Início » Cultura » Queda da Bastilha: o início da Revolução
NESTA DATA

Queda da Bastilha: o início da Revolução

No dia 14 de julho de 1789, teve início a Revolução Francesa

Queda da Bastilha: o início da Revolução
A Queda da Bastilha foi o marco inicial para a Revolução Francesa (Foto: Wikimedia)

A Queda da Bastilha, ocorrida em 14 de julho de 1789, foi o evento que marcou o início da Revolução Francesa. Apesar de esse movimento popular ter grande significado, a revolução foi um processo. Envolveu, além da situação econômica do país, os interesses de classe e dos demais países europeus.

A Bastilha foi construída em 1370 para ser um portal de entrada, e tempos depois foi transformada em uma prisão. No século XVII, durante a regência do Cardeal Richelieu, a Bastilha tornou-se o lugar onde eram confinados nobres, letrados, adversários políticos e todos aqueles que se opunham ao governo e à religião oficial. O lugar era um símbolo de absolutismo, e mesmo abrigando apenas sete prisioneiros foi invadido pela multidão, que matou os guardas e tomou as armas que encontraram por lá, soltando também os presos.

Depois que a Bastilha foi tomada, a Assembleia Constituinte aprovou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, inspirada na declaração americana. A partir de então, a revolução deixou de ser um movimento no qual deputados julgavam que poderiam eliminar o Antigo Regime apenas fazendo novas leis. A camada popular, motivada pela escassez de alimentos e pelas cobranças excessivas de impostos, entrou em cena.

Fontes:
InfoEscola-Queda da Bastilha
Uol Educação-Revolução Francesa: A queda da Bastilha e o fim do regime absolutista

6 Opiniões

  1. Markut disse:

    A singularidade do símbolo da tomada da Bastilha é que ela representou, de forma violenta, a eterna causa da exploração do homem , pelo homem.
    Dessa vez, “a camada popular, motivada pela escassez de alimentos e pela cobrança excessiva de impostos, entrou em cena”.
    Os populismos predadores sul americanos, Argentina, Brasil, Venezuela e quejandos, que se cuidem.

  2. Alcebiades Abel Filho disse:

    A história se repete. A bastilha moderna que deve ser derrubada é este modelo capitalista perverso que tem levado a miséria e a fome a povos e nações. Até as nações mais desenvolvidas do mundo tem se sustentado com a miséria de seu povo para o enriquecimento de suas elites. O tempo passa o progresso avança mais a miséria se multiplica e as populações , cada vez mais revoltadas, tentam sobreviver engolindo a seco as receitas liberais de economistas irresponsáveis.

  3. Ludwig Von Drake disse:

    O marco mais lembrado é a queda da Bastilha, mas o mais importante é o Terror, a Contra-revolução.

  4. Revoltado disse:

    Ou marchamos sobre Brasília aos milhões, não deixando pedra sobre pedra naquela esplanada de ladrões, ou emigramos em massa para o Uruguay. Quero ver o zé povinho se virar sozinho sem a Elite Branca. Isso aqui vira uma versão piorada de uma mescla entre o Haiti e Cuba, algo pior que o inferno na Terra… vão se matar uns aos outros, até isso virar terra arrasada.

  5. Henrique Hiroshi disse:

    Olá!
    gostaria de saber quem escreveu este artigo para que eu possa fazer a citação do mesmo em um trabalho que estou fazendo.

    Atenciosamente,

  6. Evandro Correia disse:

    A Revolução teve um lado idealista que foi deturpado por interesses pessoais e radicalismos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *