Início » Cultura » Mudaram os tempos, mudaram os ‘amigos’, ou mudou a TV?
Televisão

Mudaram os tempos, mudaram os ‘amigos’, ou mudou a TV?

Na última quarta-feira, Matthew Perry estreou a mais recente tentativa de se livrar do “mal de Friends”. Por Solange Noronha

Mudaram os tempos, mudaram os ‘amigos’, ou mudou a TV?
Elenco de Friends
Elenco de Mr. Sunshine

Elenco de Mr. Sunshine

Mais que maldição, “Friends” parece um vírus que atacou todo o seu elenco, contaminando-o para sempre. Nenhum dos atores pode fazer nada sem que o trabalho seja imediatamente comparado à antiga série — que, como uma superbactéria, se recusa morrer e continua na grade de programação do Warner Channel, sendo reprisada à exaustão. Na quarta-feira, dia 9, Matthew Perry estreou mais uma tentativa de se livrar do velho Chandler, “Mr. Sunshine”, que ocupa o lugar de “Cougar Town” na midseason da ABC.

Para quem só agora pegou outro vírus ainda mais poderoso — o da paixão por seriados — explica-se: midseason é a temporada de férias dos principais títulos do gênero nos Estados Unidos, onde o baixo índice de audiência é mortal. Talvez por isso, outra “ex-amiga”, Courteney Cox, se apresse a explicar na imprensa que hoje, com um número muito maior de canais disponíveis, é quase impossível alcançar um público tão grande quanto poucos anos atrás — e não por que “Cougar Town”, aqui exibida pelo canal Sony, terá uma terceira temporada, o que parece ainda mais inexplicável.

Courteney Cox recebeu Jennifer Aniston em Cougar Town

Courteney Cox recebeu Jennifer Aniston em Cougar Town

Falar das chances de “Mr. Sunshine” com a exibição de apenas um episódio parece insensatez, mas é o que a mídia e os aficionados já fazem nos EUA. Matthew Perry assina e produz a novidade, que tem como simpático personagem principal — vivido por ele, obviamente — Ben Donovan, gerente de operações de um estádio fechado ao estilo do nosso Maracanãzinho, que sedia desde competições esportivas a espetáculos e convenções. Tem tudo para dar certo a escalação de Allison Janney como sua amalucada patroa — a premiada atriz já foi vista por aqui em séries como “The West Wing” e filmes como “Juno” e “Beleza americana”, para citar apenas alguns títulos mais famosos. Se Andrea Anders vai emplacar como a “mocinha” da sitcom é um mistério. Seu nome, até o momento, consta apenas de dois dos quatro episódios já filmados e sua participação pode ser apenas uma brincadeira com o fato de ela também ter sido cobiçada por Joey Tribbiani no spin-off de “Friends”.

Humor politicamente incorreto

Falando em Joey, Matt Le Blanc também tenta dar a volta por cima do seu personagem “amigo” com “Episodes”, coprodução da britânica BBC com o norte-americano Showtime, que parece ter se especializado em hospedar algumas das séries de humor mais bizarras do momento. Seus protagonistas “cômicos” vão, com maior ou menor sucesso, de escritor viciado em sexo (“Californication”) a mãe traficante (“Weeds”), mãe adicta (“Nurse Jackie”), mãe com múltiplas personalidades (“The United States of Tara”) e mãe com câncer (“The big C”) — esta última conseguindo a façanha de tratar o pesado tema com leveza.

Em “Episodes”, porém, Matt LeBlanc é um personagem chamado Matt LeBlanc, que às vezes lembra Joey, às vezes parece Ted Danson (e está quase tão grisalho quanto este) e às vezes parece ser apenas o canalha de plantão. O humor politicamente incorreto, marca das produções do Showtime, nem sempre acerta a dose e descamba para a grossura pura e simples — vai ver os roteiristas erram a mão por terem perdido o hábito de se soltar na terra que inventou a praga do politicamente correto (PC para os íntimos). Tomara que o humor mais sutil e inteligente dos ingleses consiga equilibrar as coisas no futuro — se a série tiver um futuro além dos seis episódios inicialmente programados.

O que faz a outra metade do sexteto

Enquanto isso, Jennifer Aniston segue fazendo comédias bobas no cinema, testando vibrador para os seios em programa de auditório e dando entrevistas em que até hoje garante não ter nada contra Angelina Jolie, para quem perdeu Brad Pitt — deve ser chato. Lisa Kudrow andou fazendo série na web e David Schwimmer casou, vai ser papai e está dirigindo filmes — “Trust”, drama que tem Clive Owen no elenco e pedofilia como tema, estreia nos EUA em 1º de abril. A conta bancária dos seis “amigos”, porém, deve ir muito bem, obrigada.

O mais estranho nisso tudo é que “Friends” não foi o único seriado norte-americano a ter dez temporadas. “Um amor de família”, por exemplo, alcançou a mesma marca — e ninguém vive perguntando pelos Bundy a Ed O’Neill, Katey Sagal ou Christina Applegate. Se mudaram a TV, a mídia e o público e os tempos são outros, têm sorte os Simpsons, que fazem sucesso há 22 anos, por não serem de carne e osso. Do contrário, já imaginou o inferno em que se transformariam suas vidas quando saírem do ar?

Caro leitor,

Você é fã de “Friends”?

Ainda assiste às reprises na Warner ou já sabe os episódios de cor?

Torce para que os novos seriados e filmes de seus atores sejam logo exibidos no Brasil?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. giovanna disse:

    AMO FRIEEEEEENDS ! ELES DEVERIAM SUPER VOLTAR A FAZER A SERIE.. nunca vai ter nada que chegue aos pés…
    friends é a melhor serie de todas

  2. renta disse:

    gostaria muito que eles voltassem a fazer
    a serie ou q sai se o filme acho que a historia deles ainda ia fazer muita gente
    dar gargalhadas…
    bom espero que um dia eles voltei a trabalhar juntos!!!

  3. Raisa G. disse:

    Sou mais que fã de Friends, sou realmente apaixonada pela série e acredito que dificilmente haverá um dia algo melhor entre as séries da tv americana. Tenho todas as temporadas e assito sempre, é impossivel enjoar! Será realmente difícil desvencilhar a imagem da Rachel, Phoebe, Monica, Joey, Ross e Chandler dos seis atores. Eles são pra sempre.

  4. Markut disse:

    Estou fora. O último que assistí foi Sex in the City, que tinha ingredientes interessantes e um diálogo inteligente.
    Mesmo assim, acabou se esgotando.
    Os outros, que assistí de relance me parecem futeis, babacas e imaturos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *