Início » Cultura » O instrumento mais difícil de uma orquestra
Livro

O instrumento mais difícil de uma orquestra

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em "A Devil to Play", lançado em janeiro na Grã-Bretanha e agora publicado nos EUA, o jornalista britânico Jasper Rees ressalta a dificuldade de se tocar uma trompa, de acertar as notas com o instrumento e de compor músicas com ele.

Em seu livro, Ress apresenta os melhores trompistas do mundo. O jornalista destaca Giovanni Punto, do século XVIII, seguido por Joseph Leutgeb — amigo a quem Mozart dedicou um concerto para trompa, o K417. Ress apresenta também a britânica Helen Kotas — a primeira mulher a se tornar principal trombista de uma grande orquestra norte-americana –, o britânico Herman Baumann e o anglo-australiano Barry Tuckwell.

Jasper Ress diz que todas essas pessoas compartilham uma certeza absoluta de que a trompa é um instrumento como nenhum outro.

 

Fontes:
Economist - Playing the French horn: Blowhard

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Amanda Nogueira disse:

    Nossa, quem aprende a tocar trompa deveria ganhar um prêmio… deve ser difícil mesmo!

  2. Sara disse:

    Sim, a trompa é um instrumento muito dificil, precisa de muito ar, a trompa numa só posição consegues dar imensas notas, queremos tirar um dó e pode sair um fá(quando tocamos trompa em Sib) por exemplo, para mim devemos tocar trompa a cantar. Eu toco trompa, e adoro é um instrumento lindo, um som poderoso, devemos dar muito valor.

  3. Ronaldo A.Araújo disse:

    Vida de um trompista.
    Nós,trompistas profissionais,tocamos o que talvez deve ser um dos instrumentos mais difíceis da Orquestra Sinfônica.
    A maioria dos músicos de uma Orquestra toca exatamente o que está lendo nas partes.
    Nós,os trompistas não…somos obrigados a ler as partes de orquestra e fazer o que chamamos de TRANSPOSIÇÃO LIDA..Ou seja lemos as notas com as dinâmicas e observações e TOCAMOS OUTRAS NOTAS.
    A maioria das pessoas não tem a menor idéia do que esta acontecendo com os trompistas quando estão fazendo solos em um concerto.Nós os trompistas lemos e tocamos desde uma segunda menor,segunda maior,terças menores e maiores ,quartas justas e aumentadas ,quintas justas e aumentadas,etc.lendo e tocando vários intervalos variados do que está escrito nas partituras de orquestra.
    Além disso,as notas da trompa não tem afinação fixa,variando (todas elas) em meio +ou- meio tom para baixo e para cima.Ou seja,um trompista,alem de,na maioria das vezes estar lendo uma coisa e tocando outra,tem que ficar com uma atenção redobrada na afinação da orquestra ou a desafinação será o desastre garantido de suas notas tocadas.

    Ronaldo A.Araújo.Trompista aposentado da Orquestra sinfônica da UFMG.(Principal)

  4. vasco disse:

    eu toco e sim é muito díficil

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *