só o que queria”. Talvez por isso, Rembrandt tornou-se um dos mais importantes nomes da história da arte ocidental.

Embora de família humilde, Rembrandt van Rijn recebeu boa instrução. Freqüentou a Universidade de Leiden, mas em 1620 interrompeu os estudos para dedicar-se à pintura. No ano seguinte, foi aprender as técnicas de Jacob van Swanenburg no ateliê desse pintor.

Em 1623, transferiu-se para Amsterdã, tornando-se discípulo de Pieter Lastman. Dois anos depois, pintou seu primeiro quadro conhecido. Voltou para Leiden em 1627, permanecendo quatro anos. Ali, instalou seu primeiro ateliê, iniciando intensa atividade artística. Dessa época datam várias águas-fortes.

Em 1631, estabeleceu-se definitivamente em Amsterdã, obtendo rapidamente grande reconhecimento. No ano seguinte, pintou a famosa “Lição de Anatomia do Dr. Tulp”, que lhe rendeu muitas encomendas de retratos e pinturas sacras.

Já famoso, Rembrandt casou em 1634 com Saskia Uylenburgh (com quem teria um filho, Titus). O casal foi morar numa casa confortável no bairro judeu de Amsterdã. O lugar tornou-se centro de reuniões sociais, abrigando um belo acervo de móveis e objetos antigos. Rembrandt passou a ter muitos alunos e muitos clientes ricos.

Saskia morreu em 1642. Três anos depois, Hendryckje Stoffels começou a trabalhar como babá de Titus e foi morar com Rembrandt, tornando-se sua companheira. Em 1654, Rembrandt teve com ela uma filha ilegítima, a quem deu o nome Cornelia. O fato causou grande escândalo.

Em 1656, após uma série de problemas nos negócios, Rembrandt teve a falência decretada. Dois anos depois, todos os seus bens foram vendidos judicialmente. Num desses leilões, arrematou-se o “Auto-Retrato de Barba Nascente”, hoje no Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Em 1660, Titus e Hendryckje abriram uma empresa para comercializar as obras do pintor, evitando o prosseguimento da falência. Em 1663, Rembrandt perdeu a companheira. Mesmo sozinho, continuou executando várias obras, entre elas paisagens e auto-retratos. Pintou também retratos de Titus; num deles (o quadro “São Mateus e o Anjo”, que está no Museu do Louvre), o filho aparece como Mateus. Titus morreu em 1668.

Rembrandt pintou ainda um último “Auto-Retrato”, uma composição dramática. Rembrandt van Rijn morreu aos 63 anos, no dia 04 de outubro de 1669, na solidão e na miséria.

Fontes:
Uol Educação
Holland-Rembrandt van Rijn
Folha online-Vigor criativo

1 Opinião

  1. olbe disse:

    Grandes artistas só foram reconhecidos depois de mortos, sofreram muito durante suas vidas , morreram na miséria e outros ganharam muito dinheiro com suas obras…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *