Início » Cultura » ONG italiana quer banir ‘Divina Comédia’ das salas de aulas
'Ofensivo e discriminatório'

ONG italiana quer banir ‘Divina Comédia’ das salas de aulas

Para ONG, livro é racista, antissemita e islamofóbica e deve ser removido das salas de aula

ONG italiana quer banir ‘Divina Comédia’ das salas de aulas
Ilustração de 'Divina Comédia', visto como um dos pilares da literatura mundial (Reprodução/Internet)

“Deixai toda esperança, ó vós que aqui entrais!”. O clássico medieval de Dante, A Divina Comédia foi caracterizado como um livro racista, antissemita e islamofóbico por um grupo que exige que a obra seja removida das salas de aula.

Leia também: Por racismo, Tintim vai para o banco dos réus
Leia também: Monteiro Lobato, Ziraldo e o racismo maluquinho
Leia também: Leitora fala sobre racismo e a obra de Monteiro Lobato

O poema épico, escrito no século XIV, é dividido em três partes, seguindo a viagem do poeta através do Inferno, Purgatório e Paraíso. O livro é visto como um dos pilares da literatura mundial. Mas a organização dos Direitos Humanos italiana, Gherush92, que aconselha organismos da ONU sobre questões de direitos humanos, quer que ele seja removido dos currículos escolares, ou pelo menos utilizado com mais cautela, por ter passagens “ofensivas e discriminatórias” e os jovens não possuírem os “filtros” para compreendê-las no contexto.

Gherush92 destacou alguns trechos particulares da obra-prima de Dante para a crítica: o 34º dia de Dante no inferno, que conta a história de Judas, infinitamente mastigado nos dentes de Lúcifer; e o 28º, no qual Maomé é retratado rasgado “a partir do queixo para baixo da forma mais abominável possível”. Outro trecho criticado foi o 26º dia no purgatório, que mostra os homossexuais sob uma chuva de fogo. Segundo a organização, o trabalho difama o povo judeu, retrata o Islã como uma heresia e é homofóbico.

“Nós não defendemos a censura ou a queima dos livros, mas gostaríamos que reconhecessem, de forma clara e inequívoca, que a Divina Comédia tem conteúdo racista, antissemita e islamofóbico”, disse Valentina Sereni, presidente da Gherush92. “A arte não pode estar acima de qualquer crítica.”

No entanto, a cena cultural da Itália tem sido rápida para sair em defesa de uma das mais famosas obras do país. “Os benefícios a serem obtidos a partir da leitura e do estudo da Divina Comédia são tantos que declarações deste tipo são simplesmente ridículas”, disse o poeta e crítico literário Maurizio Cucchi. O historiador literário, crítico e autor Giulio Ferroni chamou os comentários de “outro frenesi do movimento ‘politicamente correto’, combinado com uma total falta de senso histórico” e afirmou que é necessário ler a Divina Comédia em seu contexto. “Você poderia até incluir algumas notas a mais, mas seria loucura abandonar o estudo de uma obra que ajudou a construir a imagem da humanidade”.

Fontes:
The Guardian - Divine Comedy is 'offensive and discriminatory', says Italian NGO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Tomas disse:

    E eu achei, depois das críticas desse gênero às obras de Monteiro Lobato, que a atual imbecilidade com relação à cultura era uma marca somente nossa.

  2. Marcelo Rezende disse:

    O que é esse “politicamente correto” burro que fecha os olhos para os verdadeiros preconceitos do dia a dia e acha que pode prevalecer em cima de grandes obras da humanidade? Querem censurar Monteiro Lobato e Dante Alighieri enquanto a política mundial envolta em mar de lama corre solta e ninguém faz nada. Que vão pentear macacos ao invéz de implicar com a memória de nobres escritores mortos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *