Início » Cultura » Ocidente se autocensura quando o assunto é o Islã
Cultura

Ocidente se autocensura quando o assunto é o Islã

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A preocupação em não ofender o Islã impõe limites à liberdade de expressão. É o que dizem especialistas do mercado editorial. Segundo eles, muitos editores hesitam na hora de publicar bons livros cujo conteúdo pode acirrar os ânimos no mundo islâmico.

Já se passaram duas décadas desde que Aiatolá Khomeini emitiu um fatwa (decreto religioso) pedindo a morte do escritor britânico de origem indiana Salman Rushdie por causa de seu romance "Versos Satânicos". Os tradutores do livro no Japão e na Itália foram esfaqueados, o editor na Noruega, baleado, mas, apesar de toda a pressão de fanáticos, a obra não chegou a sair de circulação no Ocidente. Sendo assim, conclui-se que os extremistas perderam a batalha. Será?

Em 2008, por exemplo, uma das principais editoras de língua inglesa do mundo, a Random House, desistiu de publicar um romance sobre a relação entre Maomé e sua mulher depois que especialistas em segurança e acadêmicos advertiram quanto ao risco de o livro ser encarado como uma ofensa ao Islã.

 

Fontes:
Economist - Self-censorship in the West: Speech impediments

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

9 Opiniões

  1. E. Coelho disse:

    O inverso não é verdadeiro.

    Não vejo o mesmo respeito quanto ao cristianismo e judaísmo.

  2. MARKUT disse:

    A auto imposição de limitar a liberdade de expressão do Ocidente,quando o assunto é Islã, é o acontecimento mais tenebroso e suicida que se possa imaginar.
    Ao contrário, o momento é de deixar clara a separação entre a indiscutivel contribuição do islamismo ao acervo cultural da Humanidade e o barbarismo instalado nas hordas fanáticas e fundamentalistas, a serviço de um regime de dominação prepotente, que só beneficia a meia dúzia de príncipes, sheiks, califas ,sultões, deixando a massa subjugada induzida a enfrentar a auto imolação, pela promessa de um paraiso ,que compensaria as agruras deste mundo terreno.

  3. rosalia disse:

    Nada direi. Tenho medo. Será que declarar o medo pode ser entendido como ofensa ao patrulhamento radical islâmico?

  4. Samuel disse:

    Eu concordo com a opinião do E. Coelho. Era o que ia dizer também. O ocidente é cristão (ou era…) e vive a achincalhar o cristianismo. Haja vista livros como o "Código Da Vince". Nossas novelas e romances ridularizam constantemente a fé cristã e as práticas religiosas, que se tornam caricatas. Jesus ensinou a não vigar, mas, certamente, havejrá um acerto de contas onde a vida não acaba e pode ser eternamente infeliz.

  5. hcgalvao disse:

    O Ocidente não tem que falar mal ou achincalhar ninguém do Oriente e do próprio Ocidente. Não se deve ter medo do Islamismo, mas impor respeito. Se você está na minha casa deve respeitar o dono e a casa.

  6. renato vasconcellos disse:

    O que eu jamais aceitarei é a censura ou auto-censura. Quando tivermos críticas, temos que fazer, seja ao cristianismo, judaismo, islamismo, ateismo, etc…
    Não se pode tolerar é a tirania., tenha o nome que tiver.

  7. Marcelo Sommer disse:

    Quando a religiao ultrapassa o plano espiritual, se torna ideologia. O Isla é utilizado como instrumento de política e é ferramenta de patrulha ideológica. Nao creio que os religiosos autênticos compartam com o mal-uso da religiao. Mas os políticos aprenderam isso do marxismo. No ocidente periférico, quem nao era marxista nao tinha voz, até bem pouco tempo. E na América Latina se tem notado um retrocesso a esta era. Chávez e Castro, flertam com a República Islâmica do Ira(n)- nao tenho til. Coincidência? De minha parte, a liberdade de expressao deve ser um valor abosluto. Quero ver é a fé superar as críticas. Se for coerente e realmente cumprir com seu objetivo, e se seus professores forem realmente desinteressados na sua propagacao, passarao ilesas pelos "achincalhes". Me perdoem os ofendidos, mas se críticas infundadas ameacam a fé, é porque estas últimas padecem de grave doenca. Nao creio na máxmia de Goebbels.

  8. Markut disse:

    Concordo com o Marcelo,exceto no "mal- uso da religião". Não seria "mau uso"?
    Quanto à máxima do Goebels, lamentavelmente ,ela é cinicamente verdadeira.
    Assim é a natureza humana e assim é o espírito de manada.

  9. Marcelo Sommer disse:

    Desculpe-me Markut. Desculpem-me os demais leitores. Moro há anos fora do País e nao tenho escrito muito em português. É "mau uso" sim!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *