Início » Cultura » Os Desafinados
Artigo

Os Desafinados

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O trailer de "Os Desafinados", de Walter Lima Jr., é muito bom: promete no cinquentenário da Bossa Nova um filme simpático, canções memoráveis, bons intérpretes, dá vontade de conferir. O filme conta a história de cinco amigos que formam a banda Rio Bossa Cinco e buscam o sucesso, alimentando o sonho de tocar no Carnegie Hall, a célebre sala de concertos de Nova Iorque que detonou o sucesso internacional de Tom Jobim, João Gilberto e tantos outros.

Quem vai esperando esta promessa, no entanto, se decepciona e muito. Não se trata de um filme sobre a bossa nova, mas sim um relato pessoal da classe média carioca, pouco convincente, o roteiro não é crível. Há a ousadia de um filme brasileiro parcialmente filmado em Nova Iorque, até com recursos de buscar cenas dos anos 60, roupas e carros da época, mas fica nisso.

Dos intérpretes, só Selton Mello se salva, pela naturalidade e graça, pena que não seja o ator principal. Rodrigo Santoro — apesar da fama — e Claudia Abreu, os verdadeiros protagonistas, decepcionam por uma atuação forçada.

O filme nos primeiros 20 minutos ainda dá esperanças, mas o ritmo vai decepcionando e fica longuíssimo: tenho de pedir desculpas ao nosso redator-chefe, mas saí antes do filme acabar… Sou da tese de que qualquer obra audio-visual deveria passar seu recado em uma hora e 20 minutos…

A tarefa de um comentarista é dizer o que achou, muito embora a gente fique com a vontade de patrocinar o cinema brasileiro e falar bem; no caso, a crítica servirá de modelo do que não fazer.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Dorival Silva disse:

    Leio sempre as críticas do Agenor Fagundes, pena que ele escreva tão raramente. Por que não fazer uma coluna semanal?
    Agradeço saber que o filme não é bom, me poupou o aborrecimento de ir e sair no meio.

  2. Dorival Silva disse:

    Leio sempre as críticas do Agenor Fagundes, pena que ele escreva tão raramente. Por que não fazer uma coluna semanal?
    Agradeço saber que o filme não é bom, me poupou o aborrecimento de ir e sair no meio.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *