Início » Cultura » Os 80 anos de João Gilberto
Bossa Nova

Os 80 anos de João Gilberto

Dono de uma personalidade forte, o cantor não tolera celular, cochichos na plateia ou caixas de som desreguladas, e já abandonou o palco por falta de silêncio

Os 80 anos de João Gilberto
Cantor vive recluso em bairro do Rio de Janeiro (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Pai da bossa nova, o cantor João Gilberto completa 80 anos neste sábado, 11. Dono de uma personalidade forte, em seus shows não tolera celular, cochichos na plateia, ar-condicionado barulhento ou caixas de som desreguladas. Faz raríssimas apresentações, e já abandonou algumas delas por falta de silêncio.

Aliás, João Gilberto parece ter abandonado de vez a vida social. Vive recluso em seu apartamento no Leblon, no Rio de Janeiro. Seus vizinhos raramente o veem, e ele só recebe visitas da atual namorada, a produtora Cláudia Faissol, com quem tem uma filha, Luisa, de seis anos, e da filha, Bebel Gilberto, do casamento com Miúcha, irmã de Chico Buarque. João é alvo ainda de uma ação de despejo, por não aceitar reformas no apartamento que aluga da milionária italiana Georgina Maria Natividade Faucigny Bandolini d’Adda.

Apesar das suas excentricidades, João Gilberto ainda é considerado um dos maiores gênios da música popular brasileira. Em sua última turnê, em 2008, os ingressos para seus shows no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, e no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, esgotaram apenas uma hora após o início das vendas.

Nascido em Juazeiro, na Bahia, em 11 de junho de 1931, João começou a tocar violão aos 14 anos e desde então dedicou-se a descobrir uma nova expressão para o instrumento. Seu esforço finalmente foi recompensado quando conheceu Tom Jobim e um grupo de estudantes universitários de classe média, também músicos. Dessa amizade surgiu o novo estilo, a consagrada bossa nova.

Chega de Saudade
Sua primeira gravação lançada comercialmente  em 1958 foi uma participação como violonista no disco Canção do Amor Demais, de Elizeth Cardoso, com canções de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. Pouco depois desta participação, João Gilberto gravou seu primeiro disco, Chega de Saudade. A faixa-título, composta por Tom e Vinícius — e que também aparecia no álbum de Elizeth Cardoso –, foi sucesso imediato no Brasil, lançando a carreira de João Gilberto e todo o movimento da bossa nova. Além de Chega de Saudade, o disco trazia também a canção Desafinado, de Tom e Newton Mendonça.

Chega de Saudade foi seguido de outros dois discos, lançados em 1960 e 1961, nos quais João apresentou músicas novas de uma nova geração de cantores e compositores, como Carlos Lyra e Roberto Menescal. Por volta de 1962, a bossa nova tinha sido adotada por músicos de jazz norte-americanos, tais como Herbie Mann, Charlie Byrd e Stan Getz.

A convite de Getz, João Gilberto e Tom Jobim fizeram aquele que se tornou um dos melhores álbuns de jazz de todos os tempos, Getz/Gilberto. Com este álbum, Astrud Gilberto, então esposa do compositor, tornou-se uma estrela internacional, e a composição de Jobim, Garota de Ipanema (em sua versão em inglês) se tornou um sucesso mundial.  Em 1965 João se casou com a cantora Miúcha.

Apesar de continuar fazendo shows durante toda a década de 1960, João Gilberto só lançou um novo disco em 1968, quando gravou Ela é Carioca, enquanto ainda morava no México. Depois, lançou em 1973 o disco João Gilberto, com uma clara mudança de estilo.

Em 1991 lançou o disco João, que não tinha nenhuma composição de Tom Jobim, mas incluía trabalhos de Caetano, Cole Porter e de compositores de língua espanhola. João Voz E Violão, lançado em 2000, assinalou um retorno aos clássicos da bossa nova, como Chega de Saudade e Desafinado. O CD, uma homenagem à música de sua juventude, foi produzido por Caetano Veloso.

Assista abaixo a uma apresentação de  João Gilberto:

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. Luiz Mourão disse:

    Não assistiria nem se me pagasse!!!
    Uma pessoa que tem, como meio de Vida, uma profissão que depende da aceitação das demais não deveria fazer as grosserias que ele faz, como se fizesse um favor por existir e nos deixar assisti-lo…
    Não é TÃO gênio assim…
    Não passo nem na porta!!!

  2. Zuza Homem de Mello disse:

    Bem boboca e inútil. Nenhuma linha sobre o principal: a musica de João Gilberto.

  3. Suzana disse:

    Excelente a mini biografia de João Gilberto, mas infelizmente não consegui ativar a apresentação. Suzana

  4. Helio disse:

    Como Suzana, não consegui acessar a apresentação. Deve ser um fenômeno que cerca o compositor, sempre difícil de aproximação. A propósito, por onde anda a adorável Astrud?

  5. Helio disse:

    Luiz Mourão,
    Nem adianta passar na porta, dizem que ele não atende. É a nosso Greta Garbo. Gosta de ser só, mas parece que só desafina nas relações pessoais.

  6. Geraldo euclides disse:

    Esse baiano já foi bom, mas parece achar-se uma Angelina Jolie ou um Brad Pitt; o cara está tão xato (com X mesmo) que ninguém o suporta e a sua voz já era calma João; com diz o Chaves (outro chato) “Não se irrite” quando morrer vai aparecer uns hipócritas para encher-los de elogios, dizendo: “que genial, que voz, que artista!” De leve!

  7. Milton Portenoy disse:

    Estupendo João Gilberto, o imortal interprete da Bossa Nova.
    Excentrico como pessoa mas com uma afinação incrivel, voz única, bom violonista e com um senso de profissionalismo caracteristico tem seu lugar eterno como “Pai da Bossa Nova”.

  8. renildo gomes disse:

    e uma pena que uma lenda viva come João se tranque e nus priva de todo seu talento e contribuição na arte moderna que que se faz por esses 60 anos abraço

    Renildo gomes da silva andre

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *