Início » Cultura » O centenário de Ella Fitzgerald
PRIMEIRA-DAMA DO JAZZ

O centenário de Ella Fitzgerald

Ella Fitzgerald, uma das principais intérpretes do jazz americano, completaria 100 anos nesta terça-feira

O centenário de Ella Fitzgerald
Ella ainda é um dos maiores nomes do jazz (Foto: Wikipedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

No dia 25 de abril de 1917, na cidade de Newsport News, Virgínia, nasceu Ella Fitzgerald, uma das principais intérpretes do song book americano e considerada por muitos a “primeira-dama do jazz”. Em 2017, Ella completaria 100 anos.

De origem humilde, Ella fez parte do movimento que solidificou o jazz nos EUA. Sempre muito comparada a Sarah Vaughan e Billie Holiday, ela foi uma das poderosas vozes negras que hoje caracterizam o gênero. Foi Ella quem realizou a travessia do canto popular do começo do século XX, antes servido por legítimos ou pretensos artistas de ópera, para a era do microfone, quando as canções e seus intérpretes tornaram-se mais próximos de quem ouve.

Ella teve seu primeiro contato com a música da mesma forma que muitos grandes artistas, até mesmo hoje em dia: na igreja. Ainda criança, cantou no coral da igreja Metodista Africana de Newsport News, e tinha como ídolos Louis Armstrong e Connee Boswell, uma intérprete cuja voz lhe encantava. Em várias entrevistas, Ella disse que, quando criança, queria que sua voz fosse igual à de Connee.

Ella não gostava de falar de sua infância, que acredita-se ter sido um tanto traumática. Em entrevista, ela disse que “o importante não é saber de onde se veio, mas para onde se vai”.

No ano de 1934, Ella já estava em Nova York, e ia se apresentar, como dançarina no Apollo, clube famoso que era palco de alguns dos maiores nomes do jazz da cidade. Ella decidiu se apresentar como cantora quando viu as roupas das outras concorrentes ao prêmio de dança. Muito pobre, Ella se vestia mal, e sentiu-se intimidada com a competição. Resolveu, então, cantar. E venceu.

Suas vestimentas humildes foram, inicialmente, um obstáculo para a cantora. Chick Webber, por exemplo, que foi um de seus grandes parceiros musicais, esteve prestes a rejeitar uma parceria por causa da forma que ela se vestia. Ele era famoso antes de Ella alcançar o sucesso. Foi com ele, porém, que ela gravou seus primeiros discos e encaminhou sua carreira.

Ao longo dos anos, Ella cantou com os principais cantores de jazz de sua geração, como Louis Armstrong e Benny Goodman, Duke Ellington e Dizzy Gillespie, Count Basie e Oscar Peterson. Apelou muitas vezes para os scats, técnica de canto criada por Louis Armstrong que consiste em cantar vocalizando sem palavras, ou com palavras sem sentido e sílabas (por exemplo: “la dum ba dum pa”).

Casou-se duas vezes. A primeira, em 1941, com um traficante do qual se separou por uma anulação legal. A segunda vez em 1947, com o excelente contrabaixista Ray Brown, com quem adotou um filho. Divorciaram-se seis anos depois.

Em 1993, aos 76 anos, Ella perdeu a visão por conta do diabetes e teve as duas pernas amputadas. Morreu na Califórnia, em Los Angeles, no dia 15 de junho de 1996. Ella se mantém, até hoje um dos principais nomes do jazz, sua voz uma das mais reconhecidas e suas canções largamente reproduzidas mundo afora.

Fontes:
O Globo-O centenário de Ella Fitzgerald, a 'Primeira-dama da canção'
Ella 100

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Dorival Barroso disse:

    É injusto tratar Ella como a melhor. Tinha grande afinação, musicalidade e ritmo, mas não sabia transmitir emoção. Uma balada triste cantada por ela era de doer. A rainha da emoção foi Billie Holliday.

  2. Markut disse:

    Ella Fitzgerald,Marian Anderson, Nina Simone, Billy Holiday, Sarah Vaughan, personalidades diferentes, mas todas retratando, de alguma forma, o sofrido destino dessas negras maravilhosas.
    Na minha preferência individual,ponho, em primeiro lugar, Marian Anderson e, logo em seguida, Ella Fitzgerald.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *