article image
"Sagui-de-cara-branca", de Johann Moritz Rugendas, no CCBB. - Fonte: Estadão Online
Exposição

Mostra da Expedição Langsdorff no CCBB

fonte | A A A

A mostra da Expedição Langsdorff começou na terça-feira, 23, na sede paulista do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Médico,  aventureiro alemão naturalizado russo, o comandante e barão Georg Heinrich Von Langsdorff teve sua expedição financiada pelo império russo, a fim de investigar a fauna e a flora brasileira. Em maio, a mostra passará por Brasília, e, em agosto, pelo Rio de Janeiro.

As 120 peças da mostra Expedição Langsdorff reúnem obras inéditas como as aquarelas Sagui-de-cara-branca (1823), de Rugendas, Sebastiana, Filha da Mestiça Francisca de Sales e de um Branco (1927), de Taunay, e Mulher e Criança Manduruku, de Florence. As obras foram retratadas no caminho percorrido entre Rio de Janeiro e Pará.

Uma das mais reconhecidas expedições do século XIX, a do naturalista alemão começou em 1821, e só terminou oito anos depois, percorrendo 17 mil quilômetros. O barão reuniu artistas como o alemão Johann Moritz Rugendas e os franceses Aimé-Aidrien Taunay e Hercoles Florence, e o astrônomo e cartógrafo russo Néster Rubtsov. Pela primeira vez, a série de 28 mapas produzida por Rubstov será exibida no Brasil.

A fantástica viagem também foi trágica. Depois de uma febre, Langsdorff delirou na selva por semanas e perdeu a razão. Afetado pela doença, ele voltou para a Europa, onde viveu por 22 anos, até sua morte, em 1852. Não se lembrava de ter estado um dia no Brasil.

Por um século, todas as relíquias coletadas foram esquecidas em São Petesburgo, até que em 1930 o tesouro foi redescoberto, mas só nos anos 1980 foi realizada a primeira exibição no país.

Uma curiosidade: o especialista Francisco Albuquerque verificou um total de 1500 descendentes do barão no Brasil. Entre os vivos, está a modelo Luma de Oliveira.

Serviço

Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Álvares Penteado, 112
Tel.: (11) 3113-3651
De terça a domingo, das 10h às 20h
Metrô Sé e São Bento


Fonte: Revista VEJA

De volta ao topo comentários: (2)

Sua Opinião

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Estado

Cidade

  1. Edson Brandão disse:

    Finalmente o Brasil redescobre um dos maiores viajantes do XIX. Langsdorff promoveu um dos maiores levantamentos científicos e antropológicos do Brasil Império.

  2. Dorival Silva disse:

    Muito interessante saber sobre a expedição do barão Georg Heinrich Von Langsdorff no Centro Cultural do Banco do Brasil.